Fechar
Publicidade

Domingo, 22 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Perto de rescindir contrato, Bryan Ruiz diz que tem dinheiro a receber do Santos

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/09/2019 | 11:03


O meia Bryan Ruiz está com a seleção da Costa Rica para um período de treinamentos e a disputa de um amistoso contra o Uruguai nesta data Fifa de setembro, mas a cabeça ainda está voltada para o Santos. Em entrevista para meios de comunicação de seu país, o jogador revelou que ainda não acertou a rescisão de seu contrato com o clube porque a diretoria precisa cumprir alguns acordos financeiros.

"Não chegamos a uma rescisão amigável porque o Santos precisa dar o primeiro passo, cumprir com coisas que não cumpriu (financeiramente). Até cumprir espero uma solução", afirmou o meia aos canais de TV Teletica Deportes e Deportes Repretel, ambos da Costa Rica, que espera que o problema seja resolvido até dezembro deste ano.

"Quero uma solução o mais rápido possível. O Santos tem que tomar uma decisão, precisamos de um acordo que não ocorreu. Três meses serão difíceis até a janela (de transferências). Que em dezembro possamos chegar a uma solução", prosseguiu Bryan Ruiz, que mesmo sem espaço com o técnico argentino Jorge Sampaoli ainda treina com o time principal.

O meia costarriquenho está desde novembro do ano passado sem atuar pelo Santos. Seu último jogo foi contra a Chapecoense, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. Nos últimos 30 dias, a diretoria tentou encaixar o jogador em clubes da Turquia ou do mundo árabe, mas não teve sucesso.

Discreto, Bryan Ruiz disse que comenta pouco do assunto em seu cotidiano no CT Rei Pelé, em Santos. "Meus companheiros brasileiros são um pouco frios nessa situação, falo um pouco com os latinos. Não compartilho muito desse assunto. Futebol é assim, tive quatro meses em Portugal e voltei ao time. Sou paciente, gosto de fazer as coisas bem. Faço nada mal e espero que as coisas deem certo", explicou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Perto de rescindir contrato, Bryan Ruiz diz que tem dinheiro a receber do Santos


10/09/2019 | 11:03


O meia Bryan Ruiz está com a seleção da Costa Rica para um período de treinamentos e a disputa de um amistoso contra o Uruguai nesta data Fifa de setembro, mas a cabeça ainda está voltada para o Santos. Em entrevista para meios de comunicação de seu país, o jogador revelou que ainda não acertou a rescisão de seu contrato com o clube porque a diretoria precisa cumprir alguns acordos financeiros.

"Não chegamos a uma rescisão amigável porque o Santos precisa dar o primeiro passo, cumprir com coisas que não cumpriu (financeiramente). Até cumprir espero uma solução", afirmou o meia aos canais de TV Teletica Deportes e Deportes Repretel, ambos da Costa Rica, que espera que o problema seja resolvido até dezembro deste ano.

"Quero uma solução o mais rápido possível. O Santos tem que tomar uma decisão, precisamos de um acordo que não ocorreu. Três meses serão difíceis até a janela (de transferências). Que em dezembro possamos chegar a uma solução", prosseguiu Bryan Ruiz, que mesmo sem espaço com o técnico argentino Jorge Sampaoli ainda treina com o time principal.

O meia costarriquenho está desde novembro do ano passado sem atuar pelo Santos. Seu último jogo foi contra a Chapecoense, no estádio do Pacaembu, em São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. Nos últimos 30 dias, a diretoria tentou encaixar o jogador em clubes da Turquia ou do mundo árabe, mas não teve sucesso.

Discreto, Bryan Ruiz disse que comenta pouco do assunto em seu cotidiano no CT Rei Pelé, em Santos. "Meus companheiros brasileiros são um pouco frios nessa situação, falo um pouco com os latinos. Não compartilho muito desse assunto. Futebol é assim, tive quatro meses em Portugal e voltei ao time. Sou paciente, gosto de fazer as coisas bem. Faço nada mal e espero que as coisas deem certo", explicou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;