Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham em alta, de olho em EUA e China e à espera de balanços



22/07/2019 | 18:50


As bolsas de Nova York fecharam a sessão desta segunda-feira, 22, em alta. O mercado repercutiu a notícia de uma nova rodada de negociações comerciais entre Estados Unidos e China, enquanto aguardava a divulgação de balanços financeiros e indicadores nesta semana, com destaque para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano. Entre os setores, houve destaque para o de tecnologia.

O índice Dow Jones teve alta de 0,07%, aos 27.171,90 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,28% para 2.985,03 pontos e o Nasdaq ganhou 0,71%, a 8.204,14 pontos.

O subíndice de tecnologia do S&P 500 subiu 1,22% e renovou máximas em 52 semanas, enquanto investidores aguardam os balanços financeiros de giant techs como Amazon (+1,07%), Facebook (+2,0%), Alphabet (controladora da Google, +0,68%), Twitter (+2,20%) e Intel (+2,15%), que serão divulgados ao longo da semana.

Ainda no setor tecnológico, a Apple (+2,29%) avançou em meio a expectativas de melhores vendas do iPhone na China, segundo análise do Morgan Stanley, e a Microsoft (+1,32%) teve valorização após o anúncio de fortes investimentos em inteligência artificial e de um acordo judicial para concluir investigações sobre propinas da companhia a autoridades no exterior, ainda após um balanço considerado positivo pelo mercado na semana passada.

Outra empresa que divulgará balanço nos próximos dias é a Boeing (-1,04%). A companhia teve sua perspectiva de crédito alterada para "negativa" pela Fitch Ratings e, depois do fechamento do mercado, também pela Moody's, repercutindo acidentes causados por falhas no modelo 737 MAX. Na semana passada, relatos de vulnerabilidade técnica em outros dois modelos também pressionaram os papéis da Boeing.

No radar de balanços da semana, estiveram também a 3M (+1,18%) e a Visa (+0,74%). No segmento de energia, a petrolífera Halliburton (+9,15%) liderou ganhos no S&P 500, após reportar lucros acima das previsões do mercado, mas receita ligeiramente abaixo das expectativas no último trimestre. Já Bunge subiu 1,39%, após o anúncio de que a gigante do setor agrícola e a BP criarão uma joint venture para explorar bioenergia e açúcar no Brasil.

Na frente comercial, o jornal de Hong Kong South China Morning Post informou que o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, viajarão à China na próxima semana para se reunir com representantes do governo da China. A informação ainda não foi confirmada pelo governo americano, mas ajudou a renovar esperanças de investidores por um possível acordo comercial entre as duas potências econômicas.

Entre os indicadores, na sexta-feira o Departamento do Comércio dos EUA divulgará a primeira leitura da estimativa do crescimento do PIB americano no segundo trimestre de 2019. Além disso, ao longo da semana serão publicados os índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês), a balança comercial de bens e a inflação medida pelo índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês). Com informações da Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY fecham em alta, de olho em EUA e China e à espera de balanços


22/07/2019 | 18:50


As bolsas de Nova York fecharam a sessão desta segunda-feira, 22, em alta. O mercado repercutiu a notícia de uma nova rodada de negociações comerciais entre Estados Unidos e China, enquanto aguardava a divulgação de balanços financeiros e indicadores nesta semana, com destaque para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano. Entre os setores, houve destaque para o de tecnologia.

O índice Dow Jones teve alta de 0,07%, aos 27.171,90 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,28% para 2.985,03 pontos e o Nasdaq ganhou 0,71%, a 8.204,14 pontos.

O subíndice de tecnologia do S&P 500 subiu 1,22% e renovou máximas em 52 semanas, enquanto investidores aguardam os balanços financeiros de giant techs como Amazon (+1,07%), Facebook (+2,0%), Alphabet (controladora da Google, +0,68%), Twitter (+2,20%) e Intel (+2,15%), que serão divulgados ao longo da semana.

Ainda no setor tecnológico, a Apple (+2,29%) avançou em meio a expectativas de melhores vendas do iPhone na China, segundo análise do Morgan Stanley, e a Microsoft (+1,32%) teve valorização após o anúncio de fortes investimentos em inteligência artificial e de um acordo judicial para concluir investigações sobre propinas da companhia a autoridades no exterior, ainda após um balanço considerado positivo pelo mercado na semana passada.

Outra empresa que divulgará balanço nos próximos dias é a Boeing (-1,04%). A companhia teve sua perspectiva de crédito alterada para "negativa" pela Fitch Ratings e, depois do fechamento do mercado, também pela Moody's, repercutindo acidentes causados por falhas no modelo 737 MAX. Na semana passada, relatos de vulnerabilidade técnica em outros dois modelos também pressionaram os papéis da Boeing.

No radar de balanços da semana, estiveram também a 3M (+1,18%) e a Visa (+0,74%). No segmento de energia, a petrolífera Halliburton (+9,15%) liderou ganhos no S&P 500, após reportar lucros acima das previsões do mercado, mas receita ligeiramente abaixo das expectativas no último trimestre. Já Bunge subiu 1,39%, após o anúncio de que a gigante do setor agrícola e a BP criarão uma joint venture para explorar bioenergia e açúcar no Brasil.

Na frente comercial, o jornal de Hong Kong South China Morning Post informou que o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, viajarão à China na próxima semana para se reunir com representantes do governo da China. A informação ainda não foi confirmada pelo governo americano, mas ajudou a renovar esperanças de investidores por um possível acordo comercial entre as duas potências econômicas.

Entre os indicadores, na sexta-feira o Departamento do Comércio dos EUA divulgará a primeira leitura da estimativa do crescimento do PIB americano no segundo trimestre de 2019. Além disso, ao longo da semana serão publicados os índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês), a balança comercial de bens e a inflação medida pelo índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês). Com informações da Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;