Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Macri diz que Fernández tem a obrigação de reduzir o medo e a desconfiança



22/08/2019 | 13:30


O presidente argentino, Mauricio Macri, afirmou que o candidato vencedor das eleições presidenciais primárias do país, Alberto Fernández, tem a obrigação de "reduzir o medo e a desconfiança".

A votação expressiva conquistada por Fernández, em 12 de agosto, provocou reações adversas no mercado financeiro, com quedas expressivas do índice Merval, da Bolsa de Buenos Aires, e com disparada da cotação do dólar ante o peso argentino. A candidata à vice em sua chapa é a ex-presidente Cristina Kirchner.

Em evento promovido pelo jornal Clarín, Macri disse que foi "muito ambicioso" com as metas de inflação propostas pelo seu governo e que os preços podem subir mais com a disparada do dólar, o que significaria "prejuízo para os argentinos".

O mandatário, que é candidato à reeleição, defendeu seu mandato. "Agora temos energia, infraestrutura, estamos conectados com o mundo. Temos que continuar com essas mudanças", declarou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Macri diz que Fernández tem a obrigação de reduzir o medo e a desconfiança


22/08/2019 | 13:30


O presidente argentino, Mauricio Macri, afirmou que o candidato vencedor das eleições presidenciais primárias do país, Alberto Fernández, tem a obrigação de "reduzir o medo e a desconfiança".

A votação expressiva conquistada por Fernández, em 12 de agosto, provocou reações adversas no mercado financeiro, com quedas expressivas do índice Merval, da Bolsa de Buenos Aires, e com disparada da cotação do dólar ante o peso argentino. A candidata à vice em sua chapa é a ex-presidente Cristina Kirchner.

Em evento promovido pelo jornal Clarín, Macri disse que foi "muito ambicioso" com as metas de inflação propostas pelo seu governo e que os preços podem subir mais com a disparada do dólar, o que significaria "prejuízo para os argentinos".

O mandatário, que é candidato à reeleição, defendeu seu mandato. "Agora temos energia, infraestrutura, estamos conectados com o mundo. Temos que continuar com essas mudanças", declarou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;