Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Pai biológico de Marcos Paulo nega que vá entrar na briga pela herança



18/07/2019 | 15:11


Aos 95 anos de idade, o homem que afirma ser o pai biológico de Marcos Paulo, João Paulo, falou pela primeira vez sobre o imbróglio da herança do filho, ao Balanço Geral, na quinta-feira, dia 18. Ele começou explicando sua relação com a mãe do ator, dizendo que morava com a mãe de Marcos Paulo, que morreu logo após o parto. Assim, sua avó materna levou o pequeno para criar:

Eu morava com a mãe dele, sim, estava presente no Hospital Matarazzo quando ele nasceu.

O senhor então revelou que eles conviveram, mas que a convivência não era próxima, já que a família materna tinha medo de que sua irmã pegasse a criança para criar. Lembrando que, na época do nascimento de Marcos, ainda era um escândalo um bebê nascer de um casal que não fosse comprometido legalmente:

Quando ele estudou no colégio São Bento, ele me procurava. Ele estava no colégio e eu estava sempre com ele. Mas a avó dele, tinha um ciúme, e não deixava eu me aproximar. Eu tinha uma irmã mais velha que queria criar ele.

Depois, João Paulo especulou como Marcos pode ter conhecido seu pai adotivo - e o homem que o apadrinhou na profissão, Vicente Sesso:

Foi muito pela proximidade, ele morava ali na rua Araújo, perto do Bexiga, perto da TV Cultura.

Ele disse que não consultou advogado e não tem interesse em participar da demorada briga pela herança de Paulo:

Não, não consultei, né? Porque ela morreu após o parto. Ela teve o bebê, foi para o quarto, eu fui, conversei com ela, então a mãe dela falou: Vai dormir, vai descansar, que eu fico aqui. Depois, durante a noite, foram me chamar, que ela havia morrido.

E que gostava de ver seu filho na TV:

Claro, claro que eu gostava, lógico.

Por outro lado, Fontenelle continua na briga...

Em entrevista ao TV Fama, que foi ao ar na noite de quinta, dia 17, Antonia contou que o processo continua, e falou sobre a carta que os advogados das filhas de Marcos enviou à imprensa:

Primeiro, se fossem a favor, não teriam brigado sete anos. Segundo, não queria 60% de nada, não estou aqui pra pedir 60% do que não é meu. Meu marido fez uma carta me beneficiando e quis que fosse assim.

E continuou:

No dia em que sai um acordo em que o Judiciário anuncia que eu concorro de igual pra igual com as filhas dele, da onde eles tiram 12,5%? Meu, não é. Não concordamos a vida inteira com 60%, mas com 12, concordamos. Quem são elas pra concordar com alguma coisa? O inventariante ainda não apresentou os valores para que se discuta porcentagem. 12 do quê, de onde? Portanto, é mentira, tá.

O Judiciário já me colocou na condição de herdeira, e concorro de igual pra igual. Só falta a prestação de contas, mas não para mim, eu sei onde está tudo, direitinho. Afinal de contas, eu era esposa, não era uma bonequinha de luxo, uma amante.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pai biológico de Marcos Paulo nega que vá entrar na briga pela herança


18/07/2019 | 15:11


Aos 95 anos de idade, o homem que afirma ser o pai biológico de Marcos Paulo, João Paulo, falou pela primeira vez sobre o imbróglio da herança do filho, ao Balanço Geral, na quinta-feira, dia 18. Ele começou explicando sua relação com a mãe do ator, dizendo que morava com a mãe de Marcos Paulo, que morreu logo após o parto. Assim, sua avó materna levou o pequeno para criar:

Eu morava com a mãe dele, sim, estava presente no Hospital Matarazzo quando ele nasceu.

O senhor então revelou que eles conviveram, mas que a convivência não era próxima, já que a família materna tinha medo de que sua irmã pegasse a criança para criar. Lembrando que, na época do nascimento de Marcos, ainda era um escândalo um bebê nascer de um casal que não fosse comprometido legalmente:

Quando ele estudou no colégio São Bento, ele me procurava. Ele estava no colégio e eu estava sempre com ele. Mas a avó dele, tinha um ciúme, e não deixava eu me aproximar. Eu tinha uma irmã mais velha que queria criar ele.

Depois, João Paulo especulou como Marcos pode ter conhecido seu pai adotivo - e o homem que o apadrinhou na profissão, Vicente Sesso:

Foi muito pela proximidade, ele morava ali na rua Araújo, perto do Bexiga, perto da TV Cultura.

Ele disse que não consultou advogado e não tem interesse em participar da demorada briga pela herança de Paulo:

Não, não consultei, né? Porque ela morreu após o parto. Ela teve o bebê, foi para o quarto, eu fui, conversei com ela, então a mãe dela falou: Vai dormir, vai descansar, que eu fico aqui. Depois, durante a noite, foram me chamar, que ela havia morrido.

E que gostava de ver seu filho na TV:

Claro, claro que eu gostava, lógico.

Por outro lado, Fontenelle continua na briga...

Em entrevista ao TV Fama, que foi ao ar na noite de quinta, dia 17, Antonia contou que o processo continua, e falou sobre a carta que os advogados das filhas de Marcos enviou à imprensa:

Primeiro, se fossem a favor, não teriam brigado sete anos. Segundo, não queria 60% de nada, não estou aqui pra pedir 60% do que não é meu. Meu marido fez uma carta me beneficiando e quis que fosse assim.

E continuou:

No dia em que sai um acordo em que o Judiciário anuncia que eu concorro de igual pra igual com as filhas dele, da onde eles tiram 12,5%? Meu, não é. Não concordamos a vida inteira com 60%, mas com 12, concordamos. Quem são elas pra concordar com alguma coisa? O inventariante ainda não apresentou os valores para que se discuta porcentagem. 12 do quê, de onde? Portanto, é mentira, tá.

O Judiciário já me colocou na condição de herdeira, e concorro de igual pra igual. Só falta a prestação de contas, mas não para mim, eu sei onde está tudo, direitinho. Afinal de contas, eu era esposa, não era uma bonequinha de luxo, uma amante.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;