Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Santo André inclui dois imóveis no Minha Casa, Minha Vida

EBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

19/09/2019 | 06:28


Projeto do governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), em trâmite na Câmara, estabelece a inclusão de dois imóveis do município em plano de incentivo para empreendimentos habitacionais do programa federal Minha Casa, Minha Vida, que tem sido afetado por cortes de orçamento da União. A proposta desafeta as áreas e as coloca em condições para constar em chamamentos públicos como parte integrante do pacote para produção de moradias de interesse social. A matéria busca dessa forma diminuir deficit habitacional na cidade, hoje estimado em 31,3 mil residências.

O principal terreno está situado na Avenida Guaratinguetá, no bairro Jardim Alzira Franco, em espaço que compreende cerca de 31,5 mil metros quadrados. O lote estipula 600 unidades no local. A outra área fica na Rua Guabiroba, na divisa entre as vilas Sacadura Cabral e Aquilino. O espaço tem aproximadamente 4.200 metros quadrados. Há previsão de 88 unidades. De acordo com o texto, o município pode subsidiar total ou parcialmente o valor de avaliação do terreno para viabilizar os projetos referentes ao programa federal, destinados à população de baixa renda.

As áreas encontram-se sem utilização pela Prefeitura. “Visando atender ao Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, faz-se necessária a inclusão de novos imóveis ao anexo I da lei número 9.229 de 2010, objetivando a instalação de novos projetos habitacionais no município, ampliando dessa forma a oferta de moradias”, diz trecho do projeto, que na última plenária foi adiado por quatro sessões – estava sobrestando a pauta. O governo retirou o prazo de urgência para “novo aditivo, com adequações no texto”, segundo o articulador do Paço, José de Araújo (PSD).

O programa vem em constante enxugamento pela União. A proposta de Lei Orçamentária de 2020 prevê redução de R$ 1,9 bilhão. Se passar em plenário, apenas R$ 2,7 bilhões serão direcionados ao projeto. Nos últimos dez anos, a média anual da peça foi de R$ 11,3 bilhões. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André inclui dois imóveis no Minha Casa, Minha Vida

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

19/09/2019 | 06:28


Projeto do governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), em trâmite na Câmara, estabelece a inclusão de dois imóveis do município em plano de incentivo para empreendimentos habitacionais do programa federal Minha Casa, Minha Vida, que tem sido afetado por cortes de orçamento da União. A proposta desafeta as áreas e as coloca em condições para constar em chamamentos públicos como parte integrante do pacote para produção de moradias de interesse social. A matéria busca dessa forma diminuir deficit habitacional na cidade, hoje estimado em 31,3 mil residências.

O principal terreno está situado na Avenida Guaratinguetá, no bairro Jardim Alzira Franco, em espaço que compreende cerca de 31,5 mil metros quadrados. O lote estipula 600 unidades no local. A outra área fica na Rua Guabiroba, na divisa entre as vilas Sacadura Cabral e Aquilino. O espaço tem aproximadamente 4.200 metros quadrados. Há previsão de 88 unidades. De acordo com o texto, o município pode subsidiar total ou parcialmente o valor de avaliação do terreno para viabilizar os projetos referentes ao programa federal, destinados à população de baixa renda.

As áreas encontram-se sem utilização pela Prefeitura. “Visando atender ao Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, faz-se necessária a inclusão de novos imóveis ao anexo I da lei número 9.229 de 2010, objetivando a instalação de novos projetos habitacionais no município, ampliando dessa forma a oferta de moradias”, diz trecho do projeto, que na última plenária foi adiado por quatro sessões – estava sobrestando a pauta. O governo retirou o prazo de urgência para “novo aditivo, com adequações no texto”, segundo o articulador do Paço, José de Araújo (PSD).

O programa vem em constante enxugamento pela União. A proposta de Lei Orçamentária de 2020 prevê redução de R$ 1,9 bilhão. Se passar em plenário, apenas R$ 2,7 bilhões serão direcionados ao projeto. Nos últimos dez anos, a média anual da peça foi de R$ 11,3 bilhões. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;