Fechar
Publicidade

Sábado, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Julgamento sobre prisão de Lula é adiado pelo Supremo Tribunal Federal

Fernando Frazão/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Análise do habeas corpus, programado para ocorrer nesta terça-feira, será no segundo semestre


Do Dgabc.com.br

24/06/2019 | 11:48


A análise do pedido de julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi adiado. A apreciação do habeas corpus, que estava marcada para ocorrer nesta terça-feira (25), deve ser retomada apenas no segundo semestre por conta do recesso do Supremo, de acordo com Mônica Bergamo, colunista da Folha de S. Paulo. O petista acusa o ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, de "parcialidade" e de agir com "motivação política" ao condená-lo no caso do triplex.

A pauta da Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) teria sido modificada pela ministra Carmen Lúcia, que teria empurrado'' o assunto para último da lista. O principal motivo alegado pelo ministro Gilmar Mendes é a falta de tempo para analisar a situação, pois somente o voto dele tem cerca de 40 páginas. Com a mudança, o caso deve voltar à pauta após outros 11 processo serem discutidos.

O fato de envolver um réu preso, o que geralmente dá caráter de urgência à análise do habeas corpus, não obriga o Supremo a julgar o tema o quanto antes. Ministros consultados pela reportagem observam que Lula já foi condenado em segundo grau.

 

Conforme mostrou o jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira, 24, o voto decisivo do julgamento deve ficar na mãos do ministro Celso de Mello, decano da Corte.

O relator da Operação Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, e a ministra Cármen Lúcia já votaram contra o pedido de liberdade de Lula. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Julgamento sobre prisão de Lula é adiado pelo Supremo Tribunal Federal

Análise do habeas corpus, programado para ocorrer nesta terça-feira, será no segundo semestre

Do Dgabc.com.br

24/06/2019 | 11:48


A análise do pedido de julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi adiado. A apreciação do habeas corpus, que estava marcada para ocorrer nesta terça-feira (25), deve ser retomada apenas no segundo semestre por conta do recesso do Supremo, de acordo com Mônica Bergamo, colunista da Folha de S. Paulo. O petista acusa o ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, de "parcialidade" e de agir com "motivação política" ao condená-lo no caso do triplex.

A pauta da Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) teria sido modificada pela ministra Carmen Lúcia, que teria empurrado'' o assunto para último da lista. O principal motivo alegado pelo ministro Gilmar Mendes é a falta de tempo para analisar a situação, pois somente o voto dele tem cerca de 40 páginas. Com a mudança, o caso deve voltar à pauta após outros 11 processo serem discutidos.

O fato de envolver um réu preso, o que geralmente dá caráter de urgência à análise do habeas corpus, não obriga o Supremo a julgar o tema o quanto antes. Ministros consultados pela reportagem observam que Lula já foi condenado em segundo grau.

 

Conforme mostrou o jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira, 24, o voto decisivo do julgamento deve ficar na mãos do ministro Celso de Mello, decano da Corte.

O relator da Operação Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, e a ministra Cármen Lúcia já votaram contra o pedido de liberdade de Lula. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;