Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

No mês da pessoa com deficiência, São Bernardo promove ações culturais inclusivas

Divulgação/PMSBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Jornada Inclusiva, Ciclo de Palestras e oficinas marcam o mês em que é comemorado o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência


Do Dgabc.com.br

19/09/2019 | 15:16


No dia 21 de setembro é celebrado o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência. Para garantir o direito a estes cidadãos, a secretaria de Cultura e Juventude de São Bernardo preparou uma programação inclusiva especial que reforçam as ações permanentes desenvolvidas nos espaços públicos, como leitura e dança voltadas às pessoas com deficiência visual.

Até o final do mês acontece a Jornada Inclusiva, na Biblioteca Malba Tahan, no bairro Rudge Ramos. Para os participantes que querem aprender a escrever na reglete e na máquina braille será realizada, de 23 a 27 de setembro, a Oficina Braillando. Após conhecer o alfabeto, os participantes farão a leitura de textos nesse sistema. É necessária a inscrição pelo telefone ou no local.

As atividades continuam com o Ciclo de Palestras, no dia 26 de setembro, que será realizado com participação de três mulheres que desenvolvem trabalhos que facilitam o acesso à cultura: Thays Martinez (advogada e ativista dos direitos das pessoas cegas), Walkíria Brito (desenvolve trabalho junto à Fundação Dorina Nowill e faz audiolivros, emprestando sua voz para narrar obras da literatura) e Maria Angélica (ativista e especialista em adoção, que irá contar um pouco sobre a situação de jovens e crianças órfãs com deficiência).

De acordo com o secretário de Cultura e Juventude, Adalberto Guazzelli, o governo está investindo e valorizando programações que diversificam as linguagens. “O objetivo é promover atividades culturais de inclusão, onde todos possam participar juntos, estreitando as relações”, explicou.

Na última quarta-feira (18), cerca de 100 crianças da Emeb Professor Otílio de Oliveira, no Rudge Ramos, estiveram na Oficina Ouvir, Sentir, Incluir, onde fizeram, vendadas, percurso pela biblioteca para ter a mesma sensação de uma pessoa sem visão. Além disso, conferiram contação de história, a vida e obra do francês Louis Braille (1809/1852), criador do Sistema Braille. As ações estão sob a responsabilidade da funcionária do espaço, que também é deficiente visual.

Espaço Braille –
Em 2018, o Espaço Braille da Biblioteca Malba Tahan foi contemplado por concurso promovido pelo Governo do Estado com um kit que dá mais autonomia para acesso a todo o acervo, por meio da leitura e áudio. O espaço conta com 1,4 mil livros em Braille e 90 obras faladas, além de impressora, máquina de escrever, computador, ampliador automático, scanner leitor de mesa, teclado ampliado, mouse estacionário e software de voz sintetizada para atuação com o software leitor de tela NVDA. Os usuários podem fazer o empréstimo dos exemplares ou materiais de áudio por 15 dias, com a possibilidade de renovação por telefone ou pessoalmente.

Dança Inclusiva –
Na Escola Municipal de Arte e Educação Integrada (Emaei) Professor Paulo Bugni, a secretaria de Cultura também promove a Oficina de Dança Inclusiva, em parceria com a Secretaria de Educação e o grupo Integrarte da Associação Santo Inácio para Integração do Trabalhador Especial (Asiite). As aulas atendem 24 pessoas com deficiência visual que aprendem, nas quintas-feiras, entre 15h e 16h30, os ritmos forró, bolero, merengue, rock anos 60 e dança circular. Para participar é preciso se inscrever no local.

Para a professora Verônica Dias, a prática da dança ajuda na percepção de espaço, reabilitação do equilíbrio e da forma de se locomover. “Aumenta a consciência corporal, ajuda nas questões respiratórias e de saúde. Existem também benefícios sociais de inclusão e socialização durante a aula”, disse. Ela salienta ainda que a dança é capaz de romper paradigmas “É como superar uma limitação e entender que apesar da deficiência, essas pessoas são capazes de realizar diversas atividades e sempre aprender coisas novas”, acrescentou.

Mais informações pelo portal da Secretaria de Cultura e Juventude www.saobernardo.sp.gov.br/cultura.

Confira a programação:

Oficina Braillando - A partir de 16 anos
4 vagas para cada turma.
De 23 a 27/9/2019 – 10h e 14h

Ciclo de Palestras
Dia 26/9/2019 - 17h

Serviço

Espaço Braille - Biblioteca Malba Tahan
Endereço: Rua Helena Jacquey, 208, bairro Rudge Ramos.
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
Telefone: 4368 1010/4368 8898.

Emaei Professor Paulo Bugni
Endereço: Rua Dr. Flaquer, 824, Centro.
Telefone: 4121-4591.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

No mês da pessoa com deficiência, São Bernardo promove ações culturais inclusivas

Jornada Inclusiva, Ciclo de Palestras e oficinas marcam o mês em que é comemorado o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência

Do Dgabc.com.br

19/09/2019 | 15:16


No dia 21 de setembro é celebrado o Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência. Para garantir o direito a estes cidadãos, a secretaria de Cultura e Juventude de São Bernardo preparou uma programação inclusiva especial que reforçam as ações permanentes desenvolvidas nos espaços públicos, como leitura e dança voltadas às pessoas com deficiência visual.

Até o final do mês acontece a Jornada Inclusiva, na Biblioteca Malba Tahan, no bairro Rudge Ramos. Para os participantes que querem aprender a escrever na reglete e na máquina braille será realizada, de 23 a 27 de setembro, a Oficina Braillando. Após conhecer o alfabeto, os participantes farão a leitura de textos nesse sistema. É necessária a inscrição pelo telefone ou no local.

As atividades continuam com o Ciclo de Palestras, no dia 26 de setembro, que será realizado com participação de três mulheres que desenvolvem trabalhos que facilitam o acesso à cultura: Thays Martinez (advogada e ativista dos direitos das pessoas cegas), Walkíria Brito (desenvolve trabalho junto à Fundação Dorina Nowill e faz audiolivros, emprestando sua voz para narrar obras da literatura) e Maria Angélica (ativista e especialista em adoção, que irá contar um pouco sobre a situação de jovens e crianças órfãs com deficiência).

De acordo com o secretário de Cultura e Juventude, Adalberto Guazzelli, o governo está investindo e valorizando programações que diversificam as linguagens. “O objetivo é promover atividades culturais de inclusão, onde todos possam participar juntos, estreitando as relações”, explicou.

Na última quarta-feira (18), cerca de 100 crianças da Emeb Professor Otílio de Oliveira, no Rudge Ramos, estiveram na Oficina Ouvir, Sentir, Incluir, onde fizeram, vendadas, percurso pela biblioteca para ter a mesma sensação de uma pessoa sem visão. Além disso, conferiram contação de história, a vida e obra do francês Louis Braille (1809/1852), criador do Sistema Braille. As ações estão sob a responsabilidade da funcionária do espaço, que também é deficiente visual.

Espaço Braille –
Em 2018, o Espaço Braille da Biblioteca Malba Tahan foi contemplado por concurso promovido pelo Governo do Estado com um kit que dá mais autonomia para acesso a todo o acervo, por meio da leitura e áudio. O espaço conta com 1,4 mil livros em Braille e 90 obras faladas, além de impressora, máquina de escrever, computador, ampliador automático, scanner leitor de mesa, teclado ampliado, mouse estacionário e software de voz sintetizada para atuação com o software leitor de tela NVDA. Os usuários podem fazer o empréstimo dos exemplares ou materiais de áudio por 15 dias, com a possibilidade de renovação por telefone ou pessoalmente.

Dança Inclusiva –
Na Escola Municipal de Arte e Educação Integrada (Emaei) Professor Paulo Bugni, a secretaria de Cultura também promove a Oficina de Dança Inclusiva, em parceria com a Secretaria de Educação e o grupo Integrarte da Associação Santo Inácio para Integração do Trabalhador Especial (Asiite). As aulas atendem 24 pessoas com deficiência visual que aprendem, nas quintas-feiras, entre 15h e 16h30, os ritmos forró, bolero, merengue, rock anos 60 e dança circular. Para participar é preciso se inscrever no local.

Para a professora Verônica Dias, a prática da dança ajuda na percepção de espaço, reabilitação do equilíbrio e da forma de se locomover. “Aumenta a consciência corporal, ajuda nas questões respiratórias e de saúde. Existem também benefícios sociais de inclusão e socialização durante a aula”, disse. Ela salienta ainda que a dança é capaz de romper paradigmas “É como superar uma limitação e entender que apesar da deficiência, essas pessoas são capazes de realizar diversas atividades e sempre aprender coisas novas”, acrescentou.

Mais informações pelo portal da Secretaria de Cultura e Juventude www.saobernardo.sp.gov.br/cultura.

Confira a programação:

Oficina Braillando - A partir de 16 anos
4 vagas para cada turma.
De 23 a 27/9/2019 – 10h e 14h

Ciclo de Palestras
Dia 26/9/2019 - 17h

Serviço

Espaço Braille - Biblioteca Malba Tahan
Endereço: Rua Helena Jacquey, 208, bairro Rudge Ramos.
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h
Telefone: 4368 1010/4368 8898.

Emaei Professor Paulo Bugni
Endereço: Rua Dr. Flaquer, 824, Centro.
Telefone: 4121-4591.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;