Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

"Não vamos insistir na CPMF", afirma Bolsonaro



16/09/2019 | 23:06


O presidente Jair Bolsonaro declarou que não irá insistir na criação de um imposto nos moldes da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Em entrevista à RecordTV exibida na noite desta segunda-feira, 16, Bolsonaro afirmou que até se pode falar em CPMF e deixar o povo discutir, mas "não pode ser uma proposta de governo".

Ele disse que o então secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, ficou "insustentável" no cargo depois de defender a criação de uma nova CPMF e que quem o exonerou foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. Cintra foi demitido na semana passada.

Bolsonaro afirmou ainda esperar um "impacto muito rápido" na economia com os saques de R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que começaram no fim de semana. Segundo o presidente, a situação econômica não está ainda nos níveis que ele esperava.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

"Não vamos insistir na CPMF", afirma Bolsonaro


16/09/2019 | 23:06


O presidente Jair Bolsonaro declarou que não irá insistir na criação de um imposto nos moldes da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Em entrevista à RecordTV exibida na noite desta segunda-feira, 16, Bolsonaro afirmou que até se pode falar em CPMF e deixar o povo discutir, mas "não pode ser uma proposta de governo".

Ele disse que o então secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, ficou "insustentável" no cargo depois de defender a criação de uma nova CPMF e que quem o exonerou foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. Cintra foi demitido na semana passada.

Bolsonaro afirmou ainda esperar um "impacto muito rápido" na economia com os saques de R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que começaram no fim de semana. Segundo o presidente, a situação econômica não está ainda nos níveis que ele esperava.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;