Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA impõem sanções a três ministros da Turquia por ofensiva militar na Síria



14/10/2019 | 21:24


Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinar um decreto autorizando a imposição de sanções a pessoas e entidades envolvidas na ofensiva militar turca no nordeste da Síria, Washington anunciou ter bloqueado os ativos sob jurisdição americana dos Ministérios de Energia e Recursos Naturais e da Defesa da Turquia bem como dos ministros à frente das pastas, Fatih Dönmez e Hulusi Akar, respectivamente, e do ministro do Interior, Süleyman Soylu.

Os alvos das sanções foram designados pelos secretários do Tesouro e de Estado dos EUA, Steven Mnuchin e Mike Pompeo. Pessoas e entidades que fizerem transações com esses alvos também estarão sujeitas a punições, segundo o governo americano.

A medida assinada por Trump inclui ainda uma declaração de emergência nacional pela situação na Síria e o aumento da alíquota de tarifas americanas sobre aço importado da Turquia de volta para 50%, nível que valia até uma redução anunciada em maio.

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Departamento do Tesouro afirmou que as punições não têm a intenção de "afetar ou interromper a operação de ONGs internacionais humanitárias ou das Nações Unidas na Turquia na prestação de assistência humanitária a comunidades sírias que a necessitam".

Além disso, o órgão acrescentou estar preparado para emitir autorizações, conforme apropriado, para assegurar que as sanções "não causem a ruptura da capacidade da Turquia de atender as suas necessidades de energia".

Junto com as sanções, o OFAC também emitiu licenças autorizando "negócios oficiais do governo dos Estados Unidos conduzidos por funcionários, bolsistas ou fornecedores" em conexão com os alvos de congelamento de ativos e um período de isenção de 30 dias para transações e atividades envolvendo os ministérios turcos afetados.

"Para evitar que sofra sanções adicionais impostas sob esse novo decreto, a Turquia tem de cessar imediatamente a sua ofensiva unilateral no nordeste da Síria e retornar ao diálogo com os Estados Unidos sobre a segurança no nordeste da Síria", ressaltou Mike Pompeo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA impõem sanções a três ministros da Turquia por ofensiva militar na Síria


14/10/2019 | 21:24


Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinar um decreto autorizando a imposição de sanções a pessoas e entidades envolvidas na ofensiva militar turca no nordeste da Síria, Washington anunciou ter bloqueado os ativos sob jurisdição americana dos Ministérios de Energia e Recursos Naturais e da Defesa da Turquia bem como dos ministros à frente das pastas, Fatih Dönmez e Hulusi Akar, respectivamente, e do ministro do Interior, Süleyman Soylu.

Os alvos das sanções foram designados pelos secretários do Tesouro e de Estado dos EUA, Steven Mnuchin e Mike Pompeo. Pessoas e entidades que fizerem transações com esses alvos também estarão sujeitas a punições, segundo o governo americano.

A medida assinada por Trump inclui ainda uma declaração de emergência nacional pela situação na Síria e o aumento da alíquota de tarifas americanas sobre aço importado da Turquia de volta para 50%, nível que valia até uma redução anunciada em maio.

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Departamento do Tesouro afirmou que as punições não têm a intenção de "afetar ou interromper a operação de ONGs internacionais humanitárias ou das Nações Unidas na Turquia na prestação de assistência humanitária a comunidades sírias que a necessitam".

Além disso, o órgão acrescentou estar preparado para emitir autorizações, conforme apropriado, para assegurar que as sanções "não causem a ruptura da capacidade da Turquia de atender as suas necessidades de energia".

Junto com as sanções, o OFAC também emitiu licenças autorizando "negócios oficiais do governo dos Estados Unidos conduzidos por funcionários, bolsistas ou fornecedores" em conexão com os alvos de congelamento de ativos e um período de isenção de 30 dias para transações e atividades envolvendo os ministérios turcos afetados.

"Para evitar que sofra sanções adicionais impostas sob esse novo decreto, a Turquia tem de cessar imediatamente a sua ofensiva unilateral no nordeste da Síria e retornar ao diálogo com os Estados Unidos sobre a segurança no nordeste da Síria", ressaltou Mike Pompeo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;