Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Smartphone gamer: tudo que você precisa saber antes de comprar um

Da Redação

23/07/2019 | 12:48


O Brasil é o terceiro maior mercado gamer do mundo. O país, que mostra ter potencial para crescer ainda mais nos próximos anos, está atrás apenas dos Estados Unidos e da China. E quem puxa os números para cima são os smartphones – cada vez mais procurados por quem quer jogar e não pretende depender de pesados PCS ou consoles.

Leia Mais
Guia de Compras: veja dicas práticas para escolher seu próximo notebook
Guia de Compras: Por que é tão difícil escolher smartphone no Brasil?

Em 2019, a Newzoo lançou uma pesquisa divulgando o número de gamers no Brasil. Já são quase 80 milhões de pessoas. O relatório identificou que, desse total, 82% também jogam no smartphone. Quando comparado a porcentagem de jogadores que focam os consoles, o número é bem maior, pois nos videogames é de 44%.

“Há celulares que atualmente são desenvolvidos pensando no público gamer. As pessoas querem se divertir. Mais: desejam fazer isso da melhor e mais barata forma possível”, afirma Carlos Buarque, diretor de marketing da Intel.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Com o mercado aquecido e várias opções disponíveis, uma dúvida comum é o que priorizar na hora de comprar um smartphone game. A seguir, o 33Giga mostra o que observar antes de comprar um celular para jogar.

Processador
O processador é como se fosse o coração do smartphone. É responsável por manter todos os “órgãos” do sistema funcionando corretamente. Esse componente dá velocidade à execução de jogos, câmeras e dezenas de outras tarefas importantes para o funcionamento adequado do aparelho.

Para os jogos, pensar no processador é muito importante. Na prática, é ele que mantém a fluidez do game sem travar ou com encerramentos indesejáveis por conta de falta de desempenho adequado.  Para escolhê-lo, é preciso levar em conta a frequência de operação (ou velocidade de clock) e número de núcleos.

“Embora pareça claro que quanto maior a quantidade de GHz e de núcleos melhor, é importante olhar para as duas coisas juntas. Um processador octa-core pode ter um desempenho pior que um quad-core, por exemplo, dependendo da frequência de operação”, esclarece Dimitria Coutinho, no site de tecnologia Ada. “Da mesma forma, um celular com um valor mais alto de GHz nem sempre é o que roda mais rápido, dependendo da quantidade de núcleos.”

Para um smartphone gamer, o processador é vital para o usuário não se estressar com a possibilidade de travamento nos games. No entanto, é um dos componentes que mais inflam o preço do aparelho.

Memória RAM
A memória RAM é o espaço de armazenamento volátil do smartphone (e de PCs, aliás) e trabalha em conjunto com o processador. Os componentes funcionam de maneira interligada e, portanto, um bom smartphone gamer também necessita de muitos GBs de RAM.

“A principal função da memória RAM no celular é encaminhar ao processador as informações que serão rodadas — arquivos de aplicações, vídeos, músicas, páginas navegadas, fotos, entre outros”, afirma Ricardo Bergher, especialista em Tecnologia do site Zoom. “Após processados, o resultado retorna novamente para a memória RAM, que os encaminha para seu destino: a tela, para ser visualizado, ou as saídas de áudio do smartphone.”

Para não ter problemas quanto a execução de jogos, uma memória RAM de 6 GB já é suficiente que se adequa a praticamente qualquer game. O mínimo recomendado atualmente para jogos pesados é uma memória RAM de 4 GB.

Tela
Avaliar a tela do smartphone vai além do seu tamanho. É preciso levar em consideração outros fatores que são relevantes para quem é gamer.

Existem vários tipos diferentes, como OLED, AMOLED, IPS, LCD e tantos outros e cada um com especificação única. Não é necessário saber inteiramente o que cada sigla significa, mas é importante conhecer alguns aspectos e a resolução é um dos mais relevantes.

“Além de se preocupar com o tipo de display, o consumidor também deve se atentar à resolução da tela. Para explicar isso, precisamos entender a unidade mais básica na formação de uma imagem: o pixel”, afirma Eduardo Harada, no site Tecmundo. “Esses pontos luminosos, quando unidos, formam uma imagem. Quanto maior a quantidade deles, maior é a resolução e definição.”

A densidade de pixels também é relevante para a qualidade de imagem. Tudo isso impacta em gráficos mais nítidos nos jogos de smartphone. Geralmente os telefones que são voltados para os gamers já contam com uma tela adequada para jogos, portanto, dificilmente há aparelhos potentes com telas ruins.

Bateria
É difícil jogar os seus games favoritos ao lado da tomada devido a baixa autonomia de bateria do smartphone. Isso é um problema em alguns casos, algo incômodo que desanima muitos gamers.

A necessidade de uma boa bateria vai além de jogos tradicionais. Em sites como o partypoker, por exemplo, o calendário de torneios é bastante movimentado. Dessa maneira, para um competidor profissional ou semiprofissional, é preciso ter um smartphone de longa autonomia de bateria para suportar as longas sessões de poker longe da tomada.

Para um smartphone gamer, uma bateria de pelo menos 4.000 mAh (miliampere-hora) já é o ideal para não ter dor de cabeça com descarregamento rápido durante a execução de jogos.

GPU
Outro componente muito importante para um smartphone gamer, GPU é a sigla para Graphics Processing Unit (Unidade de Processamento Gráfico) que também é chamado de chip gráfico. Como o próprio nome já diz, a GPU influencia muito na exibição de imagens, vídeos e qualidade gráfica nos smartphones.

“Na hora de gerar imagens, a GPU executa uma série de processos pré-estabelecidos para renderização, como a elaboração dos elementos geométricos, inserção de efeitos, aplicação de cores, etc”, diz Maicon Paul, especialista em tecnologia da Cissa Magazine. “Depois de feito isso, tudo de forma muito rápida, ela envia estas informações à memória de vídeo que reproduz o resultado na tela de seu smartphone.”

Na hora de comprar um smartphone gamer, o ideal é pesquisar o modelo da GPU do aparelho em questão e ler em sites especializados sobre seus prós e contras.

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;