Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Para curtir o frio

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Quem é fã de baixas temperaturas pode subir a serra e se deleitar nos festivais de inverno


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

11/07/2019 | 07:12


Quem é amante de frio e não vê a hora de a temperatura despencar no termômetro para ir em busca de locais onde a sensação térmica é ainda mais congelante – como ocorreu nos últimos dias –, pode aproveitar os próximos três fins de semana de julho para subir a serra e curtir festivais de inverno entre 35 quilômetros e 250 quilômetros de distância do Grande ABC.

O mais pertinho, no caso, está no nosso próprio quintal. Trata-se de Paranapiacaba, a cerca de uma hora de distância do Centro de Santo André. Além do festival de inverno, a vila inglesa neste ano terá como novidade a entrega oficial da torre do relógio, a famosa réplica do Big Ben de Londres (Inglaterra), construída em 1898, que foi totalmente restaurada e passou a contar com iluminação especial. O relógio estava parado havia mais de dez anos, e a última ação para conservação tinha sido realizada em 2003. A inauguração ocorrerá no dia da abertura do evento (20), às 18h.

Quem visitar o local durante o 19° FIP (Festival de Inverno de Paranapiacaba), que acontece nos dois últimos fins de semana do mês, vai poder conferir, além de shows, exposições e intervenções culturais, também o Museu Castelo, que passou por reforma, além de outros locais restaurados, como a Garagem das Locomotivas, a Oficina das Locomotivas, a Igreja Senhor Bom Jesus de Paranapiacaba e a Casa da Família Ferroviária (Casa Fox). A programação está no site www.santoandre.sp.gov.br/fip e, na entrada, o banco de alimentos irá arrecadar um quilo de item não perecível ou produtos de higiene.

TRADIÇÃO

Quem quiser investir um pouco mais e viajar para curtir um festival bastante tradicional pode ir a Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, distante cerca de 200 quilômetros da região, em torno de duas horas e 40 minutos, e que no domingo registrou temperatura de -1°C, a menor do Estado, acompanhada de geada, para deleite de quem é apaixonado por frio.

O Festival de Inverno de Campos do Jordão vai até o dia 28. No auditório Claudio Santoro haverá apresentações da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Neste sábado, quem se apresenta com a sinfônica é Toquinho e, no dia 27, Diogo Nogueira. Os ingressos, à venda pela internet ou nas bilheterias do auditório e da Praça do Capivari, custam de R$ 50 a R$ 100.

A novidade da 50ª edição do festival é a volta do Hotel Toriba como palco do festival, além de misturar vozes da música popular com nomes de clássicos eruditos. Há também opções gratuitas de concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, no Palácio Boa Vista (Palco Externo e Capela) e no Espaço Cultural Dr. Além. Para mais informações, acesse www.festivalcamposdojordao.org.br.

GRATUITO

O simpático e pitoresco distrito de Camanducaia, em Minas Gerais, realiza neste ano a 7ª Edição do Festival de Inverno. Até o dia 27, Monte Verde recebe, aos sábados, grupos de música, teatro e dança em cortejos ao ar livre de São Paulo, Rio de Janeiro e de outras cidades mineiras, além de atrações locais.

O encerramento contará com a Orquestra Filarmônica Melhoramentos Caieiras. E, o melhor, as atrações são gratuitas. Para mais informações sobre a programação, acesse https://monteverde.org.br/festival-de-inverno-2019.

Conhecida como a Suíça Brasileira, Monte Verde está a cerca de 180 quilômetros da região, mas como de Camanducaia até lá a estrada é íngreme, embora asfaltada, leva-se em torno de três horas em todo o trajeto. Não volte sem passar pelo Gressoney, bem na entrada da cidade, e provar a sopa de morango (feita com a fruta de Cambuí, cidade vizinha, calda trufada e sorvete de creme) e as tradicionais prímulas (duas bolachinhas recheadas com doce de leite e cobertas com chocolate a partir de receita que passou por gerações), típicas do local.

LAVANDÁRIO

Quem estiver disposto a percorrer um pouco mais de asfalto para curtir o frio, pode dirigir por 250 quilômetros, o que dá em torno de três horas e meia do Grande ABC, e ir até Cunha, no Vale do Paraíba.

Na praça da Igreja da Matriz (construída em 1731 e tombada pelo Patrimônio Histórico), onde ocorrem os shows ao ar livre de sexta-feira a domingo, foi montado o palco principal para as apresentações musicais do 26° Festival de Inverno – Acordes na Serra. Concomitantemente, haverá o 1º Festival de Arte e Artesanato, uma vez que a cidade é conhecida por produzir peças de cerâmica. Neste fim de semana, haverá apresentações de rock e MPB. Para conferir a programação gratuita, basta clicar em www.cunha.sp.gov.br.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para curtir o frio

Quem é fã de baixas temperaturas pode subir a serra e se deleitar nos festivais de inverno

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

11/07/2019 | 07:12


Quem é amante de frio e não vê a hora de a temperatura despencar no termômetro para ir em busca de locais onde a sensação térmica é ainda mais congelante – como ocorreu nos últimos dias –, pode aproveitar os próximos três fins de semana de julho para subir a serra e curtir festivais de inverno entre 35 quilômetros e 250 quilômetros de distância do Grande ABC.

O mais pertinho, no caso, está no nosso próprio quintal. Trata-se de Paranapiacaba, a cerca de uma hora de distância do Centro de Santo André. Além do festival de inverno, a vila inglesa neste ano terá como novidade a entrega oficial da torre do relógio, a famosa réplica do Big Ben de Londres (Inglaterra), construída em 1898, que foi totalmente restaurada e passou a contar com iluminação especial. O relógio estava parado havia mais de dez anos, e a última ação para conservação tinha sido realizada em 2003. A inauguração ocorrerá no dia da abertura do evento (20), às 18h.

Quem visitar o local durante o 19° FIP (Festival de Inverno de Paranapiacaba), que acontece nos dois últimos fins de semana do mês, vai poder conferir, além de shows, exposições e intervenções culturais, também o Museu Castelo, que passou por reforma, além de outros locais restaurados, como a Garagem das Locomotivas, a Oficina das Locomotivas, a Igreja Senhor Bom Jesus de Paranapiacaba e a Casa da Família Ferroviária (Casa Fox). A programação está no site www.santoandre.sp.gov.br/fip e, na entrada, o banco de alimentos irá arrecadar um quilo de item não perecível ou produtos de higiene.

TRADIÇÃO

Quem quiser investir um pouco mais e viajar para curtir um festival bastante tradicional pode ir a Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, distante cerca de 200 quilômetros da região, em torno de duas horas e 40 minutos, e que no domingo registrou temperatura de -1°C, a menor do Estado, acompanhada de geada, para deleite de quem é apaixonado por frio.

O Festival de Inverno de Campos do Jordão vai até o dia 28. No auditório Claudio Santoro haverá apresentações da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Neste sábado, quem se apresenta com a sinfônica é Toquinho e, no dia 27, Diogo Nogueira. Os ingressos, à venda pela internet ou nas bilheterias do auditório e da Praça do Capivari, custam de R$ 50 a R$ 100.

A novidade da 50ª edição do festival é a volta do Hotel Toriba como palco do festival, além de misturar vozes da música popular com nomes de clássicos eruditos. Há também opções gratuitas de concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, no Palácio Boa Vista (Palco Externo e Capela) e no Espaço Cultural Dr. Além. Para mais informações, acesse www.festivalcamposdojordao.org.br.

GRATUITO

O simpático e pitoresco distrito de Camanducaia, em Minas Gerais, realiza neste ano a 7ª Edição do Festival de Inverno. Até o dia 27, Monte Verde recebe, aos sábados, grupos de música, teatro e dança em cortejos ao ar livre de São Paulo, Rio de Janeiro e de outras cidades mineiras, além de atrações locais.

O encerramento contará com a Orquestra Filarmônica Melhoramentos Caieiras. E, o melhor, as atrações são gratuitas. Para mais informações sobre a programação, acesse https://monteverde.org.br/festival-de-inverno-2019.

Conhecida como a Suíça Brasileira, Monte Verde está a cerca de 180 quilômetros da região, mas como de Camanducaia até lá a estrada é íngreme, embora asfaltada, leva-se em torno de três horas em todo o trajeto. Não volte sem passar pelo Gressoney, bem na entrada da cidade, e provar a sopa de morango (feita com a fruta de Cambuí, cidade vizinha, calda trufada e sorvete de creme) e as tradicionais prímulas (duas bolachinhas recheadas com doce de leite e cobertas com chocolate a partir de receita que passou por gerações), típicas do local.

LAVANDÁRIO

Quem estiver disposto a percorrer um pouco mais de asfalto para curtir o frio, pode dirigir por 250 quilômetros, o que dá em torno de três horas e meia do Grande ABC, e ir até Cunha, no Vale do Paraíba.

Na praça da Igreja da Matriz (construída em 1731 e tombada pelo Patrimônio Histórico), onde ocorrem os shows ao ar livre de sexta-feira a domingo, foi montado o palco principal para as apresentações musicais do 26° Festival de Inverno – Acordes na Serra. Concomitantemente, haverá o 1º Festival de Arte e Artesanato, uma vez que a cidade é conhecida por produzir peças de cerâmica. Neste fim de semana, haverá apresentações de rock e MPB. Para conferir a programação gratuita, basta clicar em www.cunha.sp.gov.br.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;