Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Cia Sala de Giz se apresenta na região

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grupo mineiro chega à Santo André com dois espetáculos no sábado e domingo


Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

24/07/2019 | 07:32


Companhia teatral criada em Juiz de Fora, Minas Gerais, a Sala de Giz traz para Santo André, na Escola Nacional de Teatro, dois espetáculos de seu repertório: Tempo de Afogar Dois Cavalos, sábado, às 20h, e Terra sem Acalanto, opção para domingo, a partir das 19h.

A primeira apresentação, com dramaturgia de Felipe Moratori, que assina a direção ao lado de Bruno Quiossa, conta sete histórias com a mesma premissa: um quarto de hotel e dois cavalos pretos amarrados na calçada enquanto chove torrencialmente. A sugestão é convidar o público para um mergulho em dualidades.

“Partindo de um único metro quadrado, nossas intenções, configuradas em duplas, avançaram e se desdobraram entre água, madeira e metal. O número dois foi elemento norteador que em nós inspirou, sobretudo, as tensões entre corpo e palavra; realidade e ficção; pedagogia e arte; e sonho e limitação”, explica Felipe Moratori.

A outra obra apresentada chega com urgência questionadora. Com texto de Felipe Moratori, Terra sem Acalanto, cuja direção é assinada por Tatiana Henrique junto com da companhia, foi motivada pelo rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco/Vale, localizada em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, em 2015.

A peça fala sobre um coveiro que chega a uma cidadezinha que foi devastada. Ele precisa enterrar, além das vítimas, as memórias e desejos dos sobreviventes. “Entendemos que o espetáculo se atualiza diante da relevância de se discutir os maiores crimes ambientais da história do Brasil”, afirma Moratori. 

Companhia Sala de Giz – Peça. Na Escola Nacional de Teatro – Rua Senador Flaquer, 958. Santo André. Sábado, às 20h, e domingo, a partir das 19h. Ingr.: R$ 15 e R$ 30 (www.sympla.com.br). 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cia Sala de Giz se apresenta na região

Grupo mineiro chega à Santo André com dois espetáculos no sábado e domingo

Vinícius Castelli
Do Diário do Grande ABC

24/07/2019 | 07:32


Companhia teatral criada em Juiz de Fora, Minas Gerais, a Sala de Giz traz para Santo André, na Escola Nacional de Teatro, dois espetáculos de seu repertório: Tempo de Afogar Dois Cavalos, sábado, às 20h, e Terra sem Acalanto, opção para domingo, a partir das 19h.

A primeira apresentação, com dramaturgia de Felipe Moratori, que assina a direção ao lado de Bruno Quiossa, conta sete histórias com a mesma premissa: um quarto de hotel e dois cavalos pretos amarrados na calçada enquanto chove torrencialmente. A sugestão é convidar o público para um mergulho em dualidades.

“Partindo de um único metro quadrado, nossas intenções, configuradas em duplas, avançaram e se desdobraram entre água, madeira e metal. O número dois foi elemento norteador que em nós inspirou, sobretudo, as tensões entre corpo e palavra; realidade e ficção; pedagogia e arte; e sonho e limitação”, explica Felipe Moratori.

A outra obra apresentada chega com urgência questionadora. Com texto de Felipe Moratori, Terra sem Acalanto, cuja direção é assinada por Tatiana Henrique junto com da companhia, foi motivada pelo rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco/Vale, localizada em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, em 2015.

A peça fala sobre um coveiro que chega a uma cidadezinha que foi devastada. Ele precisa enterrar, além das vítimas, as memórias e desejos dos sobreviventes. “Entendemos que o espetáculo se atualiza diante da relevância de se discutir os maiores crimes ambientais da história do Brasil”, afirma Moratori. 

Companhia Sala de Giz – Peça. Na Escola Nacional de Teatro – Rua Senador Flaquer, 958. Santo André. Sábado, às 20h, e domingo, a partir das 19h. Ingr.: R$ 15 e R$ 30 (www.sympla.com.br). 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;