Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Uma escola do barulho em nova temporada



14/07/2019 | 07:20


Sob a batuta da diretora Cininha de Paula, o humorístico Escolinha do Professor Raimundo, que tem a marca de Chico Anysio, se mantém firme e com a mesma proposta original, fazer o público se divertir com seus personagens. A atração, que chega a sua quinta temporada, já pode ser conferida no canal Viva, mas chegará, a partir do dia 28, à tela da Globo também.

Em um time com tantos nomes do humor, a diretora conta que precisa "ser firme, mas sem perder o humor e o respeito".

Não deve ser trabalho fácil, lidar com esses craques da comédia, que nos bastidores também se divertem. "Eu os respeito e eles me respeitam - aí estão estabelecidas as metas da relação de sucesso", diz Cininha. Ela afirma ainda que consegue também se divertir, principalmente na fase de pós-produção. "No exato momento da gravação, são tantas coisas para ver, que se torna difícil. Mas, às vezes eles são tão geniais que me pego assistindo (risos)." E, nesta nova temporada, Cininha também participa do programa. "Eu estou lá de 'minha mãe' Lupe Gigliotti. Foi uma homenagem singela inventada pelo Marcius (Melhem) e pela equipe de redatores", avisa a diretora, que não se faz de rogada e conta ainda se emocionar com o programa. Ainda mais nesta fase, com tantos profissionais sendo lembrados. Ela conta que passou por momentos especiais, principalmente nesta temporada, que conta com a presença de todos atores veteranos que trabalharam com ela na Escolinha original, principalmente Orlando Drummond.

Entre tantos alunos da pesada, alguns novos estão surgindo, como é o caso de Paulo Vieira, que interpreta o Seu Fininho, personagem que já foi de André Matos. Humorista, que já integra a trupe do Zorra, chegou para fazer diferença e conta como se sente ao integrar uma equipe dessas. "É realmente encarar um desafio, no qual eu entro com muita alegria. É muito prestigioso estar ali naquele lugar, contracenar com Marcos Caruso, Marcius Melhem, Dani Calabresa, Otávio Müller e outros. É muita gente boa reunida", conta o humorista. Ele revela que esse momento tem sabor de prestígio. "Como recém-chegado, eu sinto que é uma confiança que eu recebo por estar ali entre aqueles gênios. E eu tento dar o meu melhor." E afirma ainda que se preparou bastante para viver o Seu Fininho. "Assisti a tudo o que tinha, estudei muito."

De outro lado, o já veterano Marcos Veras surge na pele do João Canabrava, personagem que Tom Cavalcante imortalizou. Humorista conta que sempre gostou do Canabrava, que era um dos seus preferidos da Escolinha.

"Quando soube que ia fazer, fui atrás dos vídeos antigos, conversei com o Tom e aí passou um filme da cabeça", revela. Ele explica que sua entrada no time foi fácil, por um lado, porque ali só tem amigos. Por outro lado, foi complicado entrar em um programa já estabelecido, de sucesso. "É um desafio fazer a Escolinha. Além do público, os colegas estão ali te assistindo. Não tem ensaio, quase tudo de primeira. Então é como se fosse uma prova de escola mesmo. Mas no final dá certo. É uma loucura das mais gostosas que vivi."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Uma escola do barulho em nova temporada


14/07/2019 | 07:20


Sob a batuta da diretora Cininha de Paula, o humorístico Escolinha do Professor Raimundo, que tem a marca de Chico Anysio, se mantém firme e com a mesma proposta original, fazer o público se divertir com seus personagens. A atração, que chega a sua quinta temporada, já pode ser conferida no canal Viva, mas chegará, a partir do dia 28, à tela da Globo também.

Em um time com tantos nomes do humor, a diretora conta que precisa "ser firme, mas sem perder o humor e o respeito".

Não deve ser trabalho fácil, lidar com esses craques da comédia, que nos bastidores também se divertem. "Eu os respeito e eles me respeitam - aí estão estabelecidas as metas da relação de sucesso", diz Cininha. Ela afirma ainda que consegue também se divertir, principalmente na fase de pós-produção. "No exato momento da gravação, são tantas coisas para ver, que se torna difícil. Mas, às vezes eles são tão geniais que me pego assistindo (risos)." E, nesta nova temporada, Cininha também participa do programa. "Eu estou lá de 'minha mãe' Lupe Gigliotti. Foi uma homenagem singela inventada pelo Marcius (Melhem) e pela equipe de redatores", avisa a diretora, que não se faz de rogada e conta ainda se emocionar com o programa. Ainda mais nesta fase, com tantos profissionais sendo lembrados. Ela conta que passou por momentos especiais, principalmente nesta temporada, que conta com a presença de todos atores veteranos que trabalharam com ela na Escolinha original, principalmente Orlando Drummond.

Entre tantos alunos da pesada, alguns novos estão surgindo, como é o caso de Paulo Vieira, que interpreta o Seu Fininho, personagem que já foi de André Matos. Humorista, que já integra a trupe do Zorra, chegou para fazer diferença e conta como se sente ao integrar uma equipe dessas. "É realmente encarar um desafio, no qual eu entro com muita alegria. É muito prestigioso estar ali naquele lugar, contracenar com Marcos Caruso, Marcius Melhem, Dani Calabresa, Otávio Müller e outros. É muita gente boa reunida", conta o humorista. Ele revela que esse momento tem sabor de prestígio. "Como recém-chegado, eu sinto que é uma confiança que eu recebo por estar ali entre aqueles gênios. E eu tento dar o meu melhor." E afirma ainda que se preparou bastante para viver o Seu Fininho. "Assisti a tudo o que tinha, estudei muito."

De outro lado, o já veterano Marcos Veras surge na pele do João Canabrava, personagem que Tom Cavalcante imortalizou. Humorista conta que sempre gostou do Canabrava, que era um dos seus preferidos da Escolinha.

"Quando soube que ia fazer, fui atrás dos vídeos antigos, conversei com o Tom e aí passou um filme da cabeça", revela. Ele explica que sua entrada no time foi fácil, por um lado, porque ali só tem amigos. Por outro lado, foi complicado entrar em um programa já estabelecido, de sucesso. "É um desafio fazer a Escolinha. Além do público, os colegas estão ali te assistindo. Não tem ensaio, quase tudo de primeira. Então é como se fosse uma prova de escola mesmo. Mas no final dá certo. É uma loucura das mais gostosas que vivi."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;