Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Queniana Brigid Kosgei vence Maratona de Chicago e bate o recorde mundial



13/10/2019 | 18:50


Um dia depois de Eliud Kipchoge se tornar o primeiro homem a correr uma maratona em menos de 2 horas (1h59min41s), outro atleta do Quênia alcançou uma marca histórica. Brigid Kosgei correu os 42,2km da Maratona de Chicago em 2h14min04s e obteve a melhor marca de todos os tempos na maratona feminina.

Kosgei, de 25 anos, superou a marca anterior de 2h15min25s estabelecida pela britânica Paula Radcliffe em 2003 na Maratona de Londres. A ex-competidora estava assistindo à corrida e saudou a nova detentora do recorde mundial e que havia vencido em Chicago no ano passado com o tempo de 2h18min35s.

"Estou me sentindo bem e feliz porque não era esperado que eu corresse dessa maneira", disse, surpresa, a nova recordista. "Havia um pouco de vento, mas nada que prejudicasse o meu desempenho. Ainda tive o apoio da torcida, que me incentivou do início ao fim, o que me ajudou muito", adicionou.

Kosgei fechou os primeiros 5 quilômetros em 15min28s, um ritmo impressionante. A partir do décimo quilômetro ela passou a dosar as energias e, só nos últimos 5 quilômetros voltou a acelerar, o que a ajudou a quebrar o recorde mundial.

A etíope Ababel Yeshaneh, que fez 2h20min51, levou a prata em Chicago, e o bronze ficou com Gelete Burka, também da Etiópia, que terminou o percurso em 2h20min55.

A maratona de Chicago integra o circuito promovido pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês). Portanto, o recorde mundial de Kosgei foi homologado, o que não aconteceu com Kipchoqe porque a façanha do queniano foi obtida no "INEOS 1:59 Challenge", evento preparado especialmente para a tentativa em Viena, na Áustria.

MASCULINO - Quênia também colocou um competidor no lugar mais alto do pódio entre os homens. Lawrence Cherono finalizou a prova em Chicago em 2h05min45 e levou o ouro. Os etíopes Dejene Debela (2h05min46) e Asefa Mengstu (2h05min48) ficaram com a prata e o bronze, respectivamente.

"De repente, quando chegamos a 41 quilômetros, os outros corredores não estavam me pressionando novamente", afirmou Cherono. "Decidi chutar e senti que ainda estava tendo energia suficiente para dar o sprint. Tentei a sorte e deu certo."

Cherono venceu a Maratona de Boston em abril. Ele ostenta oito vitórias em maratonas na carreira. O atual campeão Mo Farah, que estabeleceu o recorde europeu no ano passado, terminou em nono, com o tempo de 2h09min58s.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Queniana Brigid Kosgei vence Maratona de Chicago e bate o recorde mundial


13/10/2019 | 18:50


Um dia depois de Eliud Kipchoge se tornar o primeiro homem a correr uma maratona em menos de 2 horas (1h59min41s), outro atleta do Quênia alcançou uma marca histórica. Brigid Kosgei correu os 42,2km da Maratona de Chicago em 2h14min04s e obteve a melhor marca de todos os tempos na maratona feminina.

Kosgei, de 25 anos, superou a marca anterior de 2h15min25s estabelecida pela britânica Paula Radcliffe em 2003 na Maratona de Londres. A ex-competidora estava assistindo à corrida e saudou a nova detentora do recorde mundial e que havia vencido em Chicago no ano passado com o tempo de 2h18min35s.

"Estou me sentindo bem e feliz porque não era esperado que eu corresse dessa maneira", disse, surpresa, a nova recordista. "Havia um pouco de vento, mas nada que prejudicasse o meu desempenho. Ainda tive o apoio da torcida, que me incentivou do início ao fim, o que me ajudou muito", adicionou.

Kosgei fechou os primeiros 5 quilômetros em 15min28s, um ritmo impressionante. A partir do décimo quilômetro ela passou a dosar as energias e, só nos últimos 5 quilômetros voltou a acelerar, o que a ajudou a quebrar o recorde mundial.

A etíope Ababel Yeshaneh, que fez 2h20min51, levou a prata em Chicago, e o bronze ficou com Gelete Burka, também da Etiópia, que terminou o percurso em 2h20min55.

A maratona de Chicago integra o circuito promovido pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês). Portanto, o recorde mundial de Kosgei foi homologado, o que não aconteceu com Kipchoqe porque a façanha do queniano foi obtida no "INEOS 1:59 Challenge", evento preparado especialmente para a tentativa em Viena, na Áustria.

MASCULINO - Quênia também colocou um competidor no lugar mais alto do pódio entre os homens. Lawrence Cherono finalizou a prova em Chicago em 2h05min45 e levou o ouro. Os etíopes Dejene Debela (2h05min46) e Asefa Mengstu (2h05min48) ficaram com a prata e o bronze, respectivamente.

"De repente, quando chegamos a 41 quilômetros, os outros corredores não estavam me pressionando novamente", afirmou Cherono. "Decidi chutar e senti que ainda estava tendo energia suficiente para dar o sprint. Tentei a sorte e deu certo."

Cherono venceu a Maratona de Boston em abril. Ele ostenta oito vitórias em maratonas na carreira. O atual campeão Mo Farah, que estabeleceu o recorde europeu no ano passado, terminou em nono, com o tempo de 2h09min58s.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;