Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fim do New Fiesta vai gerar a demissão de 750, diz Ford

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Informação foi dada ao prefeito de S.Bernardo, que considera conduta da empresa ‘lamentável’


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

12/07/2019 | 23:32


Com o fim da produção do New Fiesta em São Bernardo, o que ocorreu em 13 de junho, a Ford irá demitir 750 profissionais da planta na região até o dia 31. A informação foi dada por Rogélio Golfarb, vice-presidente de estratégia, comunicação e relações governamentais da Ford para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

Segundo Morando, a notícia foi recebida com indignação, uma vez que, após audiência no MPT (Ministério Público do Trabalho), a Ford não apresentou plano de desmobilização sobre o encerramento de suas atividades industriais em São Bernardo. “O município desconhece a condição desses trabalhadores. Se os filhos deles vão migrar para escolas públicas. Se terão impactos na Saúde pública, uma vez que, os mesmos trabalhadores deverão perder seus convênios médicos particulares, além de impactos no transporte coletivo”, diz nota enviada pelo Paço.

Para Morando, a forma como a Ford tem tratado do encerramento das atividades em novembro mostra desprezo. “A cidade que sempre ofereceu o melhor de sua infraestrutura e mão de obra qualificada é literalmente atingida. A conduta da Ford foi lamentável, uma vez que não considera as negociações com o futuro comprador da planta industrial. A medida adotada poderia estar inclusa no conjunto das negociações”, afirma comunicado.

Na quinta-feira, o prefeito anunciou que em agosto será divulgado o nome do comprador da fábrica da Ford e que, um dos dois interessados, além de manter os 2,800 postos, vai gerar outros 1.000 em até dois anos. O chão de fábrica está em banco de horas há um mês e retorna na segunda.

A Prefeitura disse que irá buscar medidas judiciais contra os impactos que possam causar ao município. Procurada, a Ford não vai comentar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fim do New Fiesta vai gerar a demissão de 750, diz Ford

Informação foi dada ao prefeito de S.Bernardo, que considera conduta da empresa ‘lamentável’

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

12/07/2019 | 23:32


Com o fim da produção do New Fiesta em São Bernardo, o que ocorreu em 13 de junho, a Ford irá demitir 750 profissionais da planta na região até o dia 31. A informação foi dada por Rogélio Golfarb, vice-presidente de estratégia, comunicação e relações governamentais da Ford para o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB).

Segundo Morando, a notícia foi recebida com indignação, uma vez que, após audiência no MPT (Ministério Público do Trabalho), a Ford não apresentou plano de desmobilização sobre o encerramento de suas atividades industriais em São Bernardo. “O município desconhece a condição desses trabalhadores. Se os filhos deles vão migrar para escolas públicas. Se terão impactos na Saúde pública, uma vez que, os mesmos trabalhadores deverão perder seus convênios médicos particulares, além de impactos no transporte coletivo”, diz nota enviada pelo Paço.

Para Morando, a forma como a Ford tem tratado do encerramento das atividades em novembro mostra desprezo. “A cidade que sempre ofereceu o melhor de sua infraestrutura e mão de obra qualificada é literalmente atingida. A conduta da Ford foi lamentável, uma vez que não considera as negociações com o futuro comprador da planta industrial. A medida adotada poderia estar inclusa no conjunto das negociações”, afirma comunicado.

Na quinta-feira, o prefeito anunciou que em agosto será divulgado o nome do comprador da fábrica da Ford e que, um dos dois interessados, além de manter os 2,800 postos, vai gerar outros 1.000 em até dois anos. O chão de fábrica está em banco de horas há um mês e retorna na segunda.

A Prefeitura disse que irá buscar medidas judiciais contra os impactos que possam causar ao município. Procurada, a Ford não vai comentar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;