Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ex-prefeito é preso recebendo propina na prefeitura de Araçariguama (SP)



15/10/2019 | 10:52


O ex-prefeito de Araçariguama Carlos Aymar foi preso em flagrante na tarde desta segunda-feira, 14, acusado de receber propina, no interior do prédio da prefeitura da cidade do interior paulista. Aymar é casado com a prefeita do município, Lili Aymar (PDT). O secretário de governo Israel Pereira da Silva também foi preso. Segundo a Polícia Civil, os dois estariam cobrando o pagamento de R$ 2 milhões para a aprovação de um projeto de casas populares de uma cooperativa habitacional.

De acordo com o delegado seccional de Sorocaba (SP), Marcelo Carriel, o flagrante foi dado logo após o político ter recebido de um empresário cerca de R$ 15 mil dados como sinal do pagamento da propina. O dinheiro, em notas de R$ 50 e R$ 100, foi encontrado em um armário na sala em que o ex-prefeito se encontrava, na prefeitura - as cédulas tinham sido copiadas pela investigação.

As averiguações tinham se iniciado havia cinco meses e a Justiça de São Roque, cidade vizinha a Araçariguama, já havia determinado a prisão temporária dos suspeitos, caso não houvesse o flagrante.

Aymar e o secretário foram levados para a delegacia seccional de Sorocaba e permaneceram presos. Nesta terça-feira, 15, eles serão apresentados à Justiça, em audiência de custódia. Os dois responderão pelos crimes de associação criminosa e concussão - quando o ocupante de função pública exige algum benefício ilegal. A pena prevista vai de 2 a 8 anos de prisão. A defesa dos acusados informou que só vai se manifestar depois de conhecer todo o teor da acusação.

Aymar governou a cidade em dois mandatos, entre 2000 e 2008. Em junho de 2013, foi detido durante uma operação realizada pela Polícia Civil para apurar fraudes na prefeitura de Mairinque, outra cidade da região, envolvendo políticos, funcionários públicos e empresários. Na época, Aymar ocupava cargo nessa prefeitura. Na ocasião, negou as acusações e o caso foi arquivado.

Até o início da noite desta segunda-feira, 14, a prefeitura de Araçariguama não tinha se manifestado sobre a prisão do secretário e do ex-prefeito, acontecidas no interior do prédio. Oficialmente, Aymar não exerce cargo na municipalidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ex-prefeito é preso recebendo propina na prefeitura de Araçariguama (SP)


15/10/2019 | 10:52


O ex-prefeito de Araçariguama Carlos Aymar foi preso em flagrante na tarde desta segunda-feira, 14, acusado de receber propina, no interior do prédio da prefeitura da cidade do interior paulista. Aymar é casado com a prefeita do município, Lili Aymar (PDT). O secretário de governo Israel Pereira da Silva também foi preso. Segundo a Polícia Civil, os dois estariam cobrando o pagamento de R$ 2 milhões para a aprovação de um projeto de casas populares de uma cooperativa habitacional.

De acordo com o delegado seccional de Sorocaba (SP), Marcelo Carriel, o flagrante foi dado logo após o político ter recebido de um empresário cerca de R$ 15 mil dados como sinal do pagamento da propina. O dinheiro, em notas de R$ 50 e R$ 100, foi encontrado em um armário na sala em que o ex-prefeito se encontrava, na prefeitura - as cédulas tinham sido copiadas pela investigação.

As averiguações tinham se iniciado havia cinco meses e a Justiça de São Roque, cidade vizinha a Araçariguama, já havia determinado a prisão temporária dos suspeitos, caso não houvesse o flagrante.

Aymar e o secretário foram levados para a delegacia seccional de Sorocaba e permaneceram presos. Nesta terça-feira, 15, eles serão apresentados à Justiça, em audiência de custódia. Os dois responderão pelos crimes de associação criminosa e concussão - quando o ocupante de função pública exige algum benefício ilegal. A pena prevista vai de 2 a 8 anos de prisão. A defesa dos acusados informou que só vai se manifestar depois de conhecer todo o teor da acusação.

Aymar governou a cidade em dois mandatos, entre 2000 e 2008. Em junho de 2013, foi detido durante uma operação realizada pela Polícia Civil para apurar fraudes na prefeitura de Mairinque, outra cidade da região, envolvendo políticos, funcionários públicos e empresários. Na época, Aymar ocupava cargo nessa prefeitura. Na ocasião, negou as acusações e o caso foi arquivado.

Até o início da noite desta segunda-feira, 14, a prefeitura de Araçariguama não tinha se manifestado sobre a prisão do secretário e do ex-prefeito, acontecidas no interior do prédio. Oficialmente, Aymar não exerce cargo na municipalidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;