Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Rodrigo Santoro relembra cena de beijo de Carandiru para celebrar o Orgulho LGBT



24/06/2019 | 19:10


Rodrigo Santoro relembrou uma cena icônica do cinema brasileiro para comemorar o dia da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que aconteceu no último domingo, dia 23. O ator viveu a travesti presidiária Lady Di em Carandiru. Na trama, ela se casa com o detento Sem Chance, interpretado por Gero Camilo, e os personagens comemoram a união com um beijo.

O astro postou uma foto da cena em seu Instagram e relembrou como foi a recepção na época em que o filme estava nos cinemas, em 2003. Ele também comentou que seu parceiro de cena considerou o trecho do longa como um beijo de todas as bocas e, para alguns, era como um tapa. Rodrigo também revelou na legenda:

Experimentei a sensação de, escondido nas salas, ver pessoas deixando os cinemas após a cena. Hoje, 2019, as ruas de São Paulo estão tomadas pela luta para que todos os beijos, de todas as bocas, sejam um símbolo de amor e liberdade. A arte é aliada desse sonho.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rodrigo Santoro relembra cena de beijo de Carandiru para celebrar o Orgulho LGBT


24/06/2019 | 19:10


Rodrigo Santoro relembrou uma cena icônica do cinema brasileiro para comemorar o dia da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que aconteceu no último domingo, dia 23. O ator viveu a travesti presidiária Lady Di em Carandiru. Na trama, ela se casa com o detento Sem Chance, interpretado por Gero Camilo, e os personagens comemoram a união com um beijo.

O astro postou uma foto da cena em seu Instagram e relembrou como foi a recepção na época em que o filme estava nos cinemas, em 2003. Ele também comentou que seu parceiro de cena considerou o trecho do longa como um beijo de todas as bocas e, para alguns, era como um tapa. Rodrigo também revelou na legenda:

Experimentei a sensação de, escondido nas salas, ver pessoas deixando os cinemas após a cena. Hoje, 2019, as ruas de São Paulo estão tomadas pela luta para que todos os beijos, de todas as bocas, sejam um símbolo de amor e liberdade. A arte é aliada desse sonho.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;