Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Partido de ministro do interior anuncia moção de censura contra primeiro-ministro

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ação ocorre em meio a crise política na Itália que se desencadeou após pedido de eleições antecipadas



09/08/2019 | 11:44


A Liga, partido do ministro do interior italiano, Matteo Salvini, anunciou nesta sexta-feira, 9, uma moção de censura contra o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, o qual até então apoiava em coalizão com o Movimento Cinco Estrelas (M5E).

A ação ocorre em meio a uma crise política que se desencadeou no país após Salvini afirmar, na quinta-feira, 8, que a aliança no governo estava rompida e pedir que as eleições fossem antecipadas. "Não há mais maioria do governo (...) demos a palavra aos eleitores", exigiu o vice-presidente.

Não está claro quando a moção será debatida, já que o Parlamento está no recesso de verão, mas Salvini quer que os parlamentares sejam chamados de volta a Roma para uma votação na semana que vem, sob o argumento de que a coalizão se tornou inviável depois de meses de conflitos abertos.

O rompimento teve início na quarta-feira, após uma votação no Senado sobre o projeto de uma linha de trem de alta velocidade entre Itália e França. Na ocasião, os aliados votaram em sentidos opostos. O M5E ficou em minoria contra a proposta, que foi aprovada como Salvini pediu.

Com o rompimento, o Senado deve se reunir em 20 de agosto para oficializar a queda do governo, segundo a agência italiana AGI. Nesse caso, o Parlamento seria dissolvido em alguns dias e novas eleições seriam convocadas no prazo entre 50 e 70 dias, conforme a Constituição da Itália.

As pesquisas apontam que, em caso de novo pleito, Salvini teria cerca de 36% das intenções de voto, podendo governar sozinho com o apoio do nanico Fratelli d''''''''Italia. Já o M5E teria apenas 17%, menos da metade do que obteve nas legislativas de março de 2018.

O M5S e a Liga começaram a governar juntos em 1º de junho de 2018, após as eleições de 4 de março deste ano, mas durante esse período já tiveram vários desentendimentos. ( Com agências internacionais)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Partido de ministro do interior anuncia moção de censura contra primeiro-ministro

Ação ocorre em meio a crise política na Itália que se desencadeou após pedido de eleições antecipadas


09/08/2019 | 11:44


A Liga, partido do ministro do interior italiano, Matteo Salvini, anunciou nesta sexta-feira, 9, uma moção de censura contra o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, o qual até então apoiava em coalizão com o Movimento Cinco Estrelas (M5E).

A ação ocorre em meio a uma crise política que se desencadeou no país após Salvini afirmar, na quinta-feira, 8, que a aliança no governo estava rompida e pedir que as eleições fossem antecipadas. "Não há mais maioria do governo (...) demos a palavra aos eleitores", exigiu o vice-presidente.

Não está claro quando a moção será debatida, já que o Parlamento está no recesso de verão, mas Salvini quer que os parlamentares sejam chamados de volta a Roma para uma votação na semana que vem, sob o argumento de que a coalizão se tornou inviável depois de meses de conflitos abertos.

O rompimento teve início na quarta-feira, após uma votação no Senado sobre o projeto de uma linha de trem de alta velocidade entre Itália e França. Na ocasião, os aliados votaram em sentidos opostos. O M5E ficou em minoria contra a proposta, que foi aprovada como Salvini pediu.

Com o rompimento, o Senado deve se reunir em 20 de agosto para oficializar a queda do governo, segundo a agência italiana AGI. Nesse caso, o Parlamento seria dissolvido em alguns dias e novas eleições seriam convocadas no prazo entre 50 e 70 dias, conforme a Constituição da Itália.

As pesquisas apontam que, em caso de novo pleito, Salvini teria cerca de 36% das intenções de voto, podendo governar sozinho com o apoio do nanico Fratelli d''''''''Italia. Já o M5E teria apenas 17%, menos da metade do que obteve nas legislativas de março de 2018.

O M5S e a Liga começaram a governar juntos em 1º de junho de 2018, após as eleições de 4 de março deste ano, mas durante esse período já tiveram vários desentendimentos. ( Com agências internacionais)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;