Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Atividade e emprego na construção têm melhor nível em 6 anos, diz CNI

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


23/08/2019 | 13:40


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou que o índice de nível de atividade teve alta de 0,2 ponto em julho ante junho e ficou em 48,2 pontos, enquanto o índice de número de empregados aumentou 0,1 ponto, na mesma base de comparação, e foi para 47,3 pontos. Os indicadores, captados pela Sondagem Indústria da Construção da CNI, alcançaram o maior valor em seis anos, embora continuem abaixo dos 50 pontos, o que mostra contração no emprego e na atividade.

Segundo o levantamento, "a queda é cada vez menos intensa e menos disseminada no setor e os níveis de atividade e emprego melhoraram gradativamente desde o começo deste ano".

A economista da CNI Dea Fioravante afirma que há sinais favoráveis na economia para o setor de construção, como inflação e juros baixos, o avanço da reforma da Previdência e as mudanças anunciadas pela Caixa Econômica Federal nesta semana para as regras de concessão de crédito.

Ociosidade e investimentos

A pesquisa também apontou que o nível de utilização da capacidade operacional em julho ficou no mesmo patamar de junho, em 57%. De acordo com a CNI, isso significa "que o setor operou com 43% do pessoal, das máquinas e dos equipamentos parados no mês passado". Ainda segundo o levantamento, a ociosidade é menor nas grandes empresas, em que o uso da capacidade instalada alcançou 59%. Já nas pequenas empresas, esse patamar ficou em 51%.

Diante da ociosidade elevada, a CNI também captou uma queda na disposição dos empresários para fazer investimentos. O índice de intenção de investimento teve queda de 3,5 pontos em agosto ante julho e ficou em 33,1 pontos. O indicador vai de zero a cem pontos e, quanto maior o valor, maior é a disposição para fazer investimentos.

Já o Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) se manteve estável , em 58,8 pontos, acima da média histórica, que é de 53,3 pontos. Quando o indicador está acima de 50 pontos, é sinal de que os empresários estão confiantes.

A Sondagem Indústria da Construção foi realizada entre 1º e 13 de agosto com 494 empresas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atividade e emprego na construção têm melhor nível em 6 anos, diz CNI


23/08/2019 | 13:40


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou que o índice de nível de atividade teve alta de 0,2 ponto em julho ante junho e ficou em 48,2 pontos, enquanto o índice de número de empregados aumentou 0,1 ponto, na mesma base de comparação, e foi para 47,3 pontos. Os indicadores, captados pela Sondagem Indústria da Construção da CNI, alcançaram o maior valor em seis anos, embora continuem abaixo dos 50 pontos, o que mostra contração no emprego e na atividade.

Segundo o levantamento, "a queda é cada vez menos intensa e menos disseminada no setor e os níveis de atividade e emprego melhoraram gradativamente desde o começo deste ano".

A economista da CNI Dea Fioravante afirma que há sinais favoráveis na economia para o setor de construção, como inflação e juros baixos, o avanço da reforma da Previdência e as mudanças anunciadas pela Caixa Econômica Federal nesta semana para as regras de concessão de crédito.

Ociosidade e investimentos

A pesquisa também apontou que o nível de utilização da capacidade operacional em julho ficou no mesmo patamar de junho, em 57%. De acordo com a CNI, isso significa "que o setor operou com 43% do pessoal, das máquinas e dos equipamentos parados no mês passado". Ainda segundo o levantamento, a ociosidade é menor nas grandes empresas, em que o uso da capacidade instalada alcançou 59%. Já nas pequenas empresas, esse patamar ficou em 51%.

Diante da ociosidade elevada, a CNI também captou uma queda na disposição dos empresários para fazer investimentos. O índice de intenção de investimento teve queda de 3,5 pontos em agosto ante julho e ficou em 33,1 pontos. O indicador vai de zero a cem pontos e, quanto maior o valor, maior é a disposição para fazer investimentos.

Já o Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) se manteve estável , em 58,8 pontos, acima da média histórica, que é de 53,3 pontos. Quando o indicador está acima de 50 pontos, é sinal de que os empresários estão confiantes.

A Sondagem Indústria da Construção foi realizada entre 1º e 13 de agosto com 494 empresas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;