Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Consórcio planeja expansão de centro para formação de GCMs da região

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ideia é incorporar equipamento que atende apenas Santo André à unidade de S.Bernardo


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

12/07/2019 | 09:30


O GT (Grupo de Trabalho) Segurança Pública do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC aprovou a utilização do Centro de Treinamento da GCM (Guarda Civil Municipal) de Santo André, incluindo estande de tiros recém-inaugurado, como parte da estrutura do CRFSU (Centro Regional de Formação em Segurança Urbana), mantido pelo colegiado. A medida, que pretende ampliar a capacidade de treinamento regional dos agentes das sete corporações, ainda precisa ser aprovado pelos prefeitos.

O Centro de Formação do Grande ABC é pioneiro do gênero em caráter regional no País e tem como objetivo integrar as ações das guardas municipais. Atualmente, o equipamento está sediado em São Bernardo, onde oferece cursos de ingresso na corporação, formação continuada, ascensão na carreira e especialização, além de estande de tiro localizado no mesmo município.

A utilização regional da unidade em Santo André atende pedido feito pelos comandantes das GCMs para que as corporações contem com mais um espaço de treinamento. Assim como a unidade de São Bernardo, o estande em Santo André está adequado ao Tiro Defensivo na Preservação da Vida, também conhecido como Método Giraldi, metodologia reconhecida internacionalmente pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pelo Comitê da Cruz Vermelha. 

Conforme o posicionamento geográfico, um equipamento de formação para os guardas-civis em território andreense também facilitaria a logística para agentes de municípios como Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Ainda não há definição sobre os custos que serão assumidos pelo Consórcio, nem se a regionalização das instalações de Santo André poderá ter início neste ano. “Talvez não seja possível incluir isso no orçamento de 2019, mas ainda que fique para 2020, é importante o fortalecimento das polícias municipais, uma tendência que a gente já vê em todo o mundo. Quando estes ventos chegarem ao Brasil, estaremos preparados”, pontuou o coordenador do GT e secretário de Segurança Cidadã de Santo André, coronel Edson Sardano.

“O estande em Santo André pode ser mais um braço operacional do centro de formação, que tem realizado um trabalho excelente na formação e atualização dos guardas-civis. Nosso objetivo é que as corporações das sete cidades possam contar com mais uma estrutura para melhorar ainda mais este serviço. O fortalecimento da segurança pública é hoje uma demanda em comum da população das sete cidades”, concluiu Sardano.

O Centro Regional de Formação em Segurança Urbana foi criado com o objetivo de integrar a formação de cerca de 2.500 guardas-civis municipais do Grande ABC mediante investimento de R$ 1,5 milhão.


Sem aulas de tiro, corporação de Diadema ficou sem porte de arma

Em abril, o Diário denunciou que 98% do efetivo da GCM (Guarda Civil Municipal) de Diadema estava com o porte de arma vencido. Na época, a administração alegou que a situação foi resultado de dificuldades para realizar as avaliações psicológicas dos agentes após descredenciamento de clínicas autorizadas pelo Ministério da Justiça, no entanto, integrantes da corporação relataram problemas, também, com as aulas de tiro.

Além das avaliações psicológicas, os guardas que têm porte de arma precisam fazer, a cada ano, 80 horas de curso de formação, de acordo com a matriz curricular da PF (Polícia Federal), além de avaliação de tiro a cada dois anos, e série de documentos individuais que devem ser apresentados. 

Conforme o coordenador do GT (Grupo de Trabalho)Segurança do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e secretário de Segurança Cidadã de Santo André, coronel Edson Sardano, a expansão do Centro Regional de Formação em Segurança Urbana será capaz de evitar problemas como o enfrentado por Diadema.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Consórcio planeja expansão de centro para formação de GCMs da região

Ideia é incorporar equipamento que atende apenas Santo André à unidade de S.Bernardo

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

12/07/2019 | 09:30


O GT (Grupo de Trabalho) Segurança Pública do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC aprovou a utilização do Centro de Treinamento da GCM (Guarda Civil Municipal) de Santo André, incluindo estande de tiros recém-inaugurado, como parte da estrutura do CRFSU (Centro Regional de Formação em Segurança Urbana), mantido pelo colegiado. A medida, que pretende ampliar a capacidade de treinamento regional dos agentes das sete corporações, ainda precisa ser aprovado pelos prefeitos.

O Centro de Formação do Grande ABC é pioneiro do gênero em caráter regional no País e tem como objetivo integrar as ações das guardas municipais. Atualmente, o equipamento está sediado em São Bernardo, onde oferece cursos de ingresso na corporação, formação continuada, ascensão na carreira e especialização, além de estande de tiro localizado no mesmo município.

A utilização regional da unidade em Santo André atende pedido feito pelos comandantes das GCMs para que as corporações contem com mais um espaço de treinamento. Assim como a unidade de São Bernardo, o estande em Santo André está adequado ao Tiro Defensivo na Preservação da Vida, também conhecido como Método Giraldi, metodologia reconhecida internacionalmente pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pelo Comitê da Cruz Vermelha. 

Conforme o posicionamento geográfico, um equipamento de formação para os guardas-civis em território andreense também facilitaria a logística para agentes de municípios como Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Ainda não há definição sobre os custos que serão assumidos pelo Consórcio, nem se a regionalização das instalações de Santo André poderá ter início neste ano. “Talvez não seja possível incluir isso no orçamento de 2019, mas ainda que fique para 2020, é importante o fortalecimento das polícias municipais, uma tendência que a gente já vê em todo o mundo. Quando estes ventos chegarem ao Brasil, estaremos preparados”, pontuou o coordenador do GT e secretário de Segurança Cidadã de Santo André, coronel Edson Sardano.

“O estande em Santo André pode ser mais um braço operacional do centro de formação, que tem realizado um trabalho excelente na formação e atualização dos guardas-civis. Nosso objetivo é que as corporações das sete cidades possam contar com mais uma estrutura para melhorar ainda mais este serviço. O fortalecimento da segurança pública é hoje uma demanda em comum da população das sete cidades”, concluiu Sardano.

O Centro Regional de Formação em Segurança Urbana foi criado com o objetivo de integrar a formação de cerca de 2.500 guardas-civis municipais do Grande ABC mediante investimento de R$ 1,5 milhão.


Sem aulas de tiro, corporação de Diadema ficou sem porte de arma

Em abril, o Diário denunciou que 98% do efetivo da GCM (Guarda Civil Municipal) de Diadema estava com o porte de arma vencido. Na época, a administração alegou que a situação foi resultado de dificuldades para realizar as avaliações psicológicas dos agentes após descredenciamento de clínicas autorizadas pelo Ministério da Justiça, no entanto, integrantes da corporação relataram problemas, também, com as aulas de tiro.

Além das avaliações psicológicas, os guardas que têm porte de arma precisam fazer, a cada ano, 80 horas de curso de formação, de acordo com a matriz curricular da PF (Polícia Federal), além de avaliação de tiro a cada dois anos, e série de documentos individuais que devem ser apresentados. 

Conforme o coordenador do GT (Grupo de Trabalho)Segurança do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e secretário de Segurança Cidadã de Santo André, coronel Edson Sardano, a expansão do Centro Regional de Formação em Segurança Urbana será capaz de evitar problemas como o enfrentado por Diadema.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;