Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

BNDES: pagamento de R$ 900 mi por inadimplência de Venezuela ajuda lucro



28/08/2019 | 15:11


O lucro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no primeiro semestre foi ajudado pelo pagamento de R$ 900 milhões por parte do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), referente à inadimplência da Venezuela.

Nesta quarta-feira, o BNDES informou que registrou lucro líquido de R$ 13,808 bilhões no primeiro semestre, avanço de 190,1% ante os seis primeiros meses do ano passado. O resultado foi turbinado pela venda de participações acionárias, mas teve a contribuição também da reversão de despesa com provisão para risco de crédito de R$ 1,161 bilhão.

O calote da Venezuela já estava provisionado no balanço do BNDES. Com o pagamento por parte do FGE, fundo do Tesouro Nacional que garante as operações de crédito às exportações, o banco pode reduzir as provisões.

A Venezuela ainda tem uma dívida de US$ 438 milhões com o BNDES, dos quais US$ 352 milhões estão em atraso, conforme dados do primeiro trimestre de 2019.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

BNDES: pagamento de R$ 900 mi por inadimplência de Venezuela ajuda lucro


28/08/2019 | 15:11


O lucro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no primeiro semestre foi ajudado pelo pagamento de R$ 900 milhões por parte do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), referente à inadimplência da Venezuela.

Nesta quarta-feira, o BNDES informou que registrou lucro líquido de R$ 13,808 bilhões no primeiro semestre, avanço de 190,1% ante os seis primeiros meses do ano passado. O resultado foi turbinado pela venda de participações acionárias, mas teve a contribuição também da reversão de despesa com provisão para risco de crédito de R$ 1,161 bilhão.

O calote da Venezuela já estava provisionado no balanço do BNDES. Com o pagamento por parte do FGE, fundo do Tesouro Nacional que garante as operações de crédito às exportações, o banco pode reduzir as provisões.

A Venezuela ainda tem uma dívida de US$ 438 milhões com o BNDES, dos quais US$ 352 milhões estão em atraso, conforme dados do primeiro trimestre de 2019.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;