Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

EUA garantem apoio de países da América Latina no combate ao Hezbollah



19/07/2019 | 20:12


Os Estados Unidos combinaram com países latino-americanos ações coordenadas contra o Hezbollah, grupo armado de origem libanesa que supostamente tem apoio financeiro do Irã. O compromisso foi firmado nesta sexta-feira, em meio a tensões diplomáticas com o país persa.

"Muitas nações estão dizendo a verdade sobre o Irã, é um terror global", disse o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, no encerramento da Segunda Conferência Ministerial Hemisférica sobre o Combate ao Terrorismo, em Buenos Aires. "O Hezbollah mantém uma forte presença na América do Sul", completou.

A visita de Pompeo à América Latina faz parte do objetivo de recuperar a influência dos EUA na região, após governos de centro-esquerda que mantinham resistência à presença americana deixarem o poder. "Sob a liderança do presidente Donald Trump, o nosso governo faz um esforço para se reconectar com parceiros da América Latina", afirmou o alto funcionário da Casa Branca, salientando que as relações entre os países do continente estão em uma "nova era".

Os chanceleres que participaram do evento - entre eles o brasileiro, Ernesto Araújo - expressaram preocupação com o risco de que grupos terroristas possam se refugiar em países com conflitos internos, como a Venezuela. "A Venezuela também serve como mais uma lembrança da determinação do Irã de semear a destruição e a morte", alertou Pompeo.

Nesse sentido, EUA, Argentina, Paraguai e Brasil chegaram a um acordo sobre mecanismos de segurança nacional para uma melhor coordenação política e diplomática contra o terrorismo. Os quatro países terão reuniões a cada seis meses, a primeira em setembro em Assunção, capital do Paraguai.

"Nós concordamos em relação ao perigo que o Hezbollah significa em nossa área", disse o ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

EUA garantem apoio de países da América Latina no combate ao Hezbollah


19/07/2019 | 20:12


Os Estados Unidos combinaram com países latino-americanos ações coordenadas contra o Hezbollah, grupo armado de origem libanesa que supostamente tem apoio financeiro do Irã. O compromisso foi firmado nesta sexta-feira, em meio a tensões diplomáticas com o país persa.

"Muitas nações estão dizendo a verdade sobre o Irã, é um terror global", disse o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, no encerramento da Segunda Conferência Ministerial Hemisférica sobre o Combate ao Terrorismo, em Buenos Aires. "O Hezbollah mantém uma forte presença na América do Sul", completou.

A visita de Pompeo à América Latina faz parte do objetivo de recuperar a influência dos EUA na região, após governos de centro-esquerda que mantinham resistência à presença americana deixarem o poder. "Sob a liderança do presidente Donald Trump, o nosso governo faz um esforço para se reconectar com parceiros da América Latina", afirmou o alto funcionário da Casa Branca, salientando que as relações entre os países do continente estão em uma "nova era".

Os chanceleres que participaram do evento - entre eles o brasileiro, Ernesto Araújo - expressaram preocupação com o risco de que grupos terroristas possam se refugiar em países com conflitos internos, como a Venezuela. "A Venezuela também serve como mais uma lembrança da determinação do Irã de semear a destruição e a morte", alertou Pompeo.

Nesse sentido, EUA, Argentina, Paraguai e Brasil chegaram a um acordo sobre mecanismos de segurança nacional para uma melhor coordenação política e diplomática contra o terrorismo. Os quatro países terão reuniões a cada seis meses, a primeira em setembro em Assunção, capital do Paraguai.

"Nós concordamos em relação ao perigo que o Hezbollah significa em nossa área", disse o ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;