Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fazenda retira bombas de posto de gasolina irregular

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Estabelecimento do Rudge Ramos, em São Bernardo, estava sem inscrição estadual


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/07/2019 | 07:24


Fiscalização da Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado na região culminou na remoção de bombas de abastecimento de posto de gasolina em São Bernardo. O Lions Posto de Serviço, localizado na Rua Vinte e Cinco de Março, no Rudge Ramos, não tinha permissão para comercializar combustíveis – estava sem inscrição estadual – além de ser alvo de reclamação constante de consumidores que suspeitavam da qualidade do produto.

A ação teve apoio da Polícia Civil, por meio da Delegacia Seccional da cidade. Os funcionários, que tentaram fugir no momento da ação, foram conduzidos até a delegacia para prestar depoimento.

Em dezembro de 2018, o Estado tentou fazer a coleta das amostras de combustível que era comercializado, mas não conseguiu porque foi impedido pelos colaboradores do estabelecimento. Ao serem abordados pela fiscalização, eles desligaram a energia elétrica para impedir que a equipe levasse um pouco do combustível e fugiram. Na época, as bombas foram lacradas, porém, os dois sócios romperam os lacres duas vezes e o local voltou a funcionar de maneira irregular, por isso desta vez o Fisco adotou a medida de remoção.

Segundo a Fazenda, por causa do episódio, o posto teve a sua inscrição estadual determinada inapta, ou seja, sem a possibilidade de emissão de notas fiscais e compra de combustíveis. A infração é crime de desobediência prevista no artigo 330 do Código Penal.

Os sócios do estabelecimento ficam impedidos de exercer o mesmo ramo de atividade, ainda que com outro estabelecimento, e também são proibidos de entrar com pedido de inscrição de nova empresa pelo prazo de cinco anos.

A Delegacia Regional Tributária da região apreendeu documentos e arquivos que serão analisados para identificar como a comercialização acontecia. A DRT vai elaborar representação criminal a ser encaminhada ao Ministério Público para tomar as medidas judiciais necessárias e responsabilizar criminalmente os proprietários do local.

O mesmo posto foi alvo de depredação durante a greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. Consumidores insatisfeitos foram ao local cobrar os donos sobre danos causados nos veículos por suposto combustível adulterado. O litro da gasolina chegou a ser vendido por R$ 7.

Desde abril de 2018, mais de 50 postos de combustível foram alvos da operação Olho na Bomba na região, sendo que oito tiveram a inscrição estadual cassada e, outros dois, as bombas removidas, uma vez que mesmo lacradas e relacradas, os postos continuaram em atividade. Outros contribuintes serão alvo de medidas da secretaria nos próximos dias.

‘NÃO HÁ MILAGRE’

Conforme o presidente do Regran (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do ABCDMR), Wagner de Souza, o posto não era associado, mas “o histórico não era bom, já que ele já tinha sido auditado algumas vezes.” Para evitar dor de cabeça, ele orienta que o abastecimento seja feito sempre no mesmo posto, onde o usuário conheça o gerente e os funcionários. O valor também deve ser alvo de atenção. “Onde o preço estiver muito abaixo da média de mercado, desconfie. Não há milagre. O combustível pode variar um pouco para cima ou para baixo, mas se estiver muito abaixo, desconfie.”

No caso do Lions Posto, o litro da gasolina era vendido por R$ 3,69 e, o etanol, R$ 2,29. De acordo com levantamento feito pelo Diário com base nos dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), coletados na semana passada, a média na região é de R$ 4,12 e R$ 2,85, respectivamente. Ou seja, a gasolina custava R$ 0,43 a menos e, o etanol, R$ 0,56.

A média da gasolina está 4,19% mais barata do que no início de junho, quando custava R$ 4,30. O mesmo comportamento foi observado no diesel, que caiu de R$ 3,61 para R$ 3,48 (-3,6%) e no etanol, que teve a maior redução no período, já que custava R$ 2,74 (-5,8%).

Souza afirmou que houve pequeno aumento no etanol nesta semana, por causa da entressafra, podendo chegar a média de R$ 2,64. “Porém, o movimento caiu em 15% por conta das férias escolares, então muitos locais fazem promoções para se manter competitivos”, disse.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fazenda retira bombas de posto de gasolina irregular

Estabelecimento do Rudge Ramos, em São Bernardo, estava sem inscrição estadual

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/07/2019 | 07:24


Fiscalização da Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado na região culminou na remoção de bombas de abastecimento de posto de gasolina em São Bernardo. O Lions Posto de Serviço, localizado na Rua Vinte e Cinco de Março, no Rudge Ramos, não tinha permissão para comercializar combustíveis – estava sem inscrição estadual – além de ser alvo de reclamação constante de consumidores que suspeitavam da qualidade do produto.

A ação teve apoio da Polícia Civil, por meio da Delegacia Seccional da cidade. Os funcionários, que tentaram fugir no momento da ação, foram conduzidos até a delegacia para prestar depoimento.

Em dezembro de 2018, o Estado tentou fazer a coleta das amostras de combustível que era comercializado, mas não conseguiu porque foi impedido pelos colaboradores do estabelecimento. Ao serem abordados pela fiscalização, eles desligaram a energia elétrica para impedir que a equipe levasse um pouco do combustível e fugiram. Na época, as bombas foram lacradas, porém, os dois sócios romperam os lacres duas vezes e o local voltou a funcionar de maneira irregular, por isso desta vez o Fisco adotou a medida de remoção.

Segundo a Fazenda, por causa do episódio, o posto teve a sua inscrição estadual determinada inapta, ou seja, sem a possibilidade de emissão de notas fiscais e compra de combustíveis. A infração é crime de desobediência prevista no artigo 330 do Código Penal.

Os sócios do estabelecimento ficam impedidos de exercer o mesmo ramo de atividade, ainda que com outro estabelecimento, e também são proibidos de entrar com pedido de inscrição de nova empresa pelo prazo de cinco anos.

A Delegacia Regional Tributária da região apreendeu documentos e arquivos que serão analisados para identificar como a comercialização acontecia. A DRT vai elaborar representação criminal a ser encaminhada ao Ministério Público para tomar as medidas judiciais necessárias e responsabilizar criminalmente os proprietários do local.

O mesmo posto foi alvo de depredação durante a greve dos caminhoneiros, em maio do ano passado. Consumidores insatisfeitos foram ao local cobrar os donos sobre danos causados nos veículos por suposto combustível adulterado. O litro da gasolina chegou a ser vendido por R$ 7.

Desde abril de 2018, mais de 50 postos de combustível foram alvos da operação Olho na Bomba na região, sendo que oito tiveram a inscrição estadual cassada e, outros dois, as bombas removidas, uma vez que mesmo lacradas e relacradas, os postos continuaram em atividade. Outros contribuintes serão alvo de medidas da secretaria nos próximos dias.

‘NÃO HÁ MILAGRE’

Conforme o presidente do Regran (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do ABCDMR), Wagner de Souza, o posto não era associado, mas “o histórico não era bom, já que ele já tinha sido auditado algumas vezes.” Para evitar dor de cabeça, ele orienta que o abastecimento seja feito sempre no mesmo posto, onde o usuário conheça o gerente e os funcionários. O valor também deve ser alvo de atenção. “Onde o preço estiver muito abaixo da média de mercado, desconfie. Não há milagre. O combustível pode variar um pouco para cima ou para baixo, mas se estiver muito abaixo, desconfie.”

No caso do Lions Posto, o litro da gasolina era vendido por R$ 3,69 e, o etanol, R$ 2,29. De acordo com levantamento feito pelo Diário com base nos dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), coletados na semana passada, a média na região é de R$ 4,12 e R$ 2,85, respectivamente. Ou seja, a gasolina custava R$ 0,43 a menos e, o etanol, R$ 0,56.

A média da gasolina está 4,19% mais barata do que no início de junho, quando custava R$ 4,30. O mesmo comportamento foi observado no diesel, que caiu de R$ 3,61 para R$ 3,48 (-3,6%) e no etanol, que teve a maior redução no período, já que custava R$ 2,74 (-5,8%).

Souza afirmou que houve pequeno aumento no etanol nesta semana, por causa da entressafra, podendo chegar a média de R$ 2,64. “Porém, o movimento caiu em 15% por conta das férias escolares, então muitos locais fazem promoções para se manter competitivos”, disse.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;