Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Com artistas deixando o Brasil, Leandra Leal afirma: - Eu não vou sair do meu país



17/08/2019 | 11:11


Leandra Leal conversou com a imprensa durante os ensaios do show do Criança Esperança 2019. A atriz, que é uma das moderadoras do projeto, contou que tenta levar uma mensagem positiva para os que se beneficiam com o programa e também para as pessoas que fazem as doações, para que elas não desistam de investir em um futuro melhor. Leandra também falou sobre o sucesso da série Aruanas, que abordou o desmatamento da Amazônia, e confessou que está torcendo para ter uma segunda temporada - que ainda não foi confirmada -, além de falar sobre a sua experiência com a trama:

- Foi incrível, porque uniu duas coisas que amo: a arte e o ativismo. Aruanas trouxe um assunto necessário. Meio ambiente é uma das pautas, senão a mais importante, que estamos vivendo. Se passar do ponto, a floresta começa a se degradar. Realmente é um caminho sem volta, isso impacta nosso futuro. O desmatamento é a maior causa do aquecimento global. [...] Tenho medo da queixa da geração da minha filha, porque a gente está deixando um deserto, um mundo quase inabitável, mesmo. A velocidade com que atingimos as marcas de desgaste ambiental é assustadora. É um problema mundial, mas no Brasil a guerra também é de imaginário. [Temos que] mudar a mentalidade de que uma floresta em pé não é lucrativa. É lucrativa, sim, e necessária para nossa sobrevivência.

Em um momento difícil, muitos artistas anunciaram que sairiam do Brasil, e outros até já se mudaram para outro local. Leandra, entretanto, não possui essa intenção:

- Eu não vou sair do meu país. Não sei atuar em outra língua. Para mim, meu trabalho como atriz é muito ligado ao meu país, à minha terra. A cultura não se cria, a relação que tenho com a cultura do Brasil vai ser muito difícil criar em outro país. Vou ficar aqui, mas estamos buscando brechas.

Ela ainda confessou se espera por uma melhora com o passar do tempo:

- Sempre é preciso ter esperança. A gente está em um momento muito difícil. O cenário no Rio de Janeiro é desesperador. Ver as famílias perdendo seus filhos a troco de nada, por uma política de segurança para exterminar e endereçada, que não vai trazer segurança para ninguém. É política de extermínio do povo negro, periférico... A gente está vivendo uma situação muito complicada. É difícil manter a fé e a esperança. Mas tenho consciência do meu privilégio e tenho que usá-lo de alguma forma. Tenho voz, tenho como compartilhar, escutar, levar mensagens.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com artistas deixando o Brasil, Leandra Leal afirma: - Eu não vou sair do meu país


17/08/2019 | 11:11


Leandra Leal conversou com a imprensa durante os ensaios do show do Criança Esperança 2019. A atriz, que é uma das moderadoras do projeto, contou que tenta levar uma mensagem positiva para os que se beneficiam com o programa e também para as pessoas que fazem as doações, para que elas não desistam de investir em um futuro melhor. Leandra também falou sobre o sucesso da série Aruanas, que abordou o desmatamento da Amazônia, e confessou que está torcendo para ter uma segunda temporada - que ainda não foi confirmada -, além de falar sobre a sua experiência com a trama:

- Foi incrível, porque uniu duas coisas que amo: a arte e o ativismo. Aruanas trouxe um assunto necessário. Meio ambiente é uma das pautas, senão a mais importante, que estamos vivendo. Se passar do ponto, a floresta começa a se degradar. Realmente é um caminho sem volta, isso impacta nosso futuro. O desmatamento é a maior causa do aquecimento global. [...] Tenho medo da queixa da geração da minha filha, porque a gente está deixando um deserto, um mundo quase inabitável, mesmo. A velocidade com que atingimos as marcas de desgaste ambiental é assustadora. É um problema mundial, mas no Brasil a guerra também é de imaginário. [Temos que] mudar a mentalidade de que uma floresta em pé não é lucrativa. É lucrativa, sim, e necessária para nossa sobrevivência.

Em um momento difícil, muitos artistas anunciaram que sairiam do Brasil, e outros até já se mudaram para outro local. Leandra, entretanto, não possui essa intenção:

- Eu não vou sair do meu país. Não sei atuar em outra língua. Para mim, meu trabalho como atriz é muito ligado ao meu país, à minha terra. A cultura não se cria, a relação que tenho com a cultura do Brasil vai ser muito difícil criar em outro país. Vou ficar aqui, mas estamos buscando brechas.

Ela ainda confessou se espera por uma melhora com o passar do tempo:

- Sempre é preciso ter esperança. A gente está em um momento muito difícil. O cenário no Rio de Janeiro é desesperador. Ver as famílias perdendo seus filhos a troco de nada, por uma política de segurança para exterminar e endereçada, que não vai trazer segurança para ninguém. É política de extermínio do povo negro, periférico... A gente está vivendo uma situação muito complicada. É difícil manter a fé e a esperança. Mas tenho consciência do meu privilégio e tenho que usá-lo de alguma forma. Tenho voz, tenho como compartilhar, escutar, levar mensagens.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;