Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 14 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

À espera de Fed e Copom, Ibovespa opera perto da estabilidade

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


29/07/2019 | 10:46


O Ibovespa abriu em leve alta nesta segunda-feira, 29, mas após o início dos negócios das bolsas em Nova York, que começaram o dia perto da estabilidade, mudou o sinal. Às 10h39, o Ibovespa cedia 0,10%, aos 102.711,48 pontos. Investidores esperam as decisões sobre juros no Brasil e nos Estados Unidos, na quarta-feira, e de resultados corporativos do segundo trimestre. O Itaú Unibanco dá sequência à safra de balanços, logo após o fechamento do pregão. Na quarta e quinta-feira, será a vez das divulgações de Vale e Petrobras, respectivamente.

"Até que saiam a definição dos juros Fed e Copom, o mercado de ações deve operar devagar, olhando o desempenho das commodities e dos balanços", estima Luiz Roberto Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença DTVM.

Nesta semana, além da decisão do Fed, espera-se nova rodada de negociações entre EUA e China. A autoridade monetária dos EUA pode cortar a taxa básica de juros pela primeira vez em vários anos. Além disso, espera-se que as duas maiores economias mundiais tenham algum progresso em rodada de negociações. Como gesto de boa vontade, o governo chinês anunciou que vem comprando produtos agrícolas norte-americanos desde a retomada das conversas, no mês passado.

"Mesmo assim, os temores com a debilitada atividade global prevalecem sobre os preços dos ativos globais", conforme em nota da equipe de analistas do Bradesco.

Roberto Monteiro cita ainda a notícia de que a mineradora Vale paralisou no início da tarde deste sábado obras de alteamento que vinha conduzindo na barragem Itabiruçu, em Itabira, Minas Gerais. A empresa alega que a medida foi preventiva, o que pode inibir ganhos, sugere o operador. As ações caem na B3.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

À espera de Fed e Copom, Ibovespa opera perto da estabilidade


29/07/2019 | 10:46


O Ibovespa abriu em leve alta nesta segunda-feira, 29, mas após o início dos negócios das bolsas em Nova York, que começaram o dia perto da estabilidade, mudou o sinal. Às 10h39, o Ibovespa cedia 0,10%, aos 102.711,48 pontos. Investidores esperam as decisões sobre juros no Brasil e nos Estados Unidos, na quarta-feira, e de resultados corporativos do segundo trimestre. O Itaú Unibanco dá sequência à safra de balanços, logo após o fechamento do pregão. Na quarta e quinta-feira, será a vez das divulgações de Vale e Petrobras, respectivamente.

"Até que saiam a definição dos juros Fed e Copom, o mercado de ações deve operar devagar, olhando o desempenho das commodities e dos balanços", estima Luiz Roberto Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença DTVM.

Nesta semana, além da decisão do Fed, espera-se nova rodada de negociações entre EUA e China. A autoridade monetária dos EUA pode cortar a taxa básica de juros pela primeira vez em vários anos. Além disso, espera-se que as duas maiores economias mundiais tenham algum progresso em rodada de negociações. Como gesto de boa vontade, o governo chinês anunciou que vem comprando produtos agrícolas norte-americanos desde a retomada das conversas, no mês passado.

"Mesmo assim, os temores com a debilitada atividade global prevalecem sobre os preços dos ativos globais", conforme em nota da equipe de analistas do Bradesco.

Roberto Monteiro cita ainda a notícia de que a mineradora Vale paralisou no início da tarde deste sábado obras de alteamento que vinha conduzindo na barragem Itabiruçu, em Itabira, Minas Gerais. A empresa alega que a medida foi preventiva, o que pode inibir ganhos, sugere o operador. As ações caem na B3.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;