Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Alison e Álvaro Filho triunfam em final brasileira e levam ouro no vôlei de praia



21/07/2019 | 17:56


Em uma final 100% brasileira disputada neste domingo, Alison e Álvaro Filho venceram André Stein e George por 2 sets a 1, com parciais de 21/13, 15/21 e 15/9, e faturaram a medalha de ouro da etapa de Espinho, em Portugal, do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. As duplas mediram forças na luta pelo título horas depois de terem triunfado nas semifinais do evento de nível quatro estrelas da elite da modalidade.

Campeões anteriormente em Kuala Lumpur, em abril, na Malásia, Alison e Álvaro conquistaram em solo português o segundo título de uma etapa nesta temporada. A parceria entre os dois foi formada no início deste ano, com o objetivo de conquistar vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, e o resultado deste domingo rendeu 800 pontos para eles no ranking da corrida olímpica do Brasil por um lugar na competição.

Apenas duas duplas de cada naipe (masculino e feminino) vão representar o Brasil na Olimpíada e os campeões desta disputa em Espinho ocupam a segunda posição neste ranking, agora com 3.830 pontos - os líderes são Evandro e Bruno Schmdit, com 4.640. E nesta campanha na competição em Portugal os medalhistas de ouro brilharam ao eliminar os alemães Thole e Wickler, atuais vice-campeões mundiais, e os italianos Nicolai e Lupo, que faturaram a prata nos Jogos do Rio-2016.

"Tivemos uma fase de grupos muito forte, perdemos para eles (André e George) valendo o primeiro lugar da chave em um jogo muito equilibrado. Na sequência foram vários cruzamentos duros, os norte-americanos, a dupla alemã vice-campeã mundial, os italianos vice-campeões olímpicos, foi uma trajetória muito forte que foi nos dando confiança e resistência. A final foi digna de uma decisão brasileira, 2 sets a 1, com André e George jogando muito bem novamente. Tivemos calma com o vento forte, mas também soubemos nos comunicar, usar a energia da torcida", disse Alison, que nas semifinais deste domingo também superou, ao lado de Álvaro Filho, os letões Plavins e Tocs por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/15.

Já na outra semifinal, André e George derrotaram os primos chilenos Marco e Esteban Grimalt por 21/17. No confronto que valeu o bronze, Plavins e Tocs venceram a parceria do Chile por 21/13 e 21/18 para garantir um lugar no pódio em Espinho.

André Stein, por sua vez, valorizou a medalha de prata conquistada em Portugal, sendo que anteriormente ele e George faturaram o terceiro lugar na etapa quatro estrelas de Jinjiang, na China, nesta temporada. "Já alcançamos o bronze, agora conseguimos a medalha de prata. Acredito que estamos no caminho certo para conquistar a medalha de ouro na sequência. Foi uma ótima experiência jogar em Portugal. Existem muitos brasileiros, a torcida torceu e apoio demais os times do Brasil, a comida e o clima são excelentes. Estamos orgulhosos da nossa campanha", ressaltou.

Curiosamente, a única derrota em sete jogos de Alison e Álvaro Filho nesta participação em Espinho foi justamente para André e George, na fase de grupos da competição. E o ouro obtido neste torneio rendeu aos campeões um prêmio de cerca de R$ 74 mil, enquanto os medalhistas de prata ganharam aproximadamente R$ 60 mil. A única derrota desta última parceria no evento português ocorreu na decisão, depois de terem conquistado cinco vitórias consecutivas.

Com esta campanha, André e George também passaram a contabilizar 3.520 pontos no ranking da corrida olímpica brasileira rumo a Tóquio-2020, no qual ocupam a terceira posição. E há quatro maneiras de assegurar vaga na Olimpíada: ganhando o título do Mundial de 2019; sendo finalista do classificatório olímpico, que será na China, também neste ano; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; ou vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alison e Álvaro Filho triunfam em final brasileira e levam ouro no vôlei de praia


21/07/2019 | 17:56


Em uma final 100% brasileira disputada neste domingo, Alison e Álvaro Filho venceram André Stein e George por 2 sets a 1, com parciais de 21/13, 15/21 e 15/9, e faturaram a medalha de ouro da etapa de Espinho, em Portugal, do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. As duplas mediram forças na luta pelo título horas depois de terem triunfado nas semifinais do evento de nível quatro estrelas da elite da modalidade.

Campeões anteriormente em Kuala Lumpur, em abril, na Malásia, Alison e Álvaro conquistaram em solo português o segundo título de uma etapa nesta temporada. A parceria entre os dois foi formada no início deste ano, com o objetivo de conquistar vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, e o resultado deste domingo rendeu 800 pontos para eles no ranking da corrida olímpica do Brasil por um lugar na competição.

Apenas duas duplas de cada naipe (masculino e feminino) vão representar o Brasil na Olimpíada e os campeões desta disputa em Espinho ocupam a segunda posição neste ranking, agora com 3.830 pontos - os líderes são Evandro e Bruno Schmdit, com 4.640. E nesta campanha na competição em Portugal os medalhistas de ouro brilharam ao eliminar os alemães Thole e Wickler, atuais vice-campeões mundiais, e os italianos Nicolai e Lupo, que faturaram a prata nos Jogos do Rio-2016.

"Tivemos uma fase de grupos muito forte, perdemos para eles (André e George) valendo o primeiro lugar da chave em um jogo muito equilibrado. Na sequência foram vários cruzamentos duros, os norte-americanos, a dupla alemã vice-campeã mundial, os italianos vice-campeões olímpicos, foi uma trajetória muito forte que foi nos dando confiança e resistência. A final foi digna de uma decisão brasileira, 2 sets a 1, com André e George jogando muito bem novamente. Tivemos calma com o vento forte, mas também soubemos nos comunicar, usar a energia da torcida", disse Alison, que nas semifinais deste domingo também superou, ao lado de Álvaro Filho, os letões Plavins e Tocs por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/15.

Já na outra semifinal, André e George derrotaram os primos chilenos Marco e Esteban Grimalt por 21/17. No confronto que valeu o bronze, Plavins e Tocs venceram a parceria do Chile por 21/13 e 21/18 para garantir um lugar no pódio em Espinho.

André Stein, por sua vez, valorizou a medalha de prata conquistada em Portugal, sendo que anteriormente ele e George faturaram o terceiro lugar na etapa quatro estrelas de Jinjiang, na China, nesta temporada. "Já alcançamos o bronze, agora conseguimos a medalha de prata. Acredito que estamos no caminho certo para conquistar a medalha de ouro na sequência. Foi uma ótima experiência jogar em Portugal. Existem muitos brasileiros, a torcida torceu e apoio demais os times do Brasil, a comida e o clima são excelentes. Estamos orgulhosos da nossa campanha", ressaltou.

Curiosamente, a única derrota em sete jogos de Alison e Álvaro Filho nesta participação em Espinho foi justamente para André e George, na fase de grupos da competição. E o ouro obtido neste torneio rendeu aos campeões um prêmio de cerca de R$ 74 mil, enquanto os medalhistas de prata ganharam aproximadamente R$ 60 mil. A única derrota desta última parceria no evento português ocorreu na decisão, depois de terem conquistado cinco vitórias consecutivas.

Com esta campanha, André e George também passaram a contabilizar 3.520 pontos no ranking da corrida olímpica brasileira rumo a Tóquio-2020, no qual ocupam a terceira posição. E há quatro maneiras de assegurar vaga na Olimpíada: ganhando o título do Mundial de 2019; sendo finalista do classificatório olímpico, que será na China, também neste ano; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; ou vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;