Fechar
Publicidade

Domingo, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Veja dicas para evitar gastos em viagens com imprevistos

Redação

08/07/2019 | 09:34


Dólar e Euro em alta fazem com que viajar para o exterior fique um pouco complicado, mas não impossível. Por isso, é importante evitar gastos em viagens com imprevistos. É preciso maior cuidado ao programar as férias e muito planejamento para que situações não atrapalhem o orçamento.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

A April Brasil Seguro Viagem preparou algumas dicas para ajudar a não voltar de viagem no vermelho.

Dicas para evitar gastos em viagens

1. Planeje com antecedência

Uma dica fundamental é planejar os detalhes da viagem com alguns meses de antecedência. Com isso, é possível encontrar boas oportunidades e promoções na hora de comprar as passagens aéreas e a hospedagem. Com um pouco de paciência, também dá para comparar o custo-benefício de diferentes tipos de hospedagem – um hotel, por exemplo, poderá sair mais caro que um apartamento alugado, mas terá café da manhã incluso.

A dica é pensar além da economia imediata e sempre calcular os outros gastos que a escolha de um serviço mais barato pode acarretar.

2. Avalie as ofertas para os turistas

Alguns destinos têm ofertas específicas para turistas, como cartões de desconto em transporte e atrações ou passes de trem para visitar várias cidades. Embora eles garantam praticidade, nem sempre valem a pena. É importante avaliar o que você quer visitar e como vai se locomover pela cidade para verificar se não será mais barato pagar por tudo separadamente.

3. Pesquise tudo o que puder

Não basta saber “mais ou menos” quanto as coisas custam no destino. Para fazer um bom orçamento, esteja por dentro de tudo. Compare as formas de se locomover pela cidade, confira os preços do transporte público e se há descontos disponíveis.

Também é importante ver o preço das atrações desejadas e entender se vale a pena comprar os ingressos com antecedência. Geralmente isso ajuda a evitar filas e fornece alguns descontos. Porém, é preciso calcular o IOF de 6,38%, já que a compra online deve ser feita com um cartão de crédito internacional.

LEIA MAIS: SAIBA COMO PLANEJAR UMA VIAGEM AO EXTERIOR
DESCUBRA POR QUE ALGUNS PAÍSES EXIGEM SEGURO VIAGEM

Listar restaurantes bons e baratos pode ajudar. É normal perder a noção do tempo enquanto passeia e acabar morrendo de fome exatamente quando se está em uma região muito cara. Além disso, é importante conhecer detalhes do destino. Alguns países europeus, por exemplo, aplicam multas no transporte público que podem chegar a 60 euros caso o viajante não tenha um tíquete válido consigo. Por isso, vale pesquisar se é necessário guardar os que foram utilizados.

4. Faça um seguro viagem

Não há vilão maior para um orçamento de viagem do que doenças, acidentes e imprevistos com voo ou bagagem. Em outro país, uma simples gripe pode virar uma verdadeira dor de cabeça e custar muito caro. Problemas comuns, como extravio de bagagem ou cancelamento de um voo, podem gerar custos desnecessários.

Por isso, invista sempre em um bom seguro viagem e proteja-se deste tipo de situação. O valor gira em torno de 3% do total pago em uma viagem, e ele pode salvar na hora do aperto.

5. Evite usar o cartão de crédito

O IOF de 6,38% sobre os gastos no cartão de crédito feitos fora do Brasil pesam no orçamento, assim como o fato de que a cotação utilizada na conversão da moeda só é definida na data do fechamento da fatura. Por isso, a melhor forma de pagar qualquer coisa no exterior será sempre em espécie, com moeda trocada oficialmente nas casas de câmbio do Brasil, onde o IOF é de apenas 1,1%.

Vale pesquisar outras maneiras de levar dinheiro que não envolvam o cartão de crédito, como liberar a função de débito internacional no banco – mas é importante lembrar que alguns caixas eletrônicos ao redor do mundo não reconhecem cartões múltiplos (com funções de crédito e débito) e acabam realizando o saque no crédito, com o IOF mais alto.

6. Na hora de comprar, converta

Os viajantes costumam dizer que “quem converte não se diverte”. Isso significa que, em um país em que a moeda é mais cara que o real brasileiro, você não deve converter para não se preocupar tanto com os gastos. Embora essa técnica seja válida para transporte, passeios e refeições, já que são elementos essenciais da viagem e será necessário pagar por eles de qualquer forma, na hora das compras é importante manter a calculadora à mão.

Até pode valer a pena pagar um valor alto por itens que não são encontrados no Brasil, mas mercadorias de grandes marcas de roupas e sapatos podem sair muito mais baratas em terras brasileiras, onde ainda será possível parcelar o gasto no cartão.

Lugares que valem a visita

A seguir, confira destinos incríveis que vale a visita.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;