Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsonaro diz que quer manter vinculação entre salário mínimo e aposentadorias

Marcos Corrêa/PR Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Questionado se pretende dar aumento real ao mínimo, ele disse para perguntar à equipe econômica



10/08/2019 | 14:25


O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende manter a vinculação entre o salário mínimo e as aposentadorias. Em conversa com jornalistas no Palácio do Alvorada, antes de participar da Marcha para Jesus, em Brasília, ele disse que pretende manter o mesmo porcentual de correção, "no mínimo". "Eu pretendo é que o aposentado siga o mesmo porcentual, no mínimo. Não podemos deixar cada vez mais o aposentado para trás. Isso é o que eu tenho a falar. No tocante a números, tem que conversar com a equipe econômica", disse ele, ao ser questionado sobre se pretendia dar aumento real ao salário mínimo durante seu governo.

Na quinta-feira (8), a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. Na proposta, que ainda precisa ser votada em plenário, o salário mínimo foi corrigido apenas pela inflação, sem aumento real - dos atuais R$ 998 para R$ 1.040 no próximo ano.

A LDO é o texto que dá base ao governo na elaboração do Orçamento do próximo ano. A equipe econômica ainda pode para fazer mudanças, mas há pouco tempo, pois a Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA) deve ser apresentada pelo Executivo ao Parlamento até o dia 31 de agosto.

A equipe econômica já avisou que a PLOA vai prever a manutenção do poder de compra do salário mínimo - ou seja, a correção apenas pela inflação, sem aumento real.

Segundo o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, o governo tem até dezembro para definir a nova política do salário mínimo. A lei atual, que vence neste ano, prevê a correção do piso salarial pela inflação do ano anterior (medida pelo INPC), mais a variação do PIB de dois anos antes.

O presidente disse ainda que a menção que fez ontem, recomendando aos repórteres que fizessem "cocô dia sim, dia não" para preservar o meio ambiente, foi uma "brincadeira" que a imprensa "levou a sério".

"Eu fiz uma brincadeira: para a gente defender o meio ambiente, vamos um dia no banheiro outro dia não. Um dia faz cocô, outro não faz. Levaram pro lado sério! Vou fazer uma coisa: cocô agora uma vez por semana, tá bom?", disse Bolsonaro. "Não se pode brincar mais, vou continuar brincando."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsonaro diz que quer manter vinculação entre salário mínimo e aposentadorias

Questionado se pretende dar aumento real ao mínimo, ele disse para perguntar à equipe econômica


10/08/2019 | 14:25


O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende manter a vinculação entre o salário mínimo e as aposentadorias. Em conversa com jornalistas no Palácio do Alvorada, antes de participar da Marcha para Jesus, em Brasília, ele disse que pretende manter o mesmo porcentual de correção, "no mínimo". "Eu pretendo é que o aposentado siga o mesmo porcentual, no mínimo. Não podemos deixar cada vez mais o aposentado para trás. Isso é o que eu tenho a falar. No tocante a números, tem que conversar com a equipe econômica", disse ele, ao ser questionado sobre se pretendia dar aumento real ao salário mínimo durante seu governo.

Na quinta-feira (8), a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. Na proposta, que ainda precisa ser votada em plenário, o salário mínimo foi corrigido apenas pela inflação, sem aumento real - dos atuais R$ 998 para R$ 1.040 no próximo ano.

A LDO é o texto que dá base ao governo na elaboração do Orçamento do próximo ano. A equipe econômica ainda pode para fazer mudanças, mas há pouco tempo, pois a Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA) deve ser apresentada pelo Executivo ao Parlamento até o dia 31 de agosto.

A equipe econômica já avisou que a PLOA vai prever a manutenção do poder de compra do salário mínimo - ou seja, a correção apenas pela inflação, sem aumento real.

Segundo o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, o governo tem até dezembro para definir a nova política do salário mínimo. A lei atual, que vence neste ano, prevê a correção do piso salarial pela inflação do ano anterior (medida pelo INPC), mais a variação do PIB de dois anos antes.

O presidente disse ainda que a menção que fez ontem, recomendando aos repórteres que fizessem "cocô dia sim, dia não" para preservar o meio ambiente, foi uma "brincadeira" que a imprensa "levou a sério".

"Eu fiz uma brincadeira: para a gente defender o meio ambiente, vamos um dia no banheiro outro dia não. Um dia faz cocô, outro não faz. Levaram pro lado sério! Vou fazer uma coisa: cocô agora uma vez por semana, tá bom?", disse Bolsonaro. "Não se pode brincar mais, vou continuar brincando."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;