Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indicador Antecedente sobe 0,5% em julho ante junho, dizem FGV e Conference Board



14/08/2019 | 11:35


O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a Fundação Getulio Vargas (FGV) e o The Conference Board (TCB), subiu 0,5% em julho na comparação com junho, para 117,6 pontos. Das oito séries componentes, seis contribuíram positivamente para a evolução do índice no mês, segundo as instituições, com destaque para o Índice de Expectativas do setor de Serviços, que avançou 2,7%.

No caso do Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, também houve avanço, de 0,2% para 102,9 pontos. Mas a FGV e o TCB destacam que, desde julho de 2018 (após os efeitos da greve dos caminhoneiros), o indicador tem oscilado numa estreita faixa entre 102,6 e 102,9 pontos.

Na avaliação do economista Paulo Picchetti, da FGV, a ligeira elevação do ICCE em julho demonstra a continuidade da tendência de crescimento moderado do nível de atividade.

"Por sua vez, o aumento um pouco mais expressivo do IACE no mês já incorpora algum efeito da perspectiva de aprovação de reformas estruturais na economia, através de seus componentes de expectativas", afirma Picchetti.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indicador Antecedente sobe 0,5% em julho ante junho, dizem FGV e Conference Board


14/08/2019 | 11:35


O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a Fundação Getulio Vargas (FGV) e o The Conference Board (TCB), subiu 0,5% em julho na comparação com junho, para 117,6 pontos. Das oito séries componentes, seis contribuíram positivamente para a evolução do índice no mês, segundo as instituições, com destaque para o Índice de Expectativas do setor de Serviços, que avançou 2,7%.

No caso do Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, também houve avanço, de 0,2% para 102,9 pontos. Mas a FGV e o TCB destacam que, desde julho de 2018 (após os efeitos da greve dos caminhoneiros), o indicador tem oscilado numa estreita faixa entre 102,6 e 102,9 pontos.

Na avaliação do economista Paulo Picchetti, da FGV, a ligeira elevação do ICCE em julho demonstra a continuidade da tendência de crescimento moderado do nível de atividade.

"Por sua vez, o aumento um pouco mais expressivo do IACE no mês já incorpora algum efeito da perspectiva de aprovação de reformas estruturais na economia, através de seus componentes de expectativas", afirma Picchetti.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;