Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santos lembra de Rodrygo e cobra STJD por liberação de vascaíno da seleção sub-17



17/08/2019 | 17:51


Depois de polêmica envolvendo Rodrygo, vendido ao Real Madrid, o Santos reclamou de "clara contradição" do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que liberou Talles, convocado pela seleção sub-17, para jogar pelo Vasco no clássico deste sábado contra o Flamengo. Em junho, o STJD tomou decisão diferente em relação a Rodrygo, que estava convocado para o selecionado sub-23, mas não teve efeito suspensivo e ficou de fora de compromissos santistas.

Na manhã deste sábado, o Vasco conseguiu a liberação junto ao STJD e poderá utilizar Talles no jogo disputado às 19 horas, no Mané Garrincha, apesar de o jovem estar convocado para a seleção sub-17.

Depois da convocação, o clube anunciou que não liberaria o atleta. A seleção, porém, não o desconvocou, o que tiraria sua condição de jogo e deixaria a agremiação carioca passível de punição se escalasse o jogador. Entretanto, a direção entrou com recurso e conseguiu o efeito suspensivo.

No caso de Rodrygo, o Santos usou os mesmos recursos que o clube vascaíno, mas não obteve sucesso. A equipe santista, então, ficou desfalcada do atacante na partida contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil. A promessa também não pôde ir a campo no clássico diante do Corinthians, pelo Brasileirão, no que seria sua despedida do clube praiano antes da ida ao Real Madrid.

Após a liberação de Talles, o time paulista resolveu cobrar o tribunal em função do "evidente juízo de valor". Em nota oficial, o Santos disse que "não teve o mérito analisado, apesar de o recurso ter sido solicitado com antecedência".

O atleta vascaíno também não foi desconvocado, mas o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, concedeu efeito suspensivo. Como justificativa para o pedido, o clube carioca alegou que CBF não cumpriu o prazo mínimo de 15 dias de antecedência da convocação e nem respondeu ao pedido formal de desconvocação. O Vasco afirmou ainda que não é obrigado a ceder o atleta, já que a seleção de Talles não ocorreu em data Fifa.

O Santos, então, cobrou um posicionamento do tribunal. Segundo a agremiação paulista, houve "diferente tratamento", que beneficiou o Vasco e, à época, prejudicou o clube praiano. Os comandados de Jorge Sampaoli acabaram eliminados da Copa do Brasil pelo Atlético-MG em jogo em que Rodrygo não pôde atuar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santos lembra de Rodrygo e cobra STJD por liberação de vascaíno da seleção sub-17


17/08/2019 | 17:51


Depois de polêmica envolvendo Rodrygo, vendido ao Real Madrid, o Santos reclamou de "clara contradição" do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que liberou Talles, convocado pela seleção sub-17, para jogar pelo Vasco no clássico deste sábado contra o Flamengo. Em junho, o STJD tomou decisão diferente em relação a Rodrygo, que estava convocado para o selecionado sub-23, mas não teve efeito suspensivo e ficou de fora de compromissos santistas.

Na manhã deste sábado, o Vasco conseguiu a liberação junto ao STJD e poderá utilizar Talles no jogo disputado às 19 horas, no Mané Garrincha, apesar de o jovem estar convocado para a seleção sub-17.

Depois da convocação, o clube anunciou que não liberaria o atleta. A seleção, porém, não o desconvocou, o que tiraria sua condição de jogo e deixaria a agremiação carioca passível de punição se escalasse o jogador. Entretanto, a direção entrou com recurso e conseguiu o efeito suspensivo.

No caso de Rodrygo, o Santos usou os mesmos recursos que o clube vascaíno, mas não obteve sucesso. A equipe santista, então, ficou desfalcada do atacante na partida contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil. A promessa também não pôde ir a campo no clássico diante do Corinthians, pelo Brasileirão, no que seria sua despedida do clube praiano antes da ida ao Real Madrid.

Após a liberação de Talles, o time paulista resolveu cobrar o tribunal em função do "evidente juízo de valor". Em nota oficial, o Santos disse que "não teve o mérito analisado, apesar de o recurso ter sido solicitado com antecedência".

O atleta vascaíno também não foi desconvocado, mas o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, concedeu efeito suspensivo. Como justificativa para o pedido, o clube carioca alegou que CBF não cumpriu o prazo mínimo de 15 dias de antecedência da convocação e nem respondeu ao pedido formal de desconvocação. O Vasco afirmou ainda que não é obrigado a ceder o atleta, já que a seleção de Talles não ocorreu em data Fifa.

O Santos, então, cobrou um posicionamento do tribunal. Segundo a agremiação paulista, houve "diferente tratamento", que beneficiou o Vasco e, à época, prejudicou o clube praiano. Os comandados de Jorge Sampaoli acabaram eliminados da Copa do Brasil pelo Atlético-MG em jogo em que Rodrygo não pôde atuar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;