Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Toffoli pede que Justiça preste informações sobre inquérito de sargento preso



17/07/2019 | 22:15


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, pediu nesta quarta-feira, 17, que a Justiça Militar informe, "com urgência", se foi fornecido à defesa do segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues o número do inquérito aberto contra ele, que tramita sob sigilo. Rodrigues, preso na Espanha no último dia 25 portando 39 kg de cocaína, é comissário de bordo e fazia parte de uma equipe de 21 militares que prestava apoio à comitiva que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro na reunião do G-20, no Japão.

Ao STF, a defesa do segundo-sargento pediu que a Corte determine 'imediato acesso aos autos' de seu inquérito. Como está cuidando dos pedidos que chegam ao STF durante o recesso judiciário, Toffoli despachou nesta quarta pedindo informações sobre o caso. "Oficie-se ao Juízo da 2ª Auditoria Militar da 11ª Circunscrição da Justiça Militar para que informe ao Supremo Tribunal Federal, com urgência", decidiu.

O advogado Carlos Alexandre Klomfahs relatou no STF que solicitou em 8 de julho, por e-mail enviado ao Comando da Aeronáutica em Brasília, o número do processo. "A resposta veio em 9 de julho de 2019 pelo encarregado do IPM, Cel Av Lincoln, limitando-se a informar a circunscrição e a auditoria, bem como o nome do juiz-auditor, mas não informou o número dos autos", narrou a defesa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Toffoli pede que Justiça preste informações sobre inquérito de sargento preso


17/07/2019 | 22:15


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, pediu nesta quarta-feira, 17, que a Justiça Militar informe, "com urgência", se foi fornecido à defesa do segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues o número do inquérito aberto contra ele, que tramita sob sigilo. Rodrigues, preso na Espanha no último dia 25 portando 39 kg de cocaína, é comissário de bordo e fazia parte de uma equipe de 21 militares que prestava apoio à comitiva que acompanhou o presidente Jair Bolsonaro na reunião do G-20, no Japão.

Ao STF, a defesa do segundo-sargento pediu que a Corte determine 'imediato acesso aos autos' de seu inquérito. Como está cuidando dos pedidos que chegam ao STF durante o recesso judiciário, Toffoli despachou nesta quarta pedindo informações sobre o caso. "Oficie-se ao Juízo da 2ª Auditoria Militar da 11ª Circunscrição da Justiça Militar para que informe ao Supremo Tribunal Federal, com urgência", decidiu.

O advogado Carlos Alexandre Klomfahs relatou no STF que solicitou em 8 de julho, por e-mail enviado ao Comando da Aeronáutica em Brasília, o número do processo. "A resposta veio em 9 de julho de 2019 pelo encarregado do IPM, Cel Av Lincoln, limitando-se a informar a circunscrição e a auditoria, bem como o nome do juiz-auditor, mas não informou o número dos autos", narrou a defesa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;