Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Sem Guaidó, parte da oposição aceita negociar com Maduro na Venezuela



16/09/2019 | 20:40


Um grupo de partidos oposicionistas minoritários concordou em iniciar negociações com o governo do presidente Nicolás Maduro, em princípio deixando à margem as organizações partidárias que apoiam o líder opositor Juan Guaidó, reconhecido por cerca de 50 países, entre eles os Estados Unidos, como líder legítimo da nação sul-americana.

O acordo foi assinado nesta segunda-feira por representantes de várias forças minoritárias, algumas fundadas por ex-membros da aliança governista, junto com os principais assessores de Maduro em um evento que teve a presença de diplomatas estrangeiros.

O episódio marca a primeira grande divisão entre os grupos contrários a Maduro desde que Guaidó se declarou em janeiro presidente interino do país, argumentando que o presidente socialista foi reeleito em maio de 2018 em eleições fraudulentas.

Poucos minutos depois, Guaidó avaliou como uma "manobra" do governo o anúncio realizado pelos partidos minoritários de participar do diálogo paralelo. Ele lembrou que no passado o governo de Maduro tentou diálogo com outros opositores, sem nenhuma solução.

Entre os que participarão do diálogo está o partido Avanzada Progresista, do ex-candidato presidencial e ex-dirigente governista Henry Falcón, que participou da eleição de 2018 e declarou fraude na disputa vencida por Maduro. O Movimento ao Socialismo (MAS), que formou parte do governo durante anos, também aceitou dialogar, junto com o Movimento REDES, do ex-prefeito de Caracas e ex-dirigente governista Juan Barreto, e o Movimiento Soluciones, fundado por Claudio Fermín, ex-militante do partido oposicionista Acción Democrática, conhecido por suas posturas de conciliação. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem Guaidó, parte da oposição aceita negociar com Maduro na Venezuela


16/09/2019 | 20:40


Um grupo de partidos oposicionistas minoritários concordou em iniciar negociações com o governo do presidente Nicolás Maduro, em princípio deixando à margem as organizações partidárias que apoiam o líder opositor Juan Guaidó, reconhecido por cerca de 50 países, entre eles os Estados Unidos, como líder legítimo da nação sul-americana.

O acordo foi assinado nesta segunda-feira por representantes de várias forças minoritárias, algumas fundadas por ex-membros da aliança governista, junto com os principais assessores de Maduro em um evento que teve a presença de diplomatas estrangeiros.

O episódio marca a primeira grande divisão entre os grupos contrários a Maduro desde que Guaidó se declarou em janeiro presidente interino do país, argumentando que o presidente socialista foi reeleito em maio de 2018 em eleições fraudulentas.

Poucos minutos depois, Guaidó avaliou como uma "manobra" do governo o anúncio realizado pelos partidos minoritários de participar do diálogo paralelo. Ele lembrou que no passado o governo de Maduro tentou diálogo com outros opositores, sem nenhuma solução.

Entre os que participarão do diálogo está o partido Avanzada Progresista, do ex-candidato presidencial e ex-dirigente governista Henry Falcón, que participou da eleição de 2018 e declarou fraude na disputa vencida por Maduro. O Movimento ao Socialismo (MAS), que formou parte do governo durante anos, também aceitou dialogar, junto com o Movimento REDES, do ex-prefeito de Caracas e ex-dirigente governista Juan Barreto, e o Movimiento Soluciones, fundado por Claudio Fermín, ex-militante do partido oposicionista Acción Democrática, conhecido por suas posturas de conciliação. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;