Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sua identidade está protegida no FaceApp?

Da Redação, com assessoria

17/07/2019 | 13:18


Recentemente, as redes sociais foram tomadas por diferentes fotos dos usuários empolgados em verem como ficarão mais velhos. O motivo? O FaceApp. O aplicativo para Android e iOS tem um filtro especial que envelhece qualquer pessoa em muitos anos. 

Leia mais: 
Mitos e verdades sobre reconhecimento facial
Microsoft usa Internet das Coisas e reconhecimento facial para abrir portinhola de pets

Mas até que ponto a empolgação com o app pode prejudicar a privacidade dos usuários? E o quão seguros são os app que utilizam reconhecimento facial? Pensando nisso, a Kaspersky analisou o app e, quanto ao FaceApp em si, não identificou nada malicioso. “A foto é enviada para os servidores que fazem a modificação e enviam de volta para o usuário. Tudo muito normal”, explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky. 

Já em relação à privacidade, para o especialista essa é a única e a mais importante questão envolvendo apps desse tipo. “Cerca de 64% dos brasileiros não leem as condições de um app antes de baixá-lo e esquecem de pensar sobre como seus dados podem ser utilizados, ignorando as configurações de privacidade. No caso do FaceApp, por utilizar Inteligência Artificial para fazer as modificações a partir do reconhecimento facial, a empresa dona da aplicação pode vender essas fotos para outras empresas, além desses dados poderem facilmente cair nas mãos de cibercriminosos e serem utilizados para falsificar identidades”, afirma Fabio.

O reconhecimento facial, assim como a biometria, tem sido constantemente utilizado como forma de autenticação. Porém, é preciso ter cautela ao optar por compartilhá-los sem pensar. “Temos que entender essas novas maneiras de autenticação como senhas, já que qualquer sistema de reconhecimento facial disponível a todos pode acabar sendo usado tanto para o bem quanto para o mal”, finaliza.

Ao baixar apps, a Kaspersky recomenda que os usuários:

• Tenham certeza que o aplicativo é de confiança e está nas lojas oficiais;
• Leiam os termos de privacidade dos apps, com o objetivo de entender quais informações são solicitadas;
• Entendam o reconhecimento facial como uma senha – não saia utilizando em todos os lugares;
• Sempre verifiquem quais permissões são solicitadas, como login associado à uma conta existente em determinada rede social.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;