Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Empresas de transporte sugerem lei para suspensão da atividade de quem vende produto roubado no ABC

Divulgação/Consórcio ABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Representantes do setor visitaram Consórcio Intermunicipal Grande ABC e fizeram proposta aos municípios


Do Dgabc.com.br

02/09/2019 | 16:32


O Consórcio Intermunicipal Grande ABC recebeu na manhã desta segunda-feira (2) lideranças do Setrans (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do ABC) e da o Fetcesp (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paul). Na reunião, os representantes do setor sugeriram a implementação de penalidades mais duras às empresas que forem flagradas comercializando produtos de origem ilícita.

As duas entidades solicitaram ao Consórcio ABC a articulação de um projeto de lei regional que preveja a suspensão imediata de estabelecimentos que sejam receptadores de carga roubada até que seja finalizado o processo para cassação do alvará de funcionamento da empresa.

A categoria sugeriu que seja formalizado um texto único para que o mesmo seja encaminhado para às Câmaras das sete cidades. “Recebemos a proposta e devemos debatê-la dentro dos nossos GTs (Grupos de Trabalho)”, afirmou o secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, que recepcionou os visitantes.

Segundo os representantes do setor, os principais focos do roubo de cargas na região têm sido pneus, polietileno, autopeças e cosméticos. “É importante para os municípios da região criarem mecanismos para evitar a receptação e comércio ilegal destes produtos, já que essa prática, além de ser incentivo ao crime, faz com que as prefeituras deixem de arrecadar com impostos”, afirmou Brandão.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Empresas de transporte sugerem lei para suspensão da atividade de quem vende produto roubado no ABC

Representantes do setor visitaram Consórcio Intermunicipal Grande ABC e fizeram proposta aos municípios

Do Dgabc.com.br

02/09/2019 | 16:32


O Consórcio Intermunicipal Grande ABC recebeu na manhã desta segunda-feira (2) lideranças do Setrans (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do ABC) e da o Fetcesp (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paul). Na reunião, os representantes do setor sugeriram a implementação de penalidades mais duras às empresas que forem flagradas comercializando produtos de origem ilícita.

As duas entidades solicitaram ao Consórcio ABC a articulação de um projeto de lei regional que preveja a suspensão imediata de estabelecimentos que sejam receptadores de carga roubada até que seja finalizado o processo para cassação do alvará de funcionamento da empresa.

A categoria sugeriu que seja formalizado um texto único para que o mesmo seja encaminhado para às Câmaras das sete cidades. “Recebemos a proposta e devemos debatê-la dentro dos nossos GTs (Grupos de Trabalho)”, afirmou o secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, que recepcionou os visitantes.

Segundo os representantes do setor, os principais focos do roubo de cargas na região têm sido pneus, polietileno, autopeças e cosméticos. “É importante para os municípios da região criarem mecanismos para evitar a receptação e comércio ilegal destes produtos, já que essa prática, além de ser incentivo ao crime, faz com que as prefeituras deixem de arrecadar com impostos”, afirmou Brandão.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;