Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

PF fecha garimpo ilegal que elevou homicídios, tráfico e prostituição no MT

EBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


07/10/2019 | 10:13


A Polícia Federal (PF) desencadeou nesta segunda-feira, 7, a 2ª fase da Operação Trypes para fechar um garimpo ilegal situado em Aripuanã, município situado a cerca de 950 km de Cuiabá, no Mato Grosso, onde vivem pouco mais de 22,3 mil pessoas. Cerca de 160 policiais, além de servidores do Ibama e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente realizarão atividades no local durante toda semana.

De acordo com as investigações, além do impacto ambiental, o garimpo ilegal estaria ocasionando aumento do índice de homicídios, tráfico de drogas e prostituição na região.

Segundo a PF, o nome da operação, Trypes, deriva de uma palavra grega que significa "buracos". "Esta é uma alusão à situação em que ficou a região após a ação dos criminosos", diz a corporação.

A primeira fase da operação foi deflagrada no último dia 26. Na ocasião, cerca de 60 agentes cumpriram 16 mandados de busca e apreensão, dois mandados de suspensão de atividade econômica, dois mandados de bloqueio de contas e seis mandados de prisão preventiva. As ações foram realizadas nos municípios de Aripuanã, Alta Floresta, Juína, Nova Bandeirantes e Paranaíta.

A Polícia Federal apurou que um grupo criminoso extraia e comercializava, de maneira ilícita, ouro da Amazônia Legal. Para vender o minério, a organização utilizava um esquema de lavagem de dinheiro que envolvia a emissão de documentos falsos e uso de contas bancárias que foram abertas tal finalidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PF fecha garimpo ilegal que elevou homicídios, tráfico e prostituição no MT


07/10/2019 | 10:13


A Polícia Federal (PF) desencadeou nesta segunda-feira, 7, a 2ª fase da Operação Trypes para fechar um garimpo ilegal situado em Aripuanã, município situado a cerca de 950 km de Cuiabá, no Mato Grosso, onde vivem pouco mais de 22,3 mil pessoas. Cerca de 160 policiais, além de servidores do Ibama e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente realizarão atividades no local durante toda semana.

De acordo com as investigações, além do impacto ambiental, o garimpo ilegal estaria ocasionando aumento do índice de homicídios, tráfico de drogas e prostituição na região.

Segundo a PF, o nome da operação, Trypes, deriva de uma palavra grega que significa "buracos". "Esta é uma alusão à situação em que ficou a região após a ação dos criminosos", diz a corporação.

A primeira fase da operação foi deflagrada no último dia 26. Na ocasião, cerca de 60 agentes cumpriram 16 mandados de busca e apreensão, dois mandados de suspensão de atividade econômica, dois mandados de bloqueio de contas e seis mandados de prisão preventiva. As ações foram realizadas nos municípios de Aripuanã, Alta Floresta, Juína, Nova Bandeirantes e Paranaíta.

A Polícia Federal apurou que um grupo criminoso extraia e comercializava, de maneira ilícita, ouro da Amazônia Legal. Para vender o minério, a organização utilizava um esquema de lavagem de dinheiro que envolvia a emissão de documentos falsos e uso de contas bancárias que foram abertas tal finalidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;