Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Antiga direção da Aciscs minimiza denúncias do Natal Iluminado


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

25/07/2019 | 07:24


Integrantes que compuseram o quadro diretivo da Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano), durante gestão do ex-presidente da entidade Walter Estevam Junior, passaram panos quentes nas suspeitas de desvios de recursos públicos para realização do Natal Iluminado, em 2016, quando a instituição firmou convênio com a Prefeitura, no último ano de mandato do ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM). A parceria envolvia R$ 1,2 milhão, sendo R$ 1 milhão por parte do poder público, enquanto a associação aportaria R$ 200 mil.

Ex-vice-presidente de tecnologia e sistemas à época, Elda Xavier Martinez comentou apenas que o evento realizado pela associação foi um sucesso e que não viu ou ouviu reclamação a respeito da parceria entre a entidade e a Prefeitura. “Não vi nenhum problema. O evento foi um sucesso e saiu até na televisão. Mas o que tenho que falar é somente isso. Não comentarei sobre a prestação de contas, já que não fazia parte da área que tinha responsabilidades nessa área”, discorreu Elda.

A prestação de contas assinada pela Aciscs, apresentada por Estevam, foi analisada por uma comissão montada na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Foi encontrada série de inconsistências. O balancete foi reprovado pela pasta, que cobrou devolução dos valores e enviou o relatório a órgãos de controle, como Ministério Público, TCE (Tribunal de Contas do Estado) e Corregedoria-Geral do Município. Houve inclusão até de nota fiscal de refeição regada a chope e cerveja na lista de despesa com dinheiro público.

O ex-vice-presidente de estratégias e negócios Adílio Inácio da Silva alegou ter acompanhado a prestação de contas e disse que tudo foi feito de forma “transparente” e que havia “legalidade” no processo. “Aprovamos as contas porque estava tudo correto e dentro do que foi pedido. Não vimos problema algum na prestação de contas do Walter.”

Comissão que analisou a prestação de contas questionou a terceirização do serviço – a Aciscs contratou a VBX Light Indústria, Comércio e Serviços. Houve até reforma da fachada da sede com dinheiro para o Natal Iluminado. Por causa das falhas, a administração de José Auricchio Júnior (PSDB) autorizou inscrição da associação comercial na lista de devedores.

Ex-vice-presidente de marketing, Roberto Leandrini Junior sustentou que o processo envolvendo Estevam é “político” e que não viu qualquer tipo de problema na realização do evento natalino. “Estão fazendo tudo isso somente porque ele se colocou como candidato a prefeito da cidade”, alegou, porém, sem dar respostas às ponderações feitas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Ex-secretário da entidade, Sergio Ricardo Tannuri disse que não faria qualquer comentário sobre o assunto. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Antiga direção da Aciscs minimiza denúncias do Natal Iluminado

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

25/07/2019 | 07:24


Integrantes que compuseram o quadro diretivo da Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano), durante gestão do ex-presidente da entidade Walter Estevam Junior, passaram panos quentes nas suspeitas de desvios de recursos públicos para realização do Natal Iluminado, em 2016, quando a instituição firmou convênio com a Prefeitura, no último ano de mandato do ex-prefeito Paulo Pinheiro (DEM). A parceria envolvia R$ 1,2 milhão, sendo R$ 1 milhão por parte do poder público, enquanto a associação aportaria R$ 200 mil.

Ex-vice-presidente de tecnologia e sistemas à época, Elda Xavier Martinez comentou apenas que o evento realizado pela associação foi um sucesso e que não viu ou ouviu reclamação a respeito da parceria entre a entidade e a Prefeitura. “Não vi nenhum problema. O evento foi um sucesso e saiu até na televisão. Mas o que tenho que falar é somente isso. Não comentarei sobre a prestação de contas, já que não fazia parte da área que tinha responsabilidades nessa área”, discorreu Elda.

A prestação de contas assinada pela Aciscs, apresentada por Estevam, foi analisada por uma comissão montada na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Foi encontrada série de inconsistências. O balancete foi reprovado pela pasta, que cobrou devolução dos valores e enviou o relatório a órgãos de controle, como Ministério Público, TCE (Tribunal de Contas do Estado) e Corregedoria-Geral do Município. Houve inclusão até de nota fiscal de refeição regada a chope e cerveja na lista de despesa com dinheiro público.

O ex-vice-presidente de estratégias e negócios Adílio Inácio da Silva alegou ter acompanhado a prestação de contas e disse que tudo foi feito de forma “transparente” e que havia “legalidade” no processo. “Aprovamos as contas porque estava tudo correto e dentro do que foi pedido. Não vimos problema algum na prestação de contas do Walter.”

Comissão que analisou a prestação de contas questionou a terceirização do serviço – a Aciscs contratou a VBX Light Indústria, Comércio e Serviços. Houve até reforma da fachada da sede com dinheiro para o Natal Iluminado. Por causa das falhas, a administração de José Auricchio Júnior (PSDB) autorizou inscrição da associação comercial na lista de devedores.

Ex-vice-presidente de marketing, Roberto Leandrini Junior sustentou que o processo envolvendo Estevam é “político” e que não viu qualquer tipo de problema na realização do evento natalino. “Estão fazendo tudo isso somente porque ele se colocou como candidato a prefeito da cidade”, alegou, porém, sem dar respostas às ponderações feitas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Ex-secretário da entidade, Sergio Ricardo Tannuri disse que não faria qualquer comentário sobre o assunto. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;