Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Com 'pânico' pós-downgrade da Argentina, BCRA pode comprar títulos no mercado



30/08/2019 | 14:32


O Banco Central da República Argentina (BCRA) circulou nesta sexta-feira a Comunicação A 6767 estipulando que poderá comprar no mercado secundário títulos como Letras do Tesouro Capitalizáveis (Lecaps) em pesos e Letras do Tesouro (Letes) em dólares, "a preço único ou múltiplo e pro rata". As operações serão realizadas por meio de leilões "dos quais poderão participar somente os Fundos Comuns de Investimento por meio de instituições financeiras".

Ao Broadcast, o economista argentino Gabriel Zelpo afirmou tratar-se de uma medida para dar liquidez a esses fundos, frente ao "pânico" nos mercados com o rebaixamento, ontem, do rating da Argentina pela agência de classificação de risco S&P Global Ratings de B- para SD (default seletivo), que levou a uma onda de resgates por poupadores.

"Como medida paliativa e para poder responder aos resgates dos poupadores, o BCRA dá liquidez", explica Zelpo.

Rating.

Ainda na quinta-feira, o Ministério da Fazenda do país vizinho dizia que a qualificação de calote seletivo pela S&P "estará em vigência só por um dia", apontando para trecho do comunicado da agência de classificação de risco segundo o qual, "como os novos termos" para os repagamentos da dívida de curto prazo "se tornam efetivos imediatamente, o default também foi curado".

"Portanto, planejamos elevar os ratings de longo prazo para CCC- e os de curto prazo para C em 30 de agosto", escreveu a S&P.

Há pouco, o Ministério da Fazenda divulgou o calendário com as novas datas de repagamento da dívida, passo apontado como condição para que a agência efetive a elevação dos ratings.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com 'pânico' pós-downgrade da Argentina, BCRA pode comprar títulos no mercado


30/08/2019 | 14:32


O Banco Central da República Argentina (BCRA) circulou nesta sexta-feira a Comunicação A 6767 estipulando que poderá comprar no mercado secundário títulos como Letras do Tesouro Capitalizáveis (Lecaps) em pesos e Letras do Tesouro (Letes) em dólares, "a preço único ou múltiplo e pro rata". As operações serão realizadas por meio de leilões "dos quais poderão participar somente os Fundos Comuns de Investimento por meio de instituições financeiras".

Ao Broadcast, o economista argentino Gabriel Zelpo afirmou tratar-se de uma medida para dar liquidez a esses fundos, frente ao "pânico" nos mercados com o rebaixamento, ontem, do rating da Argentina pela agência de classificação de risco S&P Global Ratings de B- para SD (default seletivo), que levou a uma onda de resgates por poupadores.

"Como medida paliativa e para poder responder aos resgates dos poupadores, o BCRA dá liquidez", explica Zelpo.

Rating.

Ainda na quinta-feira, o Ministério da Fazenda do país vizinho dizia que a qualificação de calote seletivo pela S&P "estará em vigência só por um dia", apontando para trecho do comunicado da agência de classificação de risco segundo o qual, "como os novos termos" para os repagamentos da dívida de curto prazo "se tornam efetivos imediatamente, o default também foi curado".

"Portanto, planejamos elevar os ratings de longo prazo para CCC- e os de curto prazo para C em 30 de agosto", escreveu a S&P.

Há pouco, o Ministério da Fazenda divulgou o calendário com as novas datas de repagamento da dívida, passo apontado como condição para que a agência efetive a elevação dos ratings.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;