Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Após retirar militares da Síria, Trump anuncia sanções contra a Turquia



14/10/2019 | 18:54


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira, 14, que vai impor sanções contra a Turquia, interromper as negociações comerciais e aumentar as tarifas de aço ao país. A ação, segundo ele, representa um esforço para pressionar Ancara a cessar os ataques aos curdos na Síria - o que só foi possível depois que o presidente americano retirou as tropas americanas que trabalhavam em conjunto com os curdos no nordeste sírio.

Trump disse ainda que os cerca de mil soldados dos EUA que ele ordenou deixar a Síria permanecerão no Oriente Médio para impedir o ressurgimento da ameaça do Estado Islâmico (EI). O presidente declarou que a missão deles seria "monitorar a situação" e evitar a "repetição de 2014", quando combatentes do EI se organizaram na Síria e invadiram o Iraque.

Neste domingo, 13, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos afirmou que ao menos nove pessoas, entre elas cinco civis, teriam morrido em um bombardeio aéreo da Turquia contra um comboio. O grupo era composto por opositores da ofensiva turca no norte da Síria e era acompanhado por jornalistas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após retirar militares da Síria, Trump anuncia sanções contra a Turquia


14/10/2019 | 18:54


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira, 14, que vai impor sanções contra a Turquia, interromper as negociações comerciais e aumentar as tarifas de aço ao país. A ação, segundo ele, representa um esforço para pressionar Ancara a cessar os ataques aos curdos na Síria - o que só foi possível depois que o presidente americano retirou as tropas americanas que trabalhavam em conjunto com os curdos no nordeste sírio.

Trump disse ainda que os cerca de mil soldados dos EUA que ele ordenou deixar a Síria permanecerão no Oriente Médio para impedir o ressurgimento da ameaça do Estado Islâmico (EI). O presidente declarou que a missão deles seria "monitorar a situação" e evitar a "repetição de 2014", quando combatentes do EI se organizaram na Síria e invadiram o Iraque.

Neste domingo, 13, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos afirmou que ao menos nove pessoas, entre elas cinco civis, teriam morrido em um bombardeio aéreo da Turquia contra um comboio. O grupo era composto por opositores da ofensiva turca no norte da Síria e era acompanhado por jornalistas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;