Fechar
Publicidade

Domingo, 22 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Bolívia aceitará ajuda internacional para combater incêndios florestais



25/08/2019 | 15:28


A Bolívia vai aceitar ajuda internacional para mitigar o fogo que devorou mais de 900 mil hectares florestais, informou neste domingo, 25, o presidente do país, Evo Morales. A área mais crítica é a região dos bosques de Chiquitanía, mas há também focos na região amazônica.

Em coletiva de imprensa, Morales disse que conversou com os presidentes do Chile, Sebastián Piñera, do Paraguai, Mario Abdo Benítez, e o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, que lhe ofereceram ajuda. A Argentina e o Peru também manifestaram apoio, e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) disse que vai doar US$ 500 mil ao país para o combate ao fogo.

Além disso, Morales disse que recebeu uma nota da França na qual o presidente Emmanuel Mácron disse que vai "realizar uma mobilização de todas as potências" para apoiar o reflorestamento.

Os bosques de Chiquitanía, em Santa Cruz, no sudeste da Bolívia, é a área mais castigada, com 745 mil hectares. Em Beni, na região amazônica, mais de 100 mil hectares foram destruídos pelo fogo.

O ministro do Meio Ambiente da Bolívia, Carlos Ortuño, disse à emissora de TV estatal que os focos de calor intenso no país baixaram de 8 mil na semana passada para 857 agora. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolívia aceitará ajuda internacional para combater incêndios florestais


25/08/2019 | 15:28


A Bolívia vai aceitar ajuda internacional para mitigar o fogo que devorou mais de 900 mil hectares florestais, informou neste domingo, 25, o presidente do país, Evo Morales. A área mais crítica é a região dos bosques de Chiquitanía, mas há também focos na região amazônica.

Em coletiva de imprensa, Morales disse que conversou com os presidentes do Chile, Sebastián Piñera, do Paraguai, Mario Abdo Benítez, e o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, que lhe ofereceram ajuda. A Argentina e o Peru também manifestaram apoio, e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) disse que vai doar US$ 500 mil ao país para o combate ao fogo.

Além disso, Morales disse que recebeu uma nota da França na qual o presidente Emmanuel Mácron disse que vai "realizar uma mobilização de todas as potências" para apoiar o reflorestamento.

Os bosques de Chiquitanía, em Santa Cruz, no sudeste da Bolívia, é a área mais castigada, com 745 mil hectares. Em Beni, na região amazônica, mais de 100 mil hectares foram destruídos pelo fogo.

O ministro do Meio Ambiente da Bolívia, Carlos Ortuño, disse à emissora de TV estatal que os focos de calor intenso no país baixaram de 8 mil na semana passada para 857 agora. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;