Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O verso da medalha


Márcio Bernardes

12/08/2019 | 15:53


O futebol é interessante e inacreditável. Intervalo de jogo no Morumbi. O São Paulo perdia por 1 x 0. Grande parte da torcida vaiou Cuca. Alguns o chamaram de burro. Realmente o Tricolor foi mal escalado. O Santos teve facilidade na sua missão e fez o primeiro gol. No intervalo, Cuca reconheceu o erro, mexeu bem no seu time e fez apenas uma troca: tirou Luan, apático e pouco produtivo, colocou Hernanes em seu lugar.

O São Paulo empatou logo aos 3 minutos, virou, ampliou e se forçasse golearia. O Santos ficou atônito. Para ter o segundo gol contou com a ajuda do são-paulino Raniel. Clássico com cinco gols, quase 50 mil espectadores, uma vitória justa e uma pergunta: será que o Santos vai segurar a liderança?

Às vezes, você pode tirar proveito de uma derrota. Essa deve ser a tônica da conversa de Sampaoli com os jogadores nesta semana. O Santos foi irreconhecível e jogou muito mal. Sem vontade, tática e técnica. Não pareceu o líder do campeonato.

Bambambã
A performance brasileira nos Jogos Pan-Americanos merece elogios. Desde o Pan de São Paulo, em 1963, o país não figurava na segunda colocação do quadro de medalhas. O líder sempre foi o time norte-americano. Cuba, Canadá e algumas vezes a Argentina, dividiam a vice-liderança.

O time brasileiro, além dos conhecidos medalhistas da Olimpíada do Rio e os craques que estão surgindo, nos dá a esperança de uma melhor participação no ano que vem em Tóquio. Resultado final: 55 ouros, 45 pratas, 71 bronzes. Total de 171 medalhas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O verso da medalha

Márcio Bernardes

12/08/2019 | 15:53


O futebol é interessante e inacreditável. Intervalo de jogo no Morumbi. O São Paulo perdia por 1 x 0. Grande parte da torcida vaiou Cuca. Alguns o chamaram de burro. Realmente o Tricolor foi mal escalado. O Santos teve facilidade na sua missão e fez o primeiro gol. No intervalo, Cuca reconheceu o erro, mexeu bem no seu time e fez apenas uma troca: tirou Luan, apático e pouco produtivo, colocou Hernanes em seu lugar.

O São Paulo empatou logo aos 3 minutos, virou, ampliou e se forçasse golearia. O Santos ficou atônito. Para ter o segundo gol contou com a ajuda do são-paulino Raniel. Clássico com cinco gols, quase 50 mil espectadores, uma vitória justa e uma pergunta: será que o Santos vai segurar a liderança?

Às vezes, você pode tirar proveito de uma derrota. Essa deve ser a tônica da conversa de Sampaoli com os jogadores nesta semana. O Santos foi irreconhecível e jogou muito mal. Sem vontade, tática e técnica. Não pareceu o líder do campeonato.

Bambambã
A performance brasileira nos Jogos Pan-Americanos merece elogios. Desde o Pan de São Paulo, em 1963, o país não figurava na segunda colocação do quadro de medalhas. O líder sempre foi o time norte-americano. Cuba, Canadá e algumas vezes a Argentina, dividiam a vice-liderança.

O time brasileiro, além dos conhecidos medalhistas da Olimpíada do Rio e os craques que estão surgindo, nos dá a esperança de uma melhor participação no ano que vem em Tóquio. Resultado final: 55 ouros, 45 pratas, 71 bronzes. Total de 171 medalhas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;