Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

'Quem resolve é a Petrobras', diz Guedes sobre petróleo



17/09/2019 | 16:57


Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Alvorada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não quis comentar os efeitos que o ataque a refinarias na Arábia Saudita no fim de semana e a consequente alta do preço do petróleo no mercado internacional podem ter sobre os preços dos combustíveis no Brasil.

"Quem resolve é a Petrobras", limitou-se a responder aos jornalistas, ao transitar cercado por seguranças dentro do próprio ministério.

Conforme publicou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o conselho de administração da Petrobras não se manifestou ou pediu explicações à diretoria sobre a manutenção dos preços da gasolina e do óleo diesel nas refinarias, apesar da oscilação brusca do petróleo no mercado internacional na segunda e das notícias de que o presidente Jair Bolsonaro teria telefonado para o presidente da petroleira, Roberto Castello Branco, para tratar dos preços dos derivados.

O estatuto da empresa prevê que a definição dos preços dos combustíveis é uma incumbência da diretoria e não precisa ser submetida ao conselho. Mas, em ocasiões recentes em que houve dúvida sobre a ingerência do governo na decisão da diretoria de manter os preços dos combustíveis inalterados, conselheiros e diretores se reuniram virtualmente para tratar do tema. Dessa vez, porém, não houve qualquer movimentação nesse sentido.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Quem resolve é a Petrobras', diz Guedes sobre petróleo


17/09/2019 | 16:57


Após reunião com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Alvorada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não quis comentar os efeitos que o ataque a refinarias na Arábia Saudita no fim de semana e a consequente alta do preço do petróleo no mercado internacional podem ter sobre os preços dos combustíveis no Brasil.

"Quem resolve é a Petrobras", limitou-se a responder aos jornalistas, ao transitar cercado por seguranças dentro do próprio ministério.

Conforme publicou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o conselho de administração da Petrobras não se manifestou ou pediu explicações à diretoria sobre a manutenção dos preços da gasolina e do óleo diesel nas refinarias, apesar da oscilação brusca do petróleo no mercado internacional na segunda e das notícias de que o presidente Jair Bolsonaro teria telefonado para o presidente da petroleira, Roberto Castello Branco, para tratar dos preços dos derivados.

O estatuto da empresa prevê que a definição dos preços dos combustíveis é uma incumbência da diretoria e não precisa ser submetida ao conselho. Mas, em ocasiões recentes em que houve dúvida sobre a ingerência do governo na decisão da diretoria de manter os preços dos combustíveis inalterados, conselheiros e diretores se reuniram virtualmente para tratar do tema. Dessa vez, porém, não houve qualquer movimentação nesse sentido.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;