Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 16 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Saiba como evitar ser espionado pela webcam

Apesar da evidente utilidade, não são poucos os usuários que decidiram desativar o recurso por medo

Da Redação, com assessoria

10/07/2019 | 10:18


Faz mais de uma década que já se fala de espionagem pela webcam. O assunto foi tema de uma série de filmes e séries, mas também já protagonizou casos reais emblemáticos. Hoje em dia, apesar da evidente utilidade de uma câmara web, não são poucos os usuários que decidiram desativar (ou tampar) este recurso.

Um deles é ninguém menos que Mark Zuckerberg, que já mostrou que cobre com fita adesiva a webcam de seu notebook. Na época que a imagem correu a internet, a atitude do CEO do Facebook provocou um grande debate sobre privacidade e cibersegurança em dispositivos móveis.

Leia mais: 
Câmera, ventilador e até babá eletrônica: conheça métodos curiosos de invasão
Menino de 13 anos hackeia drone para expor falhas de segurança na Internet das Coisas

O fato é que a espionagem pela webcam é real, e já se conhecem diversas técnicas de invasão, com diferentes objetivos. Há casos de espionagem por meio do próprio notebook com um software oculto, a instalação de malwares em dispositivos de casais ou pessoas famosas, e até a espionagem governamental. Um dos casos mais recente é o dos 50 mil monitores de bebês da empresa Mi-Cam, que tinham vulnerabilidades super fáceis de hakear.

Como prevenir a espionagem pela webcam?

Os métodos de prevenção de espionagem dependem da utilidade que se dá à câmera web. Para te ajudar nesse sentido, a plataforma de seguros oMelhorTrato.com.br compartilhou algumas ações básicas para evitar esse tipo de situação:

Cobertor de câmera web (Webcam Cover)

Este é o método preferido dos profissionais. Ele é um pequeno sulco plástico que você pode colocar sobre a câmera e tirar quando precisar usá-la. A única desvantagem é que o acessório pode afetar o desligamento do notebook quando se abaixa a tampa. Por isso, vale a pena medir a espessura do acessório ou sempre desligar o aparelho manualmente.

Fita adesiva

Este é o mais simples, e consiste em colar um adesivo sobre a câmera do computador portátil. As desvantagens aqui são possíveis os danos à estética e os restos de cola que ficarão no aparelho ao remover a fita depois de muito tempo.

Desativação a partir do sistema operacional

Para desativar a câmera no sistema é preciso acessar a ferramenta de Configuração e depois entrar em Privacidade. Se o portátil possui um Windows anterior às versão 8 e 10, é preciso desativar o componente a partir do Painel de Controle – Administrador de dispositivos – Dispositivos de imagem. Em ambos os casos, esta é uma solução facilmente reversível. Contudo, deve-se ter em mente que ela não é garantia, pois se um invasor obtém o acesso administrativo ao equipamento ele pode voltar a habilitá-la.

Conselhos de segurança 

Não confie no led da câmera. Em teoria, a luz que pisca/acende na webcam indica se o dispositivo está sendo usado. Porém, um estudo mostra que esse sinal não é infalível. Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins (EUA) fizeram uma webcam remota funcionar sem ativar a luz de notificação. Para isso, eles utilizaram um RAT (Remote Administration Tool ou Ferramenta de Administração Remota) capaz de reprogramar o chip de algumass câmeras, deixando os usuários desarmados contra a espionagem online.

Todos os métodos de ataque para hackear as webcams e conseguir seu acesso remoto aproveitam alguma vulnerabilidade presente nos equipamentos, seja no sistema operativo ou em suas aplicações. Por isso, é importante reforçar a segurança dos dispositivos. A dica é utilizar boas ferramentas de segurança, manter o sistema e os apps atualizados, ter cuidado com as redes Wi-Fi gratuitas, evitar fazer downloads e instalações de sites não confiáveis, e tomar cuidado com a navegação na internet e a abertura de e-mails suspeitos.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;