Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Córrego do Bom Jesus: bonito por natureza e surpreendente

Everton Melo/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Reginaldo Pupo
Especial para o Diário

19/09/2019 | 07:00


A 173,7 quilômetros de Santo André está localizada uma das mais belas joias da Serra da Mantiqueira. A cidade de Córrego do Bom Jesus é surpreendente por sua natureza exuberante e preservada, ar puro e por seu povo pacato e hospitaleiro.

O município carrega no próprio nome toda a sua religiosidade. Afinal, trata-se de um dos destinos religiosos mais procurados do Sudeste brasileiro. Em ‘Korggo’ (lê-se ‘córgo’), jeitinho carinhoso e caipira usado pelos antigos para chamar córrego até nos dias de hoje, a tranquilidade é um convite e tanto para quem está em busca de paz e descanso. Suas ruas pacatas, os carros de boi e cavalos que circulam na zona mais rural da cidade dão aquele característico toque mineiro ao lugar.

O destino atrai do turista aventureiro que visita a Pedra de São Domingos ao que busca apenas relaxar, de crianças à melhor idade, do rural ao urbano. Para isso, não basta apenas ouvir falar, ler ou se informar sobre a cidade. É preciso experimentar, saborear e vivenciar tudo o que ela oferece.

E Córrego do Bom Jesus é um destino que proporciona tudo isso aos visitantes. E nem mesmo alguns de seus moradores têm noção dessa importância natural e cultural. Mas o fazem naturalmente. O povo correguense é dono de uma riqueza natural inigualável, surpreendente e apaixonante!

ATRATIVOS
Apesar de pequena (3.800 habitantes), Córrego do Bom Jesus oferece gama de opções de passeios para todos os gostos. São cachoeiras, picos e um santuário cercado por montanhas e belíssima paisagem.

Há opções mais calmas, como um simples passeio pelo Centro ou pela praça principal, onde está o coreto, revelando um cenário bucólico. Na mesma praça está o Santuário Bom Jesus. E aventureiras, como a subida para a Pedra de São Domingos ou para o Pico da Raposa. E alternativas para quem necessita de muita adrenalina e coragem, como os saltos de parapente.

Para quem chega na cidade vindo do município vizinho de Cambuí – que conta com opções de hospedagem e gastronomia principalmente à noite, quando no Córrego as alternativas são mais escassas –, logo se depara com um imenso jardim a céu aberto, com diversas esculturas espalhadas.

O lugar está situado no Centro de Informação Turística. Elas simbolizam homens e mulheres que homenageiam personagens típicos do Córrego, como o leiteiro, o trabalhador da roça, o pescador e os pilotos de voo livre, que fazem a fama da cidade, entre outras personalidades. O ponto alto das festividades anuais da cidade é a tradicional Festa do Padroeiro Senhor Bom Jesus. Córrego foi consagrada Cidade Santuário em 1911 e tornou-se o ponto de peregrinação mais importante da região e recebe milhares de devotos durante a festividade, que simplesmente para a cidade.

Para entender sobre a importância da festa, temos de voltar aos anos de 1865 e 1880, período da fundação do povoado. Naquela época, no território que ainda não havia se tornado cidade, viviam índios, cuja tribo e o contato com a civilização até hoje ainda são desconhecidos, segundo os registros oficiais.

O fundador foi Joaquim Bueno de Morais, que doou um terreno para a formação do patrimônio de uma capela, erguida em homenagem ao Senhor Bom Jesus. A imagem foi esculpida em Portugal por Manoel Soares de Oliveira e pintada pelo dourador João Teixeira, em 1873. Somente em 1889 o povoado, de fato, foi elevado à condição de distrito, quando foi batizado com o nome de Bom Jesus do Córrego. Já em 1953, o distrito foi elevado à categoria de município, mudando seu nome para Córrego do Bom Jesus. A primeira eleição municipal ocorreria em outubro de 1954. 

Pedra de São Domingos traz imagens de tirar o fôlego

Quando Deus fez o mundo, deu uma paradinha em Córrego do Bom Jesus e caprichou quando ainda desenhava os primeiros relevos da cidade. E quando criou a Pedra de São Domingos, o resultado não poderia ser outro: lugar surpreendente, de boas energias e que traz paz interior inexplicável.

Um dos atrativos turísticos mais disputados, a pedra está a 2.050 metros de altitude, sendo um dos picos mais altos do Sul de Minas Gerais. Para se ter uma ideia da altura, de lá é possível observar que a Pedra de São Domingos está acima da Pedra do Baú, que tem uma altura de 1.950 metros, situada em São Bento do Sapucaí (São Paulo).

Para chegar a esse magnífico lugar, leve consigo blusas de frio, água, uma boa dose de disposição e, claro, uma câmera fotográfica ou celular, para registrar esse momento único.

Com a possibilidade de observar tudo em volta em uma visão de 360 graus, além da Pedra do Baú, é possível avistar as cidades de Cambuí, Gonçalves, Estiva e Monte Verde – todas em Minas Gerais – e até Campos do Jordão (São Paulo) e a Rodovia Fernão Dias. À noite dá para ver luzes de Pouso Alegre (Minas Gerais) e Bragança Paulista (São Paulo).

COMO CHEGAR
Pegue a estrada em direção a Gonçalves e acesse saída sinalizada que fica à direita da estrada. Continue pela estrada de terra até a pedra, passando pelo bairro dos Posses. O último quilômetro é o mais íngreme e pode exigir um pouco do veículo. Chegando, é só estacionar o carro ao lado da torre e subir a pedra a pé pela trilha.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;