Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Investigação mexe com PSL de São Bernardo


Raphael Rocha

07/08/2019 | 07:00


A revelação feita por este Diário na segunda-feira de que a PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça), instância máxima do Ministério Público paulista, investiga o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL) por suposta prática de pedágio mexeu nos bastidores da política de São Bernardo. Isso porque muitos envolvidos na cidade consideravam certa a eleição de ao menos um vereador do partido, na esteira da popularidade do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). O diretório local não trabalhava em uma candidatura a prefeito, mas estimava ser possível emplacar pelo menos três representantes na Câmara. Diante da apuração contra Nishikawa e seu chefe de gabinete, Walter Resende Filho, que também preside o PSL em São Bernardo, há quem aposte na fuga de potenciais candidatos.

BASTIDORES

Exoneração
Secretário adjunto de Saúde desde a posse definitiva de Alaíde Damo (MDB) como prefeita de Mauá, Tchello Pierro pediu exoneração da função. Ele argumentou que cursa mestrado e que há módulo internacional, o que inviabilizaria sua continuidade na administração municipal. Pierro agradeceu ao secretário David Ramalho e demais servidores.

Adiamento
A Câmara de Santo André decidiu adiar a análise das contas de 2014 e de 2016 do ex-prefeito Carlos Grana (PT), que chegaram ao Legislativo com parecer pela reprovação emitido pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). A previsão inicial era a de que a apreciação das contabilidades fosse feita ontem, mas a decisão ficou para daqui quatro sessões. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Investigação mexe com PSL de São Bernardo

Raphael Rocha

07/08/2019 | 07:00


A revelação feita por este Diário na segunda-feira de que a PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça), instância máxima do Ministério Público paulista, investiga o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL) por suposta prática de pedágio mexeu nos bastidores da política de São Bernardo. Isso porque muitos envolvidos na cidade consideravam certa a eleição de ao menos um vereador do partido, na esteira da popularidade do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). O diretório local não trabalhava em uma candidatura a prefeito, mas estimava ser possível emplacar pelo menos três representantes na Câmara. Diante da apuração contra Nishikawa e seu chefe de gabinete, Walter Resende Filho, que também preside o PSL em São Bernardo, há quem aposte na fuga de potenciais candidatos.

BASTIDORES

Exoneração
Secretário adjunto de Saúde desde a posse definitiva de Alaíde Damo (MDB) como prefeita de Mauá, Tchello Pierro pediu exoneração da função. Ele argumentou que cursa mestrado e que há módulo internacional, o que inviabilizaria sua continuidade na administração municipal. Pierro agradeceu ao secretário David Ramalho e demais servidores.

Adiamento
A Câmara de Santo André decidiu adiar a análise das contas de 2014 e de 2016 do ex-prefeito Carlos Grana (PT), que chegaram ao Legislativo com parecer pela reprovação emitido pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). A previsão inicial era a de que a apreciação das contabilidades fosse feita ontem, mas a decisão ficou para daqui quatro sessões. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;