Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 18 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Tricampeão olímpico do snowboard disputa Mundial de Skate de olho em Tóquio-2020



13/09/2019 | 19:17


Shaun White é uma lenda do snowboard. É tricampeão dos Jogos Olímpicos de Inverno no halfpipe, mas agora sonha representar os Estados Unidos na estreia do skate em Tóquio-2020. A tarefa é complicada, mas nesta sexta-feira ele deu um passo importante ao se classificar para a semifinal do Mundial de Park, que está sendo disputado em São Paulo.

O atleta ficou com a penúltima vaga, mas agora a pontuação será zerada e ele poderá tentar avançar até a final. "É um pouco diferente. No skate a volta dura mais tempo, é mais técnico e as coisas podem dar errado com mais frequência, enquanto no snowboard você vai mais rápido, mais alto, é algo maior. São diferenças enormes e estou aprendendo e melhorando", diz.

Quando era jovem, ele chegou a ter bons resultados no skate, mas depois optou pelo outro esporte de prancha. "Eu era profissional do skate quando tinha 16 anos. Eu atingi meus objetivos, fui campeão dos X-Games, mas aí ficou muito desgastante fisicamente competir em modalidades de verão e inverno a cada temporada. Resolvi dar um descanso, cheguei a tocar guitarra em uma banda, então fazia snowboard no inverno e música no verão", conta, rindo.

Aos 33 anos, White lembra que, quando era um garoto e praticava snowboard, na escola diziam que ele deveria escolher outro esporte porque aquele não era olímpico. Ele sabia que a modalidade precisava de um "carimbo" olímpico, o que aconteceu depois, e que agora isso vai se realizar no skate também.

"Estou muito empolgado com o skate na Olimpíada. Eu sei o que ocorreu com o snowboard quando isso aconteceu. Houve mais atenção para esse esporte, mais dinheiro para a indústria do snowboard e construiu todos os atletas como eu. Nós temos a possibilidade de atuar nesse palco mundial. Isso significa muito", afirma.

Para se preparar para o Mundial, White chegou ao Brasil com bastante antecedência. Murilo Peres, brasileiro mais bem classificado para a semifinal (3º), chegou a andar com o norte-americano em uns treinos. "Ele está aqui há um mês e andamos juntos na pista. É um cara legal, está mais descontraído e correndo atrás da vaga olímpica", revelou o brasileiro.

Shaun White sabe que precisa melhorar, mas está disposto a fazer um sacrifício para participar de mais uma edição da Olimpíada. Para ele, o Mundial no Brasil será um termômetro. "Quando o skate entrou no programa olímpico, isso me deu uma motivação incrível para meu retorno à modalidade de maneira profissional. Eu tive meus momentos no skate e agora vou um passo de cada vez. Ainda não estou totalmente comprometido a ir para a Olimpíada no skate. Então vou analisar como me saí nessa competição e só então tomar uma decisão", avisa.

No feminino, quem se classificou com a melhor pontuação para as semifinais foi a britânica Sky Brown, de apenas 11 anos. Ela marcou 59,00 pontos, enquanto a segunda colocada foi a japonesa Mami Tezuka, que fez 48. Neste sábado, as semifinais das mulheres serão realizadas a partir das 9h50 e as oito mais bem colocadas avançam para a final, às 15h35. No masculino, as semifinais serão às 13h15, enquanto a final começará às 10h15 de domingo. O evento está sendo realizado no Parque Cândido Portinari, em São Paulo, com entrada franca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tricampeão olímpico do snowboard disputa Mundial de Skate de olho em Tóquio-2020


13/09/2019 | 19:17


Shaun White é uma lenda do snowboard. É tricampeão dos Jogos Olímpicos de Inverno no halfpipe, mas agora sonha representar os Estados Unidos na estreia do skate em Tóquio-2020. A tarefa é complicada, mas nesta sexta-feira ele deu um passo importante ao se classificar para a semifinal do Mundial de Park, que está sendo disputado em São Paulo.

O atleta ficou com a penúltima vaga, mas agora a pontuação será zerada e ele poderá tentar avançar até a final. "É um pouco diferente. No skate a volta dura mais tempo, é mais técnico e as coisas podem dar errado com mais frequência, enquanto no snowboard você vai mais rápido, mais alto, é algo maior. São diferenças enormes e estou aprendendo e melhorando", diz.

Quando era jovem, ele chegou a ter bons resultados no skate, mas depois optou pelo outro esporte de prancha. "Eu era profissional do skate quando tinha 16 anos. Eu atingi meus objetivos, fui campeão dos X-Games, mas aí ficou muito desgastante fisicamente competir em modalidades de verão e inverno a cada temporada. Resolvi dar um descanso, cheguei a tocar guitarra em uma banda, então fazia snowboard no inverno e música no verão", conta, rindo.

Aos 33 anos, White lembra que, quando era um garoto e praticava snowboard, na escola diziam que ele deveria escolher outro esporte porque aquele não era olímpico. Ele sabia que a modalidade precisava de um "carimbo" olímpico, o que aconteceu depois, e que agora isso vai se realizar no skate também.

"Estou muito empolgado com o skate na Olimpíada. Eu sei o que ocorreu com o snowboard quando isso aconteceu. Houve mais atenção para esse esporte, mais dinheiro para a indústria do snowboard e construiu todos os atletas como eu. Nós temos a possibilidade de atuar nesse palco mundial. Isso significa muito", afirma.

Para se preparar para o Mundial, White chegou ao Brasil com bastante antecedência. Murilo Peres, brasileiro mais bem classificado para a semifinal (3º), chegou a andar com o norte-americano em uns treinos. "Ele está aqui há um mês e andamos juntos na pista. É um cara legal, está mais descontraído e correndo atrás da vaga olímpica", revelou o brasileiro.

Shaun White sabe que precisa melhorar, mas está disposto a fazer um sacrifício para participar de mais uma edição da Olimpíada. Para ele, o Mundial no Brasil será um termômetro. "Quando o skate entrou no programa olímpico, isso me deu uma motivação incrível para meu retorno à modalidade de maneira profissional. Eu tive meus momentos no skate e agora vou um passo de cada vez. Ainda não estou totalmente comprometido a ir para a Olimpíada no skate. Então vou analisar como me saí nessa competição e só então tomar uma decisão", avisa.

No feminino, quem se classificou com a melhor pontuação para as semifinais foi a britânica Sky Brown, de apenas 11 anos. Ela marcou 59,00 pontos, enquanto a segunda colocada foi a japonesa Mami Tezuka, que fez 48. Neste sábado, as semifinais das mulheres serão realizadas a partir das 9h50 e as oito mais bem colocadas avançam para a final, às 15h35. No masculino, as semifinais serão às 13h15, enquanto a final começará às 10h15 de domingo. O evento está sendo realizado no Parque Cândido Portinari, em São Paulo, com entrada franca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;