Fechar
Publicidade

Domingo, 18 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Escritor italiano Andrea Camilleri morre aos 93 anos



17/07/2019 | 08:39


Um dos maiores expoentes do romance policial no mundo, Andrea Camilleri morreu nesta quarta-feira, 17, no hospital Spirito Santo, em Roma, aos 93 anos de idade. O escritor italiano havia sido internado em razão de uma parada cardíaca, segundo informações de fontes médicas.

Nascido em Porto Empedocle, na Sicília, no dia 6 de setembro de 1925, Camilleri foi internado em junho após sofrer uma parada cardíaca em sua residência, na capital italiana.

"Seu estado, ainda crítico nos últimos dias, piorou nas últimas horas, comprometendo suas funções vitais", anunciou o hospital onde ele estava internado em estado crítico. O funeral será realizado de forma privada.

Foi sob a caneta de Camilleri que nasceu, em 1994, o famoso comissário Montalbano, amante de boa comida e uma das principais figuras do romance policial europeu.

Diretor de teatro e de televisão e roteirista, Andrea Camilleri se tornou conhecido como romancista tardiamente, mas o sucesso foi avassalador.

O anúncio da morte do ex-militante comunista provocou diversas homenagens em toda a Itália e nas redes sociais, onde a mensagem "Ciao Maestro" ("Adeus, Mestre") estava em alta.

"Esta é uma triste notícia para a Sicília, que perde seu filho, e para a Itália, que vê partir um magnífico mestre da vida. Adeus Andrea Camilleri, vamos sentir sua falta", declarou o vice-primeiro-ministro Luigi Di Maio. O outro vice-primeiro-ministro, Matteo Salvini, elogiou "o incansável narrador de sua Sicília".

"Uma voz única e maravilhosa desaparece", escreveu Nicola Zingaretti, líder do Partido Democrata e irmão de Luca Zingaretti, o ator que interpreta o comissário Montalbano na televisão. "Perdemos muito mais que um grande escritor. Restará para nós a beleza de suas histórias." (Com agências internacionais).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Escritor italiano Andrea Camilleri morre aos 93 anos


17/07/2019 | 08:39


Um dos maiores expoentes do romance policial no mundo, Andrea Camilleri morreu nesta quarta-feira, 17, no hospital Spirito Santo, em Roma, aos 93 anos de idade. O escritor italiano havia sido internado em razão de uma parada cardíaca, segundo informações de fontes médicas.

Nascido em Porto Empedocle, na Sicília, no dia 6 de setembro de 1925, Camilleri foi internado em junho após sofrer uma parada cardíaca em sua residência, na capital italiana.

"Seu estado, ainda crítico nos últimos dias, piorou nas últimas horas, comprometendo suas funções vitais", anunciou o hospital onde ele estava internado em estado crítico. O funeral será realizado de forma privada.

Foi sob a caneta de Camilleri que nasceu, em 1994, o famoso comissário Montalbano, amante de boa comida e uma das principais figuras do romance policial europeu.

Diretor de teatro e de televisão e roteirista, Andrea Camilleri se tornou conhecido como romancista tardiamente, mas o sucesso foi avassalador.

O anúncio da morte do ex-militante comunista provocou diversas homenagens em toda a Itália e nas redes sociais, onde a mensagem "Ciao Maestro" ("Adeus, Mestre") estava em alta.

"Esta é uma triste notícia para a Sicília, que perde seu filho, e para a Itália, que vê partir um magnífico mestre da vida. Adeus Andrea Camilleri, vamos sentir sua falta", declarou o vice-primeiro-ministro Luigi Di Maio. O outro vice-primeiro-ministro, Matteo Salvini, elogiou "o incansável narrador de sua Sicília".

"Uma voz única e maravilhosa desaparece", escreveu Nicola Zingaretti, líder do Partido Democrata e irmão de Luca Zingaretti, o ator que interpreta o comissário Montalbano na televisão. "Perdemos muito mais que um grande escritor. Restará para nós a beleza de suas histórias." (Com agências internacionais).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;