Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Diadema abre licitação para obra de praça no núcleo habitacional Beira-Rio

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Equipamento está orçado em R$ 741 mil e será feito com aporte da União


Flavia Kurotori
Diário do Grande ABC

15/09/2019 | 07:00


A Prefeitura de Diadema abriu, neste mês, licitação por tomada de preços para construção da Praça Ana Maria, no bairro Serraria. O equipamento é a quinta etapa do processo de urbanização do complexo Beira-Rio, e o investimento previsto é de R$ 741,2 mil, provenientes integralmente da União. A informação foi publicada no Diário Oficial da última semana.

De acordo com a Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano do município, o espaço terá área de lazer e convivência, com pistas para caminhada e de skate, além de academia ao ar livre. O terreno, que fica no fim da Rua Ana Maria, é área livre, onde moradores do bairro indicam que usuários de drogas se reúnem.

Mariluce Martins Diogo, 53 anos, moradora do bairro desde a infância, avalia que a construção da praça é boa, contudo, teme que falte monitoramento, o que atrairia usuários de drogas. “(A construção da praça) É ótima, principalmente para quem é de idade e busca um lugar para caminhar, e para as crianças, que terão onde brincar. Mas, infelizmente, pode acontecer igual a outras pracinhas da região, que acabaram ficando inseguras”, observa.

Residente no bairro há 38 anos, Maria de Lourdes Barbosa Silva, 69, compartilha da opinião. “Essa praça só será boa se tiver segurança e, para isso, precisaria ser fechada e monitorada”, destaca. Já Edineide Lisboa, 50, pondera que a vizinhança tem outras demandas que seriam mais úteis à população. “O espaço seria melhor aproveitado se fosse construída uma creche ou escola”, opina.

No entanto, a gestão do prefeito Lauro Michels (PV) garante que, à época da projeção da Praça Ana Maria, a questão foi discutida com a população, como síndicos de conjuntos habitacionais da região. Assim, o equipamento seria uma solicitação dos próprios moradores, que carecem de áreas de lazer.

Em relação à segurança, a Prefeitura garante que está em constante tratativa com as polícias Civil e Militar para resolver a questão da segurança em toda a cidade. A área de lazer será cercada e irá ser contemplada com patrulhamento.

A Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano assegura que prazo para conclusão da obra é de quatro meses, porém, ainda não há data para início da construção. O Ministério do Desenvolvimento Regional afirma que a definição depende de envio da AIO (Autorização de Início de Execução do Objeto), informando nos parâmetros legais que a obra será retomada, pela Caixa, mandatária da União.

Vale destacar que o projeto da urbanização do complexo Beira-Rio foi selecionado em 2009, e o termo de compromisso, assinado no mesmo ano. O aporte previsto era de R$ 687,7 mil, entretanto, a Prefeitura garante que o montante será de R$ 741,2 mil por causa de juros variados.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diadema abre licitação para obra de praça no núcleo habitacional Beira-Rio

Equipamento está orçado em R$ 741 mil e será feito com aporte da União

Flavia Kurotori
Diário do Grande ABC

15/09/2019 | 07:00


A Prefeitura de Diadema abriu, neste mês, licitação por tomada de preços para construção da Praça Ana Maria, no bairro Serraria. O equipamento é a quinta etapa do processo de urbanização do complexo Beira-Rio, e o investimento previsto é de R$ 741,2 mil, provenientes integralmente da União. A informação foi publicada no Diário Oficial da última semana.

De acordo com a Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano do município, o espaço terá área de lazer e convivência, com pistas para caminhada e de skate, além de academia ao ar livre. O terreno, que fica no fim da Rua Ana Maria, é área livre, onde moradores do bairro indicam que usuários de drogas se reúnem.

Mariluce Martins Diogo, 53 anos, moradora do bairro desde a infância, avalia que a construção da praça é boa, contudo, teme que falte monitoramento, o que atrairia usuários de drogas. “(A construção da praça) É ótima, principalmente para quem é de idade e busca um lugar para caminhar, e para as crianças, que terão onde brincar. Mas, infelizmente, pode acontecer igual a outras pracinhas da região, que acabaram ficando inseguras”, observa.

Residente no bairro há 38 anos, Maria de Lourdes Barbosa Silva, 69, compartilha da opinião. “Essa praça só será boa se tiver segurança e, para isso, precisaria ser fechada e monitorada”, destaca. Já Edineide Lisboa, 50, pondera que a vizinhança tem outras demandas que seriam mais úteis à população. “O espaço seria melhor aproveitado se fosse construída uma creche ou escola”, opina.

No entanto, a gestão do prefeito Lauro Michels (PV) garante que, à época da projeção da Praça Ana Maria, a questão foi discutida com a população, como síndicos de conjuntos habitacionais da região. Assim, o equipamento seria uma solicitação dos próprios moradores, que carecem de áreas de lazer.

Em relação à segurança, a Prefeitura garante que está em constante tratativa com as polícias Civil e Militar para resolver a questão da segurança em toda a cidade. A área de lazer será cercada e irá ser contemplada com patrulhamento.

A Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano assegura que prazo para conclusão da obra é de quatro meses, porém, ainda não há data para início da construção. O Ministério do Desenvolvimento Regional afirma que a definição depende de envio da AIO (Autorização de Início de Execução do Objeto), informando nos parâmetros legais que a obra será retomada, pela Caixa, mandatária da União.

Vale destacar que o projeto da urbanização do complexo Beira-Rio foi selecionado em 2009, e o termo de compromisso, assinado no mesmo ano. O aporte previsto era de R$ 687,7 mil, entretanto, a Prefeitura garante que o montante será de R$ 741,2 mil por causa de juros variados.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;