Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Fundo Social de Santo André forma mais 467 profissionais

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Capacitação tem como objetivo aumentar a geração de emprego e renda no município


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

14/09/2019 | 07:00


O Fundo Social de Solidariedade de Santo André formou, ontem, mais 467 moradores que realizaram cursos profissionalizantes variados em 2019, tais como de assistente de cabeleireiro, maquiagem, manicure, depilação e design de sobrancelha, padaria artesanal e corte e costura.<EM>

O prefeito Paulo Serra (PSDB) destacou que as formações contribuem para a geração de emprego e renda na cidade. “O Fundo Social de Solidariedade está ampliando a oferta de cursos profissionalizantes e chegando às comunidades que mais precisam. Uma verdadeira transformação de vida para os alunos.” 

“O grande poder transformador dos cursos de capacitação confere dignidade, autoestima, estimula novos sonhos e dá rumos às pessoas”, afirmou Ana Carolina Barreto Serra, presidente do Fundo Social. “Todos nós tivemos coragem para enfrentar inúmeras dificuldades para chegar até aqui, nesta conquista.”

Moradora do bairro Sacadura Cabral, Jeane dos Santos Sousa, 34 anos, se formou no curso de corte e costura. “Minha vida mudou totalmente porque saí de um emprego como recepcionista e comecei a atuar com corte e costura, onde o dinheiro entra mais rápida e tenho a vantagem de trabalhar em casa”, contou. 

A inspiração para iniciar o curso veio da vizinha, que possui uma confecção, onde Jeane atua há cinco meses. “Antes, não conseguia segurar uma agulha para colocar um botão. Hoje, minha renda é toda proveniente do corte e costura e é uma área que pretendo seguir daqui em diante.”

Já Shayane da Silva Mendes, 34, residente da Vila América, fez o curso de confeiteira. “Eu já tinha feito alguns cursos na área, mas busquei esta formação para adquirir mais conhecimento, precisamos estar sempre aprendendo”, afirmou. “Este curso é nota dez.” 

Atualmente, Shayane está em um emprego pela Frente de Trabalho de Santo André, cujo contrato termina nos próximos meses, e também é cabeleireira. “Estou praticando, fazendo bolos para meus amigos, para ganhar experiência e, futuramente, seguir nessa carreira”, relatou. “Aliás, o bolo do meu aniversário, na semana que vem, eu que vou fazer”, afimrou. 

O programa formou 1.570 pessoas desde 2017. Os cursos são gratuitos e podem participar maiores de 16 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fundo Social de Santo André forma mais 467 profissionais

Capacitação tem como objetivo aumentar a geração de emprego e renda no município

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

14/09/2019 | 07:00


O Fundo Social de Solidariedade de Santo André formou, ontem, mais 467 moradores que realizaram cursos profissionalizantes variados em 2019, tais como de assistente de cabeleireiro, maquiagem, manicure, depilação e design de sobrancelha, padaria artesanal e corte e costura.<EM>

O prefeito Paulo Serra (PSDB) destacou que as formações contribuem para a geração de emprego e renda na cidade. “O Fundo Social de Solidariedade está ampliando a oferta de cursos profissionalizantes e chegando às comunidades que mais precisam. Uma verdadeira transformação de vida para os alunos.” 

“O grande poder transformador dos cursos de capacitação confere dignidade, autoestima, estimula novos sonhos e dá rumos às pessoas”, afirmou Ana Carolina Barreto Serra, presidente do Fundo Social. “Todos nós tivemos coragem para enfrentar inúmeras dificuldades para chegar até aqui, nesta conquista.”

Moradora do bairro Sacadura Cabral, Jeane dos Santos Sousa, 34 anos, se formou no curso de corte e costura. “Minha vida mudou totalmente porque saí de um emprego como recepcionista e comecei a atuar com corte e costura, onde o dinheiro entra mais rápida e tenho a vantagem de trabalhar em casa”, contou. 

A inspiração para iniciar o curso veio da vizinha, que possui uma confecção, onde Jeane atua há cinco meses. “Antes, não conseguia segurar uma agulha para colocar um botão. Hoje, minha renda é toda proveniente do corte e costura e é uma área que pretendo seguir daqui em diante.”

Já Shayane da Silva Mendes, 34, residente da Vila América, fez o curso de confeiteira. “Eu já tinha feito alguns cursos na área, mas busquei esta formação para adquirir mais conhecimento, precisamos estar sempre aprendendo”, afirmou. “Este curso é nota dez.” 

Atualmente, Shayane está em um emprego pela Frente de Trabalho de Santo André, cujo contrato termina nos próximos meses, e também é cabeleireira. “Estou praticando, fazendo bolos para meus amigos, para ganhar experiência e, futuramente, seguir nessa carreira”, relatou. “Aliás, o bolo do meu aniversário, na semana que vem, eu que vou fazer”, afimrou. 

O programa formou 1.570 pessoas desde 2017. Os cursos são gratuitos e podem participar maiores de 16 anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;