Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Rostos da cena independente imortalizados

Camila Vech/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Artista plástica Prila Maria ganha exposição na Casa da Palavra,em Santo André


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

05/10/2019 | 07:19


Látex branco, tinta de piso preta, marcadores permanentes e papel canson gramatura 180 gramas. Tudo em cima do cavalete. Essas foram algumas ferramentas utilizadas pela artista plástica de São Bernardo Prila Maria, que retoma, após uma década, um de seus primeiros projetos, em que imortaliza em suas peças rostos de figuras do cenário artístico do underground.

Além das 50 obras que já havia feito, há dez anos, ela mostra outras 59 – inéditas e criadas no último mês – e as apresenta na exposição 100 Rostos do Underground – Um Estudo das Cenas, que estreia hoje na Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André. São 103 obras expostas e que não estão disponíveis para venda.

“A meta era chegar aos 100 rostos, porém, ultrapassei. Este é o mais expressivo e numeroso projeto de catalogação da cultura underground brasileira por meio da técnica do retrato que se tem conhecimento”, explica. As obras foram criadas no ateliê de Prila durante a semana. Aos sábados, ela espalhava as peças que havia feito pelo chão da Casa da Palavra, onde as finalizava. E muitas vezes com o ‘rosto inspirador’ por perto para dar uma ‘espiada’ no trabalho.

“Muitos dos retratados têm estética e linguagem bem distintas entre si, o que tornava os encontros superinteressantes, como o dia em que o (poeta) Zhô Bertholini foi conferir de perto ‘seu rosto’ e acabou conhecendo o escritor de grafite Kriok e o escritor de rua Socinatas CLT”, explica.

E esses encontros despretensiosos, além de se tornarem roda de conversa para falar da cena artística do Grande ABC, renderam um minidocumentário, com produção assinada por Diego Honório, e que será exibido durante todos os sábados da mostra.

São rostos de pioneiros ou de protagonistas do grafite, da escrita de rua, música, hip hop e skate. Além de Bertholini, Kriok e Socinatas, a exposição conta com retratos do rapper Arnaldo Tifu, a atriz Leona Jhovs – militância do movimento em defesa da população trans – e o poeta Sergio Vaz, por exemplo.

Prila explica que a ideia foi dar ênfase à escrita de rua da região, porém, a série fala de cultura de resistência. “Por isso são muitas as vertentes de manifestações culturais que merecem destaque. Procurei, então, retratar segmentos diversos”, explica.

A mostra é interativa e há QR Codes nas peças, que direcionam, pelo smartphone, o visitante à conta de Instagram de cada artista retratado.

Para Prila pintar essas pessoas significa deixar legado para além da nossa existência, que legitime permanentemente a importância da contribuição de cada retratado para a construção da história da cultura underground brasileira. “E para além do círculo acadêmico, que quando se dá ao trabalho de dedicar-se ao tema, geralmente o faz voltado aos próprios acadêmicos, nunca para o fortalecimento da rua. No caso dos 100 Rostos acontece de maneira diferente, já que toda a construção do discurso é pautada pela rua e para a rua em primeiro lugar.”

Além dos trabalhos de Prila, acontece ao mesmo tempo na Casa da Palavra, em paralelo, uma exposição que contará com nove artistas convidados para ocupar o lado de dentro da Casa com suas escritas em peças no formato de shapes de skate. A curadoria é da artista, ao lado de Moisés Martins Fogaça e Diego Honório.

100 Rostos do Underground – Um Estudo das Cenas –
Exposição. Na Casa da Palavra Mário Quintana – Praça do Carmo, em Santo André. De hoje a 4 de novembro. Segunda, das 8h às 17h. Terça a sexta, das 9h às 22h. Sábados, 8h às 17h. Gratuito. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rostos da cena independente imortalizados

Artista plástica Prila Maria ganha exposição na Casa da Palavra,em Santo André

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

05/10/2019 | 07:19


Látex branco, tinta de piso preta, marcadores permanentes e papel canson gramatura 180 gramas. Tudo em cima do cavalete. Essas foram algumas ferramentas utilizadas pela artista plástica de São Bernardo Prila Maria, que retoma, após uma década, um de seus primeiros projetos, em que imortaliza em suas peças rostos de figuras do cenário artístico do underground.

Além das 50 obras que já havia feito, há dez anos, ela mostra outras 59 – inéditas e criadas no último mês – e as apresenta na exposição 100 Rostos do Underground – Um Estudo das Cenas, que estreia hoje na Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André. São 103 obras expostas e que não estão disponíveis para venda.

“A meta era chegar aos 100 rostos, porém, ultrapassei. Este é o mais expressivo e numeroso projeto de catalogação da cultura underground brasileira por meio da técnica do retrato que se tem conhecimento”, explica. As obras foram criadas no ateliê de Prila durante a semana. Aos sábados, ela espalhava as peças que havia feito pelo chão da Casa da Palavra, onde as finalizava. E muitas vezes com o ‘rosto inspirador’ por perto para dar uma ‘espiada’ no trabalho.

“Muitos dos retratados têm estética e linguagem bem distintas entre si, o que tornava os encontros superinteressantes, como o dia em que o (poeta) Zhô Bertholini foi conferir de perto ‘seu rosto’ e acabou conhecendo o escritor de grafite Kriok e o escritor de rua Socinatas CLT”, explica.

E esses encontros despretensiosos, além de se tornarem roda de conversa para falar da cena artística do Grande ABC, renderam um minidocumentário, com produção assinada por Diego Honório, e que será exibido durante todos os sábados da mostra.

São rostos de pioneiros ou de protagonistas do grafite, da escrita de rua, música, hip hop e skate. Além de Bertholini, Kriok e Socinatas, a exposição conta com retratos do rapper Arnaldo Tifu, a atriz Leona Jhovs – militância do movimento em defesa da população trans – e o poeta Sergio Vaz, por exemplo.

Prila explica que a ideia foi dar ênfase à escrita de rua da região, porém, a série fala de cultura de resistência. “Por isso são muitas as vertentes de manifestações culturais que merecem destaque. Procurei, então, retratar segmentos diversos”, explica.

A mostra é interativa e há QR Codes nas peças, que direcionam, pelo smartphone, o visitante à conta de Instagram de cada artista retratado.

Para Prila pintar essas pessoas significa deixar legado para além da nossa existência, que legitime permanentemente a importância da contribuição de cada retratado para a construção da história da cultura underground brasileira. “E para além do círculo acadêmico, que quando se dá ao trabalho de dedicar-se ao tema, geralmente o faz voltado aos próprios acadêmicos, nunca para o fortalecimento da rua. No caso dos 100 Rostos acontece de maneira diferente, já que toda a construção do discurso é pautada pela rua e para a rua em primeiro lugar.”

Além dos trabalhos de Prila, acontece ao mesmo tempo na Casa da Palavra, em paralelo, uma exposição que contará com nove artistas convidados para ocupar o lado de dentro da Casa com suas escritas em peças no formato de shapes de skate. A curadoria é da artista, ao lado de Moisés Martins Fogaça e Diego Honório.

100 Rostos do Underground – Um Estudo das Cenas –
Exposição. Na Casa da Palavra Mário Quintana – Praça do Carmo, em Santo André. De hoje a 4 de novembro. Segunda, das 8h às 17h. Terça a sexta, das 9h às 22h. Sábados, 8h às 17h. Gratuito. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;