Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Cunhado de Ana Hickmann é novamente absolvido pela Justiça

Reprodução/Instragram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/09/2019 | 16:10


Como você viu, Gustavo Correa foi ao Tribunal de Justiça de Belo Horizonte nesta terça-feira, dia 10, para responder à uma acusação de homicídio doloso, quando há intenção de matar. O cunhado de Ana Hickmann foi notificado por um episódio que aconteceu em 2016, quando um jovem chamado Rodrigo Augusto de Pádua invadiu o quarto de hotel onde Hickmann estava e a fez de refém junto com a sua assessora, Giovanna Oliveira, na época esposa de Gustavo. O empresário, então, acabou entrando em luta corporal com Pádua, que portava uma arma de fogo. Gustavo conseguiu desarmar o invasor e fez três disparos contra ele, que morreu. Após investigações, a Justiça entendeu que o empresário se excedeu ao dar os três tiros em Pádua, e então o acusou de homicídio. De lá para cá, ele enfrentou um júri e foi absolvido em primeira instância - e aguardava o julgamento desta terça para encerrar de vez este caso.

Felizmente para Gustavo, o resultado foi positivo. A Justiça decidiu manter a sua absolvição quando três relatores votaram a favor dele no julgamento. Nas redes sociais, o empresário postou uma mensagem breve sobre o assunto, como você pode ver abaixo:

O que é certo, é certo, mesmo que ninguém esteja vendo! 3 x 0, escreveu Gustavo.

Ao G1, o cunhado de Ana Hickmann ainda disse o seguinte:

- Foram três votos a zero. No meu entendimento de leigo, com tudo que o [advogado] Fernando José Costa tentou me explicar, parece que vai ter fim. Eu vim confiante, mas não vim com o jogo ganho. A gente nunca sabe o que pode acontecer, a gente só pode falar pela nossa cabeça. Mas a gente sentiu um sentimento de alívio muito grande. Eu falei com meu irmão, com a Ana e com a minha mãe. Todo mundo muito satisfeito com o resultado. Agora é voltar para São Paulo, comemorar e ficar todo mundo junto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cunhado de Ana Hickmann é novamente absolvido pela Justiça


10/09/2019 | 16:10


Como você viu, Gustavo Correa foi ao Tribunal de Justiça de Belo Horizonte nesta terça-feira, dia 10, para responder à uma acusação de homicídio doloso, quando há intenção de matar. O cunhado de Ana Hickmann foi notificado por um episódio que aconteceu em 2016, quando um jovem chamado Rodrigo Augusto de Pádua invadiu o quarto de hotel onde Hickmann estava e a fez de refém junto com a sua assessora, Giovanna Oliveira, na época esposa de Gustavo. O empresário, então, acabou entrando em luta corporal com Pádua, que portava uma arma de fogo. Gustavo conseguiu desarmar o invasor e fez três disparos contra ele, que morreu. Após investigações, a Justiça entendeu que o empresário se excedeu ao dar os três tiros em Pádua, e então o acusou de homicídio. De lá para cá, ele enfrentou um júri e foi absolvido em primeira instância - e aguardava o julgamento desta terça para encerrar de vez este caso.

Felizmente para Gustavo, o resultado foi positivo. A Justiça decidiu manter a sua absolvição quando três relatores votaram a favor dele no julgamento. Nas redes sociais, o empresário postou uma mensagem breve sobre o assunto, como você pode ver abaixo:

O que é certo, é certo, mesmo que ninguém esteja vendo! 3 x 0, escreveu Gustavo.

Ao G1, o cunhado de Ana Hickmann ainda disse o seguinte:

- Foram três votos a zero. No meu entendimento de leigo, com tudo que o [advogado] Fernando José Costa tentou me explicar, parece que vai ter fim. Eu vim confiante, mas não vim com o jogo ganho. A gente nunca sabe o que pode acontecer, a gente só pode falar pela nossa cabeça. Mas a gente sentiu um sentimento de alívio muito grande. Eu falei com meu irmão, com a Ana e com a minha mãe. Todo mundo muito satisfeito com o resultado. Agora é voltar para São Paulo, comemorar e ficar todo mundo junto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;